terça-feira, 31 de agosto de 2010

A CONSPIRAÇÃO DA MORTE DE LADY DIANA

14 comentários:
Há 13 anos, no dia 31 de agosto de 1997, um terrível acidente chocou o mundo inteiro. Morria Lady Diana, Princesa de Gales. Ela foi a rainha que conquistou corações, a mulher que mais apareceu em capas de revista das décadas de 80 e 90. Sua vida era a de todos, e sua imagem representava a doçura e o encanto de uma princesa sem trono, amada por seu povo. Diana Spencer, foi muito mais do que a esposa do herdeiro do trono da Inglaterra. O acidente aconteceu no Túnel de l´Alma, em Paris. A princesa e seu namorado, Dodi Al Fayed, viajavam em um Mercedes Benz com o motorista e um guarda-costas. Sua morte comoveu a opinião pública, Seu funeral, em setembro de 1997, foi assistido globalmente por cerca de 2,5 bilhões de pessoas.

Diana Frances Spencer nasceu em Sandringham, Inglaterra em 1º de julho de 1961. Lady Di foi a primeira esposa de Charles, Príncipe de Gales, filho mais velho e herdeiro aparente da Rainha Elizabeth II. Seus dois filhos, os príncipes William e Harry, são respectivamente o segundo e o terceiro na linha de sucessão aos tronos do Reino Unido, do Canadá, da Austrália, da Nova Zelândia e de outros doze países da Commonwealth.

Diana tornou-se uma das mulheres mais famosas do mundo: um ícone da moda, um ideal de beleza e elegância feminina, admirada por seu trabalho de caridade, em especial por seu envolvimento no combate à AIDS e na campanha internacional contra as minas terrestres. O casamento com Charles terminou em 1996, após vários escândalos tanto por parte do príncipe como da princesa.

Passados treze anos da sua morte, a "Princesa do Povo" (termo cunhado pelo ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair) continua sendo uma das celebridades mais constantes na imprensa, servindo de tema para milhares de livros, jornais e revistas. O seu nome é citado pelo menos 8 mil vezes por ano na imprensa britânica.

Para o multimilionário Mohamed Al Fayed, seu filho e a companheira foram vítimas de um complô planejado pelos serviços secretos britânicos - a mando de um membro "importante" da família real - para impedir um iminente casamento entre os dois e o fato de Diana estar grávida. O carro em que Dodi e Diana trafegavam bateu ao entrar em alta velocidade em um túnel de Paris na madrugada de 31 de agosto de 1997. Testes feitos com o corpo do motorista indicaram que ele estava embriagado. Uma investigação conduzida pelo então chefe da Scotland Yard, Lord Stevens concluiu em dezembro de 2006 que a morte de Diana, Dodi e do motorista Henri Paul foi um "trágico acidente". Apesar das conclusões da investigação, Mohamed rejeitou todos os argumentos de Stevens. Segundo o milionário, além de noivos, Dodi e Diana iriam ter um filho muito em breve. No entanto, segundo Stevens, nenhum dos vários amigos e familiares de Diana ouvidos pelos investigadores sabiam dos supostos planos do casal. Em um trecho do inquérito, Lady Annabel Goldsmith, amiga íntima de Diana, relata uma conversa que teve dois dias antes do acidente: "Eu perguntei: 'Você não está fazendo nenhuma besteira, como casar-se, está?' Ela respondeu: 'Imagina. Eu estou sendo mimada, e tendo um momento maravilhoso, Annabel. Eu preciso de um casamento tanto quanto de uma espinha no meu rosto”.

Um homem que correu em direção ao veículo acidentado de Diana no túnel da ponte d'Alma, em Paris, disse que ouviu a princesa dizer "Oh, meu Deus". Damian Dalby viajava com seu irmão e alguns amigos a Paris, quando se depararam com o terrível acidente no túnel da ponte d'Alma. "Saía fumaça do veículo. Queria parar o motor, mas não consegui", disse a testemunha, acrescentando que a porta direita traseira do veículo estava aberta, e que viu uma mulher sentada na parte de trás, mas que não se deu conta de imediato que era a princesa. Um dos amigos que estavam com a testemunha, Sebastien Masseron, ouviu um dos fotógrafos gritar "volta, volta, está viva" para um colega que estava de moto no final do túnel. Outra mulher que estava no mesmo carro que Masseron, Audrey Lemaigre, também ouviu um dos fotógrafos dizer: "Está viva, está viva".

"Ela disse que iria morrer ou ser morta numa batida de carro e foi isso o que aconteceu a ela e a meu filho", testemunhou Al Fayed sobre a morte do casal. Al Fayed usou seu depoimento como a melhor oportunidade até hoje para dar publicidade à sua teoria de que Diana e seu namorado Dodi foram mortos numa conspiração envolvendo o serviço secreto britânico e o príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II. Investigações promovidas pelas polícias francesa e britânica concluíram que o desastre de 31 de agosto de 1997 foi um acidente, e que o motorista Henri Paul, que também morreu, estava bêbado e em alta velocidade. "A princesa Diana me disse que tinha prova de que sua vida estava em perigo e que ela a mantinha numa caixa de madeira", afirmou Al Fayed.Segundo ele, Diana disse que se algo ocorresse a ela, "tenho de garantir que o conteúdo dessa caixa seja tornado público".

A caixa conteria cartas do príncipe Philip a Diana. Todas desapareceram. Al Fayed reafirmou sua avaliação de que o príncipe Philip é um racista e nazista que não podia aceitar que a princesa Diana, mãe do futuro rei britânico, se cassasse com um árabe e muçulmano. Disse ainda que o príncipe Philip deveria "voltar para a Alemanha" - numa referência aos ancestrais germânicos dele. Al Fayed denunciou que o príncipe Charles, ex-marido de Diana, fez parte do complô, a fim de abrir caminho para se casar com Camila Parker Bowles. O bilionário repetiu que que o embaixador britânico em Paris ordenou que o corpo dela fosse embalsamado para acobertar a gravidez e que a equipe médica francesa que a atendeu fazia parte do complô.

A história de Lady Di é a história da mulher moderna, vítima da falta de amor. Terna, romântica e generosa. Apesar de ser assediada constantemente pela mídia, Diana também soube se aproveitar dela em nome de várias causas. Suas obras beneficentes e sua excepcional capacidade de ajudar os desfavorecidos tiveram grande influência no Reino Unido. E de fato, suas campanhas contra as minas e a favor das vítimas da AIDS foram as que tiveram a maior repercussão. Ela era adorada pelas estrelas do pop e sempre será lembrada como mãe exemplar por seus filhos: William e Harry. Sem dúvida, ela foi e sempre será a princesa do povo britânico. Seus restos descansam em uma ilha no meio de um lago artificial situado na residência de Althorp, uma mansão do século XVI que pertence à família Spencer há mais de quinhentos anos.




CONCERTS FOR THE PEOPLE OF KAMPUCHEA

2 comentários:
Em 1979, entre os dias 26 e 29 de dezembro, Paul McCartney organizou os espetáculos em ajuda à UNICEF e aos refugiados do Camboja (Concert For The People Of Kampuchea). Participaram dos shows (todos em Londres), os Wings, Queen, The Who, The Pretenders, The Clash, Elvis Costello, Ian Dury & the Blockheads, The Clash, Rockpile, Dave Edmunds, Nick Lowe, Robert Plant, entre outros. Logo depois, Paul e seus Wings partiram para uma turnê ao Japão, onde Paul McCartney foi preso ao desembarcar no aeroporto por porte de maconha (220g). Ele ficou preso por nove dias antes de ser deportado do país. O incidente marcou o fim dos Wings. Em compensação, no mesmo ano, o Guinness, Livro dos Recordes declarou-o como o compositor musical de maior sucesso da história da música pop mundial de todos os tempos.

FAIXAS:

01- Baba O'Riley (Townshend) - The Who 5:12
02- Sister Disco (Townshend) - The Who 5:16
03- Behind Blue Eyes (Townshend) - The Who 3:36
04- See Me, Feel Me (Townshend) - The Who 5:49
5 The Wait (Hynde, Fandon) - The Pretenders 3:28
6 Precious (Hynde) - The Pretenders 3:2393,
7 Tattooed Love Boys (Hynde) - The Pretenders 3:18
8 The Imposter (Costello - Elvis Costello & The Attractions 2:10
9 Crawling from the Wreckage (Parker) - Rockpile 3:02
10 Little Sister (Pomus, Sherman) - Rockpile With Robert Plant 3:33
11 Now I'm Here (May) - Queen 6:49
12 Armagideon Time (Bennett) - The Clash 4:15
13 Hit Me With Your Rhythm Stick (Dury, Jankel) - Ian Dury and the Blockheads 4:30
14 Monkey Man (Hibbert) - The Specials 2:26
15 Got to Get You into My Life (Lennon & McCartney) - Paul McCartney & Wings 2:57
16 Every Night (McCartney) - Paul McCartney & Wings 4:17
17 Coming Up (McCartney) - Paul McCartney & Wings 4:08
18 Lucille (Collins, Penniman) - Rockestra 3:03
19 Let It Be (Lennon & McCartney) - Rockestra 4:12
20 Rockestra Theme (McCartney) - Rockestra 2:30

QUEM FAZ O QUÊ NA ROCKESTRA: Piano: Paul McCartney - Keyboards: Linda McCartney, Tony Ashton, Gary Brooker - Guitars: Denny Laine, Laurence Juber, James Honeyman-Scott, Dave Edmunds, Billy Bremner, Pete Townshend, Robert Plant - Bass: Paul McCartney, Bruce Thomas, Ronnie Lane, John Paul Jones - Drums/Percussion: Steve Holley, Kenney Jones, Tony Carr, Morris Pert, Speedy Acquaye, John Bonham - Horns: Howie Casey, Steve Howard, Thaddeus Richard, Tony Dorsey - Vocals: Paul McCartney, Linda McCartney, John Paul Jones, Ronnie Lane, Bruce Thomas e Robert Plant. É mole?

Vamos baixar o discão?
http://www.4shared.com/file/HtilMIaK/1981__Concerts_For_The_People_.html

E para fechar com chave de ouro, Mr. Paul McCartney comandando sua rockestra estrelada de grandes astros! Abração! Valeu!


OS LINKS DO ESPECIAL BADFINGER

2 comentários:

Carlos Alberto Cabeh disse: "Edu, só para colaborar: a primeira música do álbum "THE DODGERS" não baixa. O álbum "AIRWAVES" pede senha para deszipar. O álbum "MIKE GIBBINS – A PLACE IN TIME" não tem nada no arquivo. Os outros downloads consegui baixar. Ficou muito bom o teu trabalho. Gostei! Parabéns!" Um abraço, Cabeh!

Caros amigos: verifiquei todos os links de um por um! Os que estavam quebrados ou com algum problema, já estão atualizados. Podem baixar à vontade. Abração a todos! Edu

OS CARTÕES POSTAIS DO BAÚ DO EDU

8 comentários:
Todos os amigos e seguidores do Baú do Edu que enviarem um e-mail para eduardobadfinger@gmail.com (com nome e endereço completo) e deixarem seus comentários aqui no blog, receberão o seu kit com 16 cartões postais em sua casa e sem custo algum! Não deixem de participar! Abração!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

McCARTNEY II - COMING UP EM DOSE DUPLA!

Um comentário:




“Coming Up” foi gravado durante o verão de 1979 como compacto. E arrebentou! Um mês depois em "McCartney II", Coming Up era o carro-chefe do discão duramente criticado. Para promover o single, Paul não economizou. O vídeo de “Coming Up” que explodiu no mundo inteiro, inclusive no Brasil, foi exibido nas principais emissoras do planeta. Nunca, até então, um astro-pop havia investido tanto. O clip foi gravado em março de 1980. O cineasta Keef McMillan usou uma nova mesa computadorizada para fazer Paul aparecer como dez pessoas diferentes ao mesmo tempo! Inteligentemente, Paul batizou a suposta “banda” de “THE PLASTIC MACS” Paul fez Buddy Holly, Frank Zappa, Ron Mael, Andy Mackay, Ginger Baker , e ele mesmo como o Beatlezinho na época da Beatlemania. Eu adoro "Coming Up", a última canção de Paul McCartney que Lennon ouviu. E odiou, claro. E agora, o pau quebra com o velho Macca e seus Wings em "Coming Up", ao vivo! Mata o velho, mata!


domingo, 29 de agosto de 2010

SPLINTER - THE PLACE I LOVE - EXCELENTE!

Um comentário:
Muita gente pediu que atualizasse o link desse disco fantástico. Aí está, galera!
Este disco, "THE PLACE I LOVE" do SPLINTER, é uma jóia rara! É um dos maiores momentos da música pop dos anos 70 e também da carreira de George Harrison como produtor.

COSTAFINE TOWN - SPLINTER - A PÉROLA!



Dirty old hole in the side of the road
For the man who cleans the streets
Opened up doors where the working class goes at night
Written on walls where the cats have a crawl
For the grass along the top
Man I was born there, I'm gonna walk right back
Costafine town, it's a fine town
I'm coming home
I feel so lonely, I been too long away
Costafine town, it's a fine town
I'm coming home
I wish I'd never made up my mind to stray
Nobody owns all the dirty old clothes
That are lying in the lane
Whistling loud before their shift has gone
Little old man with the pole in his hand
Lighting lamps along the way
Hurry me back there, I wish I'd never gone
Costafine town, it's a fine town
I'm coming home
I feel so lonely,
I been too long away
Costafine town, it's a fine towI'm coming homeI wish I'd never made up my mind to stray ...

“COSTAFINE TOWN” é uma canção linda que nos remete imediatamente a metade dos anos 70. O ex beatle George Harrison quando resolveu se aventurar na área da produção, fez isso com bastante competência. Harrison produziu ou participou indiretamente em discos do Badfinger, Billy Preston e outros menos importantes. Mas foi exatamente com a dupla Splinter que o guitarrista conseguiu seu melhor desempenho como produtor. Apesar da capa muito pobre o álbum The Place I Love é de uma sonoridade impressionante, o power pop do Splinter lembra de cara os melhores trabalhos do Badfinger, os arranjos de cordas estão sutilmente colocados com passagens bem delicadas. A dupla formada pelos cantores Bob Purvis e Bill Elliott não toca nenhum instrumento, entretanto o time que os acompanha é uma verdadeira seleção: o próprio George Harrison usando o pseudônimo Hary Georgeson ou Jay Raj Harisein, Billy Preston, Jim Keltner, Gary Wright, Alvin Lee, Mike Kelly, Mel Collins e Klaus Voorman. Entre as músicas de destaques estão: Somebody's city, Gravy Train e Costafine Town.

Bob e Bill gravariam mais três discos ainda na década de 70, mas nada que superasse essa pérola ainda desconhecida. Em 1984 eles encerraram a carreira. Para fazer o DOWNLOAD dessa verdadeira preciosidade:
http://www.4shared.com/file/9GH7l4B9/Splinter_ThePlace_I_love_obaud.html

THE BEATLES AT THE CANDLESTICK PARK

Um comentário:


29 de agosto de 1966. Foi o dia do último concerto dos Beatles, no Candlestick Park, em São Francisco. Depois de trinta dias de histeria, rock and roll, hotéis, estádios, medo e insegurança,os Beatles decidem que esse capítulo está encerrado. Fim das cansativas e intermináveis turnês.


Para fazer o download do discão, clique no link:
http://www.4shared.com/file/ORGEHV0Y/1965_-__Candlestick_Park__Live.html

THE SONGS:
01 - Rock And Roll Music

02 - She's A Woman
03 - If I Needed Someone
04 - Day Tripper
05 - Baby's In Black
06 - I Feel Fine
07 - Yesterday
08 - I Wanna Be Your Man
09 - Nowhere Man
10 - Paperback Writer
11 - Long Tall Sally

THE BEATLES AT THE CANDLESTICK PARK


sexta-feira, 27 de agosto de 2010

45 ANOS DO ENCONTRO DE ELVIS COM OS BEATLES

6 comentários:
No dia 27 de agosto de 1965, depois de muitos telefonemas entre Brian Epstein e o Coronel Tom Parker, foi arranjado o encontro de Elvis com os Beatles. A visita dos Beatles ao rei do rock aconteceu em sua casa, em Bel Air. Não existem muitas evidências, até hoje, de qualquer produto áudio/visual relevante. A única imagem alusiva ao encontro de Elvis com os Beatles é uma foto em que John Lennon aparece saindo da casa de Elvis. Anos mais tarde apareceu uma outra onde Elvis aparece segurando um baixo e John sua rickenbaker. No documentário The Beatles Anthology, de 1996, os ex-beatles Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr,dizem que jamais tocaram com Elvis, e que somente John o fizera. No mesmo documentário, Ringo, para os biógrafos confiáveis, a grande estrela da noite em simpatia e camaradagem geral, disse ter jogado futebol com Elvis.


quinta-feira, 26 de agosto de 2010

THE HOLLIES - HAVE YOU EVER LOVE SOMEBODY

2 comentários:



Êita, bandinha boa, sôr! A postagem com THE HOLLIES foi publicada originalmente no dia 13 de fevereiro de 2009. Quem quiser ver ou rever, aí vai o link:
http://obaudoedu.blogspot.com/2009/02/siperbandas-inesqueciveis.html

THE BEATLES - NOT A SECOND TIME - ÓTIMO!

2 comentários:

"AS 100 MELHORES CANÇÕES DOS BEATLES"

5 comentários:
A edição americana da revista "Rolling Stone" publicou um ranking com as 100 melhores canções dos Beatles. Composta por John Lennon Paul McCartney, "A Day In The Life", ficou com o primeiro lugar. A música é do álbum "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band", de 1967. A segunda posição ficou para o single "I Want To Hold Your Hand", de 1963. Completando o pódio está "Strawberry Fields Forever", da trilha do filme "Magical mistery tour", também de 1967.A lista foi publicada como parte de uma edição especial de colecionador entitulada "The Beatles: 100 Greatest Songs". O lançamento coincide com o aniversário de 40 anos de "Let It Be", o 12º álbum oficial de estúdio da banda lançado em 1970.

Veja o top 10:

1. "A Day In The Life"
2. "I Want To Hold Your Hand"
3. "Strawberry Fields Forever"
4. "Yesterday"
5. "In My Life"
6. "Something"
7. "Hey Jude"
8. "Let It Be"
9. "Come Together"
10. "While My Guitar Gently Weeps"

terça-feira, 24 de agosto de 2010

ESPECIAL BADFINGER - POSTAGEM Nº 1000

33 comentários:
Ufa! Terminei. Achei que não conseguiria. Passaram-se 2 anos desde o início do blog e quase 10 desde quando comecei a imaginar como e quando “minha bandinha suja” teria uma homenagem à sua altura. Decidi que seria hoje faz uns 4 meses quando percebi que a postagem nº 1000 coincidiria com o aniversário de 2 anos do nosso blog preferido. De lá para cá, foi só trabalho e ralação. Copiando os discos, fazendo os uploads, organizando uma bagunça sem fim depois de tantos anos, tantos computadores, tantos disquetes e tantos CDs. E o mais importante: tentando organizar a história, enfim. Hoje, particularmente, sinto-me feliz e emocionado. Minha relação com Badfinger começou somente no início dos anos 90. No tempo que tinha um amigo – o saudoso Joaquim Jardim – que comandava o programa “BEATLES REVOLUTION” na Rádio Nacional. Acontece que eu tinha algumas raridades dos Beatles que ainda não haviam saído em CD. E, de vez em quando emprestava para meu amigo fazer o programa. Em troca, assistia pessoalmente as gravações. Num belo sábado à tarde, o Joaquim me disse que ia me apresentar uma bomba: era “NO MATTER WHAT” com Badfinger. Pronto! Começou tudo de novo! Como quando fiquei paralizado pelos Beatles há tantos anos. Novamente, não tinha nem sabia nada sobre eles. Começava ali a minha luta. Hoje, graças a Deus, tenho todos os discos oficiais (em LPs, K7s e CDs) e quase todos das carreiras-solo. E mais um monte de pirataria. Nenhuma outra história de qualquer banda de rock, pode se comparar a história de Badfinger. Afortunados pelo apadrinhamento dos Beatles, o futuro parecia promissor. Veio o sucesso e tudo de bom e ruim que ele pode trazer. O futuro promissor? Mostrou-se negro e assustador. Hoje, somente Joey Molland ainda está vivo (e bem vivo!) levando o nome BADFINGER aonde quer que vá. O Baú do Edu tem agora o prazer de apresentar finalmente o nosso “ESPECIAL BADFINGER”. Mostrando toda a trajetória da banda que chegou a ser apontada como a promessa de “melhor do mundo” depois do fim dos Beatles. Como ficou muito grande, tive que dividir em 4 partes:

ESPECIAL BADFINGER – PART 1 – MAYBE TOMORROW
http://edu-badfingerboogie.blogspot.com/2010/08/especial-badfinger-part-1-maybe.html

ESPECIAL BADFINGER – PART 2 – BETTER DAYS
http://edu-badfingerboogie.blogspot.com/2010/08/especial-badfinger-part-2-better-days.html

ESPECIAL BADFINGER – PART 3 – HEAD FIRST
http://edu-badfingerboogie.blogspot.com/2010/08/especial-badfinger-part-3-head-first.html

ESPECIAL BADFINGER – PART 4 – SAY NO MORE
http://edu-badfingerboogie.blogspot.com/2010/08/especial-badfinger-part-4-say-no-more.html

Para comemorar, a gente curte agora uma pequena animaçãozinha que começei a fazer em 2004 e só agora, com a ajuda do amigo Jean Cláudio, meu parceiro aqui na agência, consigo, pelo menos mostrar para vocês. Gostaria de agradecer e deixar um abração a cada um que está sempre acessando o blog e deixando seus comentários. Valeu! Viva o Baú! BEATLES 4 EVER! BADFINGER BOOGIE! YEAH!

BADFINGER - PETE HAM - PETE'S WALK - O BAÚ DO EDU




O BAÚ DO EDU VALE OURO!!!

7 comentários:

As comemorações do aniversário de 2 anos do Baú do Edu têm me dado a honra de receber vários tipos de presentes. Para mim, todos valem ouro. Mas, este em especial, com certeza vale um pouquinho mais que os outros. É um anel de ouro maciço com a gravação "O BAÚ DO EDU". O presentão foi me dado pelo amigo Francisco Venâncio. Dono da rede SF Jóias. Quase não acreditei. Mas desde o dia que ganhei, nunca mais tirei do dedo. Querido Chico: aquele abração e espero que você continue cada dia alcançando mais sucesso nas sua realizações! Sem palavras! Em sua homenagem, os Beatles e o megasucesso "Can't Buy Me Love". Valeu!


segunda-feira, 23 de agosto de 2010

ANIVERSÁRIO DA JEANNIE!

Nenhum comentário:

THE BEATLES - HELLO GOODBYE

2 comentários:

O DIA QUE MEU FUSCA VIROU BEATLE

2 comentários:
O Dia que Meu Fusca Virou Beatle
Eduardo Bonfim
História pubicada no site http://www.thebeatles.com.br/

em outubro de 2004, na coluna BeatleFics sob o pseudônimo Edmundo Macalé.

Em agosto de 1969, eu estava em Londres. Como o Brasil atravessava um período muito difícil, resolvi me exilar nestas terras por onde às vezes o tempo parece não passar, mas passa. Na época tinha 22 anos e até então nunca havia sido, nem me sentido como um Beatlemaníaco. Mas naquela doce manhã de agosto, mais precisamente no dia 8, aconteceu um fato que mudou bastante minha vida e a forma de ver as coisas. Vivia hospedado na casa de um casal de amigos. Desmond e Molly Jones, numa rua chamada Abbey Road. Nesta rua, ao lado da casa dos meus amigos, havia o famoso estúdio onde os Beatles gravavam todos os seus sucessos. Desde que cheguei, me acostumei a ver todos os dias um monte de fãs que viviam aglomerados ao lado do muro na árdua tentativa de ver um dos quatro Beatles, ou os quatro. Mas nunca tinha prestado maiores atenções. Pois bem, naquela época eu tinha (e ainda tenho!) um fusquinha branco, ano 1966, placa 28IF.
Levantei bem cedo, pois havia marcado uma entrevista para um possível emprego. Quando saí de casa, tomei um susto! Lá fora havia muito mais fãs do que de costume. Estavam todos muito agitados. Havia também um batalhão de fotógrafos. Indaguei com um vizinho - um certo Mr. Mustard - sobre o que estava acontecendo. Ele me disse que os Beatles iriam fazer uma sessão de fotos para a capa do seu novo álbum. Bem ali, no meio da rua. Me disse também que a polícia havia fechado o trânsito pela próxima meia hora. Meia hora? Não era possível. Iria perder minha entrevista! Meio chateado e meio descontente, decidi fazer parte daquilo tudo e fui me juntar, curioso, ao bando de fãs para ver o que aconteceria.
Qual não foi minha surpresa ao ver os quatro Beatles sairem do estúdio e formar uma fila indiana bem na beira da calçada, perto de onde eu estava. A tal foto seria tirada quando eles estivessem no meio da faixa de pedestres. Pelo local onde o fotógrafo deles se posicionou, percebi que naquela foto haveria um coadjuvante muito especial: Meu fusquinha branco estacionado na porta de casa. A sessão não demorou tanto. Mais ou menos uns dez minutos. Eles atravessaram a faixa sete vezes. Indo e vindo. Então o fotógrafo gritou: “Ok. I got it!”. Os quatro Beatles foram atenciosos com os fãs e distribuiram vários autógrafos antes da polícia liberar o trãnsito. Depois, voltaram para o estúdio e a multidão foi se dispersando.
Corri para meu fusquinha e consegui o emprego! Como disse, aquele dia mudou minha vida. Hoje sou um velho Beatlemaníaco e guardo com muito carinho tudo o que se refere a eles. Principalmente as lembranças. Tenho uma coleção de artefatos maravilhosos, dentre os quais, com certeza, o preferido é meu fusquinha branco que ficou imortalizado na capa do LP Abbey Road. Aquele disco foi o último dos Beatles como conjunto. Curioso é que se encerra com um verso que significa muito para cada fã: “ E, no final, o amor que você leva é igual ao amor que você faz”. Thanks, Beatles!

domingo, 22 de agosto de 2010

THE BEATLES - I'M HAPPY JUST TO DANCE WITH YOU

Um comentário:

OS CARTÕES POSTAIS DO BAÚ DO EDU

7 comentários:
Dia 24 de agosto de 2008 foi o dia que fiz a minha primeira postagem no nosso blog preferido: "O Dia Que Meu Fusca Virou Beatle". Ano passado, para comemorar o aniversário de 1 ano, mandei fazer as camisetas vemelhonas que acabaram rapidamente e eu mesmo não tenho uma! Este ano resolvi aceitar a sugestão do amigo Marco Miranda e fazer um kit com 16 cartões postais das "capas" mais bonitas e representativas desde o início do blog. Serão confeccionados apenas 100 kits. Todos os amigos e seguidores que enviarem um e-mail para eduardobadfinger@gmail.com (com nome e endereço completo) e deixarem seus comentários receberão o seu sem custo algum em sua casa! Não deixem de participar. Já tá valendo!

sábado, 21 de agosto de 2010

O VELHO JOHN LENNON DA CASA MAESTRO

9 comentários:
Quando eu era um jovem beatlemaníco, com 14 anos vivia perambulando pelos únicos dois shoppings (o Conjunto Nacional e o Venâncio 2000) da cidade em busca de novidades dos Beatles. No Venâncio 2000, havia uma loja que eu adorava visitar. A Casa Maestro. E não era só pela beleza dos instrumentos. Era por causa de um poster do John Lennon no tempo dos Beatles com a Ricky e fumando. Passava horas admirando aquela imagem e, sempre ao ir embora, me dirigia ao gerente, que me levava até o dono rabujento da loja. Lá, eu oferecia o dinheiro que ele quizesse pelo poster. Ele sempre disse não. Muito bem. Os anos passaram, a Casa Maestro do Venâncio 2000 fechou e parecia que o poster do Lennon havia se perdido para sempre. Agora, mais de 30 anos depois, finalmente ele é meu e vai estar aqui para sempre comigo, enquanto viver. Certa vez estava conversando com um grande amigo e lhe contei a história do tanto que eu gostava daquele poster. Quando terminei ele me disse que sabia onde estava o velho quadro do Lennon e eu não acreditei. Até porque esse meu amigo é muito mentiroso. Passou-se mais de um mês e já tinha até esquecido daquela conversa, quando ele chegou aqui na minha casa trazendo o quadro. De presente pelo niver do Baú do Edu. A magnífica imagem de John Lennon com sua guitarra estava em um depósito numa chácara do dono da Casa Maestro vizinha da do meu amigo. E os dois se conheciam e eram amigos. Aí, foi fácil! Prezado Cícero: você não imagina o que isso significa para mim! Obrigadão! Forever! Abração!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

COMENTÁRIO SOBRE OS COMENTÁRIOS...

9 comentários:

O GRANDE PETER FRAMPTON EM BRASÍLIA! ÔBA!

2 comentários:
Sucesso nos anos 70, Peter Frampton vem ao Brasil em setembro para cinco shows em Brasília, Rio de Janeiro, Porto Alegre, São Paulo e Belo Horizonte. Antes de chegar aqui, o cantor passa por Santiago, no Chile, e Buenos Aires, na Argentina, para mostrar o disco que lançou no início de 2010, Thank You Mr. Churchill, álbum que será tocado nas apresentações.

O cantor, compositor e instrumentista de 60 anos começou a carreira aos 16, quando foi vocalista e guitarrista da banda britânica The Herb. Aos 18, ele co-fundou o Humble Pie, com Steve Marriott, do Small Faces. O sucesso veio apenas com a carreira solo, nos anos 70, quando estourou com as músicas Show Me the Way, Baby, I Love Your Way e Breaking All The Rules. Em Brasília, o showzaço vai ser no Centro de Convenções Ulysses Guimarães no dia 9 de setembro e os ingressos custarão entre 120 e 300 reais. Já comecei a juntar um dinheirinho!

ISTO É HOLLYWOOD - 1982 - MUITO BOM!

Nenhum comentário:

01. Peter Frampton - Breaking all the rules (extended)
02. Asia - Only time will tell
03. Journey - Stone in love
04. REO Speedwagon - Keep the fire burning
05. Survivor - Eye of the tiger
06. Kansas - Play the game tonight
07. Santana - Hold on
08. The Police - Every little thing she does is magic
09. Toto
- Rosanna
10. Alessi Brothers - All for a reason

DOWNLOAD NOW!

http://www.4shared.com/file/rOMm5oiP/Isto__Hollywood_-_1982_obaudoe.html

terça-feira, 17 de agosto de 2010

O VELHO MANDOU DIZER:

5 comentários:

EASY RIDER - CADA UM COM SEU DESTINO!

4 comentários:
No dia 17 de julho de 1969, estreou nos EUA o filme "Easy Rider", clássico da geração hippie. Com direção de Dennis Hopper e música dos principais grupos de rock da época, o filme foi um sucesso mundial. “Sem Destino” é um clássico entre os cult movies. Conta a história de dois rapazes que estão viajando de motocicleta de Los Angeles para New Orleans, nos Estados Unidos para fazer uma parada de drogas. Billy é interpretado por Dennis Hooper, também diretor do filme, e Peter Fonda personifica Wyatt. Durante o percurso, a dupla faz uma parada numa comunidade hippie e acaba atrás das grades. Lá, os motoqueiros conhecem o jovem advogado George Hanson, vivido por Jack Nicholson, um alcoólatra de boa família e modos um tanto vulgares. Por causa de seus cabelos longos, os dois viajantes são discriminados. No final do filme, os motoqueiros são abatidos a tiros por rednecks reacionários.

Um fim pré-programado. O advogado Hanson diz que "Wyatt e Billy eram a favor da liberdade e precisavam ser eliminados". Em julho de 1969, o filme estreou no Teatro Beekman, em Nova York. Os jovens, descalços, aglomeravam-se pelos corredores. Nos banheiros, o cheiro de maconha era inconfundível. Nunca o teatro havia abrigado tal público. O mundo descrito em Sem Destino, que retrata os anseios e os sentimentos de grande parte da geração americana do final dos anos 60, desencadeou reações adversas. O jornal The New York Times publicou uma carta na qual um leitor escreveu que o filme era o cúmulo do mau gosto. Os opositores mais radicais aplaudiam com veemência durante a cena final, quando os dois protagonistas morrem de forma brutal. Sem Destino teve ainda sua exibição proibida em dois estados americanos.

Na época, Peter Fonda declarou que seu personagem representava aqueles que sentem que a liberdade pode ser adquirida, que acreditam ser possível encontrar a liberdade em cima de uma moto ou fumando um cigarro de maconha. Sem Destino exibe os rebeldes, assim como toda a juventude alternativa, como vítimas da soberana sociedade americana. O filme foi rodado em sete semanas com um orçamento de 500 mil dólares. O dinheiro foi recuperado com a bilheteria de um cinema em apenas uma semana de exibição. O longa-metragem arrecadou mais de 19 milhões de dólares. Vale lembrar que nenhum grande estúdio apostou no sucesso de Sem Destino, um filme que divulgou o melhor do rock dos anos 60 e, segundo o crítico Buck Henry, abriu as portas para uma nova geração.EASY RIDER - SOUNDTRACKO filme conta com um trilha sonora memorável, com grandes nomes do rock na época, like Jimi Hendrix com a música “If Six Was Nine”, Fraternity Of Man, The Byrds com “Wasn’t Born To Follow”, e contribuições de Roger McGuinn, uma delas é a importante “Ballad Of Easy Rider”, e a mais que clássica, o hino dos motoqueiros: ”Born To Be Wild” do Steppenwolf, consagrada exatamente pelo filme. Outra canção também do Steppenwolf, aparece no álbum na ótima faixa de abertura “The Pusher”
.
01- Steppenwolf - The Pusher
02- Steppenwolf - Born to be Wild
03- Smith -
The Weight
04- The Byrds - Wasn't Born to Follow
05- The Holy Modal Rounders - If You Want to be a Bird
06- Fraternity of Man -
Don't Bogard Me
07- Jimi Hendrix Experience - If Six was Nine
08- Electric Prunes - Kyrie Eleison Mardi Gras
09- Roger McGuinn -
It's Alright Ma (I'm Only Bleeding)
10- Roger McGuinn -
Ballad of Easy Rider

E agora a gente fica com os superbacanas do Steppenwolf e o megaclássico "Born to Be Wild".


ATENDENDO A PEDIDOS: YESTERDAY

2 comentários:
Na manhã do dia 11 de maio de 1965, Paul McCartney acordou com uma melodia na cabeça que tinha todo o frescor de um sonho. Imediatamente ele foi para o piano em Wimpole Street, em Londres, e tocou a música inteirinha, completa, com primeira e segunda parte. Ainda não tinha letra e ele a chamou de Scrambled Eggs. “ Scrambled Eggs, oh my baby how i love your legs...” Mas Paul ficou encucado, achando que já tinha ouvido aquela melodia em algum lugar. Então passou vários dias mostrando para os amigos e perguntando se eles já não a conheciam. Paul McCartney fez a letra definitiva para a canção que ganhou o título de YESTERDAY, enquanto dirigia para Algarve, em Portugal. A canção fala sobre um amor perdido. Foi a primeira canção gravada pelos Beatles que só trazia a participação de apenas um integrante do grupo, Paul. Cantando e tocando violão, acompanhado por um quarteto de cordas. YESTERDAY é a canção mais regravada da história, tendo sido interpretada por outros cantores mais de três mil vezes. Todos fizeram sua coverzinha de "yesterday". Frank Sinatra, Ray Charles, Elvis Presley, Roberto Carlos e Plácido Domingo.


BRINCANDO COM DISCOS DE VINIL

Um comentário:






Enviado por Jonas Ferreira. Jonas Neto, aquele abraço!!!