domingo, 31 de outubro de 2010

AVISO AOS NAVEGANTES: O BAÚ DO McCARTNEY

2 comentários:
Se é que existe alguém que visite nosso blog preferido e não goste de Paul McCartney, (duvido muito!), especialmente esta semana (que antecede sua volta ao Brasil depois de 23 anos) e durante todo este mês de novembro não devem nem passar por aqui. O Baú do Edu vai dedicar toda sua atenção à volta do maior artista do planeta! Todos os dias, haverá um discão para download, além de matérias especiais homenageando nosso maior ídolo. E o álbum de amanhã será o “Unplugged”, de 1991. Valeu! Abração! A gente fica agora com "I OWE IT ALL TO YOU" do álbum "Off The Ground" - para mim - um dos tantos melhores momentos dessa carreira maravilhosa e absolutamente genial!

McCARTNEY! VENHA LOGO!
ESTOU LHE ESPERANDO!

CUIDADO! HOJE É O DIA DAS BRUXAS!

2 comentários:

MAGICAL MYSTERY TOUR - LINK RENOVADO

2 comentários:
Aproveitando que hoje é dia das bruxas, algumas pessoas pediram um novo link para o "Magical Mystery Tour" - 2009 - Remasterizado. Aí vai logo abaixo!

DOWNLOAD:
http://www.4shared.com/file/BYxr-fOA/btls_M_M_T_09_obaudoedublogspo.html

Para conferir a postagem original:
http://obaudoedu.blogspot.com/2010/07/magical-mystery-tour-remasterizado.html

THE BEATLES - YOUR MOTHER SHOULD KNOW

PAUL McCARTNEY - CHOBA B CCCP - O ÁLBUM RUSSO

4 comentários:
Em 31 de outubro de 1988, Paul Mccartney lançou seu primeiro ábum de covers: CHOBA B CCCP, mais conhecido como o álbum Russo. Foi lançado com exclusividade na União Soviética, pela gravadora Meldrya. O impacto causado pelo lançamento do álbum em um mercado fechado à cultura pop ocidental como o soviético foi fulminante e em uma semana vendeu milhares de cópias. Com CHOBA B CCCP, Paul conseguiu alcançar outra memorável marca em sua carreira, tornando-se o primeiro artista ocidental a lançar um álbum em um país comunista. O álbum só chegou nos Estados Unidos e Europa em 1991.

01- Kansas City
02- Twenty Flight Rock
03- Lawdy Miss Clawdy
04- Im In Love Again
05- Bring It On Home To Me
06- Lucille
07- Dont Get Around Much Anymore
08- Im Gonna Be A Wheel Someday
09- Thats All Right Mama
10- Summertime
11- Aint That A Shame
12- Crackin Up
13- Just Because
14- Midnight Special

A gente encerra com um trechinho de Paul e banda em 1990. Summertime. Absurdamente fantástico! Abração!


sábado, 30 de outubro de 2010

GENE VINCENT - THIS IS ROCK AND ROLL!

3 comentários:
Gene Vincent ou Eugene Vincent Craddock nasceu em 11 de fevereiro de 1935.Vincent foi um dos precursores do Rock and Roll e um dos pais do Rockabilly. Seu maior sucesso foi sem dúvida o clássico "Be-Bop-A-Lula" - imortalizado por Presley e tantos outros e lançada no dia 9 de abril de 1956 - começou sua carreira tocando em diversas bandas de música country em Norfolk, Virgínia. Depois de deixar a Marinha com uma lesão permanente na perna, ele assinou contrato com a Capitol Records junto com sua banda de apoio, The Blue Caps. Depois que "Be-Bop-A-Lula" transformou-se no maior sucesso de 1956, Gene Vincent & os Blue Caps não conseguiram emplacar outros hits de tamanha repercusão, mas tiveram uma carreira pontilhada por alguns como: "Bluejean Bop", "Race With the Devil", "Lotta Lovin'", "Crazy Legs" et "Baby Blue". Vincent inclusive foi um dos primeiros astros de rock a estrelar um filme, chamado The Girl Can't Help It.
O fato mais marcante na carreira do artista foi a morte de seu melhor amigo Eddie Cochran em um acidente automobilistico, durante uma turné que faziam juntos pela Inglaterra em 1960. Gene que também estava no veículo teve a antiga lesão de sua perna agravada e até o fim de sua vida não se recuperou psicologicamente do ocorrido. A carreira de Gene teve uma enorme perda de popularidade a partir da metade dos anos 60, com a chegada dos Beatles e a "invasão inglesa", embora ele continuasse a fazer sucesso na Europa, principalmente na Inglaterra e Alemanha.
Passou os últimos anos de sua vida tentando reconquistar o antigo sucesso, mas acabou afundando-se cada vez mais nas bebidas e na depressão. Faleceu na California em 12 de outubro de 1971, de cirrose gástrica. Gene Vincent está enterrado no Eternal Valley Memorial Park em Newhall, Califórnia. Vincent forma junto com Carl Perkins e Eddie Cochran a quintessencia do Rockabilly, sendo sem sombra de dúvidas, os maiores nomes do gênero.

Veja o que os Beatles disseram sobre Gene Vincent no livro ANTHOLOGY
JOHN: “Estivemos em Hamburgo com Gene Vincent e (mais tarde) com LIittle Richard, e ainda são contadas muitas histórias sobre escapadas, especialmente com Gene Vincent, que era um cara rebelde. Conhecemos ele nos bastidores (refiro-me ao banheiro) e ficamos todos emocionados.”
PAUL: “Gene tinha sido fuzileiro naval e estava sempre se oferecendo para me fazer apagar; conhecia dois pontos onde pressionar. Eu dizia: "sái pra lá, cara.Corta essa!" Ele respondia: ora, vamos lá, você só vai ficar apagado por um minuto.”
GEORGE: “Conheci Gene Vincent no Star Club um dia, no intervalo de um show. Ele disse “rápido, vem comigo!” pulamos dentro de um táxi e subimos a Reeprbahn até o apartamento em que ele estava. Estava tenso e irritado - achava que o empresário da turnê estava transando com a namorada dele! Entramos no prédio.Diante da porta do apartamento, Gene abriu o casaco e puxou uma arma. Ele me deu a arma e disse “segura pra mim!”. Começou a chutar a porta e gritar:“Henry, seu canalha! Vou te matar!”. Devolvi a arma e tratei de cair fora o mais rápido possível".
Em homenagem ao grande Gene Vincent, a gente confere agora os espetaculares STRAYCATS quebrando o cacete com "Be-Bop-A-Lula". Abração!



sexta-feira, 29 de outubro de 2010

A MOEDA DO JOHN LENNON

2 comentários:
A moeda de 5 libras (cerca de R$ 13) que traz impresso o rosto do ex-beatle John Lennon começou a ser vendida hoje por 45 libras (cerca de R$ 122). Lançada em comemoração aos 70 anos do músico, morto em 1980, homenagem já foi prestada a nomes como William Shakespeare, Charles Darwin e Winston Churchill. JOHN LENNON FOREVER!

BADFINGER RARITIES - O BAÚ DO EDU

2 comentários:
Certa vez, alguém me perguntou: “Como você pode amar tanto uma banda que nem existe? Que ninguém conhece e ainda com uma história tão triste e trágica?”. “Talvez por todos esses motivos, my friend”. Respondi entristecido. E continuo respondendo. Mas não é só por isso. É porque BADFINGER é uma banda fantástica e sem comparações. Fora os Beatles, claro!

Esse disco, na verdade, era para ser “só de brincadeira”. Fiz apenas um CD com capinha bonitinha e tudo mais, apenas para minha própria coleção, e para meu próprio deleite, como no tempo em que gravávamos as velhas e saudosas fitas cassetes com nossas músicas preferidas de nossas bandas favoritas.

A brincadeira ficou séria, quando alguns amigos que viram e ouviram o piratinha que tinha feito só com “The Badfinger Rarities”, começaram a pedir para “copiar” o disquinho para eles. “Detesto isso!” Respondi. Então, perguntaram porquê eu não colocava logo de uma vez no Baú do Edu. “Medo e ciúme”, tornei a responder. Me convenceram que o “ciúme” já tinha ido pro espaço desde que fiz o “Especial Badfinger”. O “medo” também foi no mesmo caminho. Ok! Se é para o bem de todos e felicidade geral dos Badfinger’s Fans, aí vai:


DOWNLOAD:
http://www.4shared.com/file/CcQXRdY0/Badfinger_Rarities_obaudoedubl.html

E é isso! Por enquanto é só, pessoal! Espero que gostem! Se puder e conseguir, prometo que pelo menos uma vez, todo mês, vai ter um “Especial Badfinger”. Para fechar com chave de ouro, o raríssimo vídeo de “No Matter What”. O original. BEATLES 4 EVER! BADFINGER BOOGIE! Abração! EduBadfinger do Baú do Edu.

BADFINGER - NO MATTER WHAT


WITHOUT YOU - THE TRAGIC STORY OF BADFINGER

Um comentário:
Indo até a página inicial do Google Livros http://books.google.com.br/books e digitando no mecanismo de busca “Without You – The Tragic Story of Badfinger", você é direcionado para o livrão de Dan Matovina completinho. Todas as suas 445 páginas. Original em Inglês. Esse livro é absolutamente fantástico! Vale à pena conferir. Principalmente pelas fotos raríssimas. Agora, a gente fica com a superbanda quebrando pau com o clássico "Better Days", ao vivo! Valeu! Abração! BEATLES 4 EVER! BADFINGER BOOGIE!

BADFINGER - BETTER DAYS

FOTO DO DIA - RINGO STARR

Um comentário:

PAUL McCARTNEY - ONLY MAMA KNOWS

Nenhum comentário:


quinta-feira, 28 de outubro de 2010

GARRINCHA - A ALEGRIA DO POVO!

Um comentário:

"Se há um Deus que regula o futebol, esse Deus é sobretudo irônico e farsante, e Garrincha foi um de seus delegados incumbidos de zombar de tudo e de todos, nos estádios. Mas, como é também um Deus cruel, tirou do estonteante Garrincha a faculdade de perceber sua condição de agente divino. Foi um pobre e pequeno mortal que ajudou um país inteiro a sublimar suas tristezas. O pior é que as tristezas voltam, e não há outro Garrincha disponível. Precisa-se de um novo, que nos alimente o sonho.” Carlos Drummond de Andrade

Muitos, (inclusive eu mesmo!) poderão questionar porque coloquei essa homenagem ao grande "Garrincha - A Alegria Do Povo" - e sacrifiquei a postagem do dia - o discão que fiz do Badfinger, deixando-a em 2º plano. É simples, eu explico: a solicitação foi feita por alguem muito, muito especial, que, no pior momento (meu e da minha família) veio de longe para tentar nos dar algum conforto. Hoje, o Baú do Edu deixa sua homenagem para o maior "Mané" de todos os tempos e um abraço especial para o amigo Antonio Estevam! Valeu!

Se vivo estivesse, o velho “Mané” estaria completando hoje 77 anos. Fico me perguntando e a todos que são de uma de uma geração mais velha e o vimos em ação, se não houvesse ocorrido a morte tão prematura e anunciada. Como estaria o velho Mané? A rima deixa a bola quicando... “bem diferente do Pelé.” Manoel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha nasceu em Magé (RJ), no dia 28 de outubro de 1933, e também morreu no Rio de janeiro em 20 de janeiro de 1983, aos 50 anos, vítima da violenta cirosse hepática depois de tantos anos na cachaça. Sua melhor amiga. Em seu epitáfio "Aqui jaz em paz aquele que foi a Alegria do Povo - Mané Garrincha

Mané Garrincha foi um dos maiores jogadores brasileiros de todos os tempos! Tornou-se famoso por seus dribles fantásticos e desconcertantes, apesar do fato de ter as pernas tortas. Garrincha também é amplamente considerado “o maior driblador da história do futebol”. É pouco? Com 14 anos começou a jogar no Esporte Clube Pau Grande e seu talento, já manifestado, despertou a atenção de Arati: um ex-jogador do Botafogo. Teve uma breve passagem pelo Serrano Foot Ball Club, time de Petrópolis, região serrana do Rio. Foi este o primeiro clube a pagar quantias em dinheiro para que Garrincha jogasse futebol. Após esta passagem pelo Serrano, foi treinar no Botafogo. Não se sabe com certeza quem o levou a fazer um teste no clube, mas nos minutos iniciais do primeiro treino, ele teria dado vários dribles em Nílton Santos, que já era um jogador renomado.

Garrincha casou-se com Nair, namorada de infância, com quem teve oito filhas. Separou-se e ficou casado com Elza Soares por 15 anos (por quem era profundamente apaixonado!). Os dois tiveram um filho, Manuel Garrincha dos Santos Junior, morto aos 9 anos num acidente. Nenem, seu filho com Iraci, sua companheira antes de conhecer Elza, também morreu num acidente de carro em Portugal, em 20 de janeiro de 1992, com 28 anos.Na maior parte de sua carreira Garrincha defendeu o Botafogo (entre de 1953 e 1965) e a Seleção Brasileira (1957 / 1966). Jogou alguns meses no Sport Club Corinthians Paulista (1966) e no Flamengo (1969), porém já estava longe de seu auge. Também passou pelo Olaria (1972). Teve uma partida disputada pelo Vasco, em um amistoso contra a seleção da cidade de Cordeiro (RJ), marcando um gol nesta partida. Sua contratação não foi fechada pela equipe cruzmaltina devido a sua má condição física e foi devolvido ao Sport Club Corinthians Paulista após o supracitado amistoso.

Garrincha jogou 60 partidas pelo Brasil entre 1955 e 1966. Em todos os seus jogos, participou de apenas uma derrota (3 a 1) para a Hungria. É curioso (?) como com Garrincha e Pelé jogando ao mesmo tempo, o Brasil nunca tenha perdido! Nem na Seleção Brasileira, Garrincha nunca abandonou sua forma irreverente de jogar. Voltava a driblar o jogador oponente, no mesmo lance, ainda que desnecessariamente, só pela brincadeira. Nos clubes, jogou 614 vezes, marcando 245 gols pelo Botafogo. Também atuou pelo Corinthians, Flamengo e o Olaria no Brasil, e pelo Atlético Junior da Colômbia. Sua carreira profissional se prolongou de 1953 a 1972. Ok, Garrincha. Jogou muitooooo! Para fechar, claro, um videozinho bem bacana de uns de 7 minutos tentando explicar o que foi o Garrincha! Valeu! Carry On Until Tomorrow! Amanhã, Badfinger volta para cima e o Garrincha será inevitavelmente rebaixado.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

BADFINGER RARITIES - O BAÚ DO EDU

5 comentários:
Certa vez, alguém me perguntou: “Como você pode amar tanto uma banda que nem existe? Que ninguém conhece e ainda com uma história tão triste e trágica?”. “Talvez por todos esses motivos, my friend”. Respondi entristecido. E continuo respondendo. Mas não é só por isso. É porque BADFINGER é uma banda fantástica e sem comparações. Fora os Beatles, claro!

Esse disco, na verdade, era para ser “só de brincadeira”. Fiz apenas um CD com capinha bonitinha e tudo mais, apenas para minha própria coleção, e para meu próprio deleite, como no tempo em que gravávamos as velhas e saudosas fitas cassetes com nossas músicas preferidas de nossas bandas favoritas.

A brincadeira ficou séria, quando alguns amigos que viram e ouviram o piratinha que tinha feito só com “The Badfinger Rarities”, começaram a pedir para “copiar” o disquinho para eles. “Detesto isso!” Respondi. Então, perguntaram porquê eu não colocava logo de uma vez no Baú do Edu. “Medo e ciúme”, tornei a responder. Me convenceram que o “ciúme” já tinha ido pro espaço desde que fiz o “Especial Badfinger”. O “medo” também foi no mesmo caminho. Ok! Se é para o bem de todos e felicidade geral dos Badfinger’s Fans, aí vai:


DOWNLOAD:
http://www.4shared.com/file/CcQXRdY0/Badfinger_Rarities_obaudoedubl.html

E é isso! Por enquanto é só, pessoal! Espero que gostem! Se puder e conseguir, prometo que pelo menos uma vez, todo mês, vai ter um “Especial Badfinger”. Para fechar com chave de ouro, o raríssimo vídeo de “No Matter What”. O original. BEATLES 4 EVER! BADFINGER BOOGIE! Abração! EduBadfinger do Baú do Edu.

BADFINGER - NO MATTER WHAT


JOHN LENNON - MENLOVE AVENUE

2 comentários:
Em 27 de outubro de 1987, foi lançado o álbum “Menlove Avenue” de John Lennon, contendo sobras de estúdio de John no período 1973 e 1974, e as inéditas “Rock ‘n’ Roll People” e “Here We Go Again”. “Menlove Avenue”, cuja capa é uma foto de John pintada por Andy Warhol, não causou grande impacto no hit parade, mas curiosamente ganhou um disco de ouro no Brasil.

A casa em que John morou durante sua infância em Liverpool com sua Tia Mimi localizada na Menlove Avenue

FAIXAS:

01- Here We Go Again
02- Rock And Roll People
03- Angel
04- Since My Baby Left Me
05- To Know Her Is To Love Her
06- Steel And Glass
07- Scared
08- Old Dirt Road
09- Nobody Loves You When You're Down And Out
10- Bless You

DOWNLOAD
http://www.4shared.com/file/RFo_PFv0/JL_Menlove_Ave_obaudoedublogsp.html

THE BEATLES - ALL MY LOVING

Nenhum comentário:

terça-feira, 26 de outubro de 2010

A BOA SURPRESA DA SEMANA: THENEWNO2 - WHAT?

3 comentários:
Fazendo o Baú do Edu e inevitavelmente ouvindo a rádio BEATES A RAMA - http://www.beatlesarama.com/ ouvi uma canção que não conhecia e fui atrás para saber do que se tratava. Ô surpresinha boa! Era de uma bandinha inglesa chamada “Thenewno2”. Acho que nem saberia pronunciar isso. Mas sei que é um ótimo trocadilho “scouse” dos tempos de escola dos jovens Teddy Boys” na velha Liverpool por volta de 1955.Terra dos futuros Beatles. Pois bem, essa é a banda do “nosso” querido filho de George, Dhani Harrison. Ele é o guitarrista e canta em algumas faixas. E são bem legalzinhas! Em uma, “YUMI”, o timbre da voz me lembrou muito a do pai dele. E imaginar que tipo de som o velão estaria fazendo. Ou não. Parabéns, Dhani. Gostei. E vocês?

DOWNLOAD
http://www.4shared.com/file/UaEw7S7i/Thenewno2_-_You_Are_here_-_oba.html

TOM PETTY AND THE HEARTBREAKERS RIDES AGAIN!

Nenhum comentário:
Em 1988, Tom Petty tornou-se membro da família Wilbury. Parte essencial do supergrupo Traveling Wilburys, que ainda tinha: George Harrison, Bob Dylan, Roy Orbison e Jeff Lynne. Só barras pesadas! Os Wilburys lançaram o seu primeiro álbum no final de 1988 e o seu som tornou-se modelo para a carreira-solo de Petty a partir de então. "Full Moon Fever", foi produzido pelo genial criador da Electric Light Orchestra - Jeff Lynne, com o apoio dos Heartbreakers. O ábum possui um som limpo e está cheio de harmonias vocais brilhantes, teclados e guitarras e até hoje ainda é considerado um disco admirável, atraente e iImprescindível em qualquer discoteca do bom Rock and Roll. Chegou ao número 03 nos Tops americanos, foi tripla platina e gerou sucessos como "I Won't Back Down", "Runnin'Down a Dream", "Free Fallin'" e “A Face in the Crowd".

DOWNLOAD http://www.4shared.com/file/8zQcXeyg/Full_Moon_Fever_obaudoedublogs.html



Depois de mais dois anos de "Full Moon Fever", Tom Petty And The Heartbreakers lançaram aquele que, considero seu melhor álbum: "INTO THE GREAT WIDE OPEN". Também produzido por Jeff Lynne, esse discão foi foi o ponto alto da carreira de Tom Petty. Trouxe vários sucessos para as paradas e me lembro, que estava muito triste no dia que fui na loja procurar alguma coisa. E o bichão tinha chegado naquele dia! Não percam! Antes que alguém tire!DOWNLOAD
http://www.4shared.com/file/AoxL6xG4/Into_The_Great_Wide_Open_obaud.html

01. Learning To Fly
02. Kings Highway
03. Into The Great Wide Open
04. Two Gunslingers
05. The Dark Of The Sun
06. All Or Nothin'
07. All The Wrong Reasons
08. Too Good To Be True
09. Out In The Cold
10. You And I Will Meet Again
11. Makin' Some Noise
12. Built To Last

Para terminar, a gente confere a belíssima "Into The Great Wide Open". Senhoras e senhores: O Baú do Edu tem a honra de apresentar... TOM PETTY AND THE HEARTBREAKERS!

THE BEATLES - MEMBROS DA ORDEM DO IMPÉRIO BRITÂNICO - REPLAY

2 comentários:
No dia 25 de novembro de 1969, John Lennon devolveu ao Palácio de Buckingham, a comenda que recebeu anos antes junto com os outros Beatles. Em janeiro de 2009, a insígnia foi encontrada junto com a carta que ele escreveu para justificar sua posição: "Sua majestade, estou devolvendo minha MBE em protesto contra o envolvimento da Grã-Bretanha no lance Nigéria-Biafra, contra nosso apoio à guerra do Vietnã e contra a queda nas paradas de 'Cold Turkey'. Com amor, John Lennon". O próprio Lennon e seu motorista Les Anthony foram ao palácio fazer a entrega.

Por mais de 40 anos, a insígnia ficou guardada num armário do Palácio de St. James, onde fica a Chancelaria Central das Ordens de Cavaleiros. Um informante do palácio disse ao jornal "The Times" que o destino da insígnia deverá ser determinado pela viúva do ex-Beatle Yoko Ono. Se ela reiterar a recusa do marido, a condecoração poderá ir para um museu.

Os Beatles receberam suas medalhas das mãos da Rainha Elizabeth no dia 26 de outubro de 1965 quando a beatlemania estava a todo vapor. Várias personalidades homenageadas antes devolveram suas comendas por acharem um insulto que fosse dada a quatro cabeludos que tocavam uma música barulhenta que levava os adolescentes à loucura. John não queria aceitar mas foi convencido por Brian. A seguir vocês conferem um vídeo sobre os Beatles e suas MBEs. Abração!


domingo, 24 de outubro de 2010

HOMENAGEM AOS 70 ANOS DO REI PELÉ

2 comentários:
No último dia 21 de outubro, o rei Pelé completou 70 anos. Em sua homenagem, vamos relembrar uma historia - no mínimo curiosa que envolve os Beatles e Pelé. A lenda diz que, em 1966, durante a copa do mundo na Inglaterra, os Beatles teriam ido até a concentração da seleção brasileira para conhecerem o rei Pelé. Não puderam entrar. Foram barrados. Apesar de curiosa, é muito pouco provável que tenha acontecido de fato. Não existem referências em torno dessa questão. Em 1966, os Beatles já eram as figuras mais conhecidas do mundo. Por quê nada saiu na imprensa? Por quê outros jogadores da comissão técnica nunca falaram do assunto? Será que só o Rei do Futebol viu ou soube que os Beatles foram barrados na concentração da seleção? Pelé ainda insiste de quando em vez no assunto. A seguir, a gente confere alguns momentos inesquecíveis do maior jogador de todos os tempos! Parabéns, Pelé!


A PEDIDOS - MEET THE SMITHEREENS - REPLAY

2 comentários:
Lucy disse: Edu, tem jeito de você colocar novamente aquele vídeo e o link do disco dos Smithreens? Adorei o vídeozinho. Bjos!
Dá, sim, Lucy! Esse disco é simplesmente fantástico! Sem exagero. Meus destaques são as bombásticas e matadoras versões de "I Saw Her Standing There", "Not a Second Time", "Little Child", "It Won’t Belong" e "Don’t Bother Me". Sem contar com a excelente qualidade do som!DOWNLOAD NOW!
http://www.4shared.com/file/jaLdgAzC/The_SMITHEREENS_-_Meet_The_Smi.html

The Smithereens é uma banda de rock formada em Carteret, Nova Jersey em 1980 por Pat DiNizio (vocal, guitarra) Jim Babjak (guitarra) Mike Mesaros (baixo) e Dennis Diken (bateria). Lançaram treze álbuns. Este, "MEET THE SMITHEREENS" em homenagem aos Beatles é o 12º. Tiveram pouca cobertura da mídia, talvez pelo estouro do grunge durante o auge da banda nos anos 90. Suas maiores influências são os grandes grupos dos anos 60, principalmente os Beatles, é claro! Depois de lançarem o disco "God Save the Smithereens" de 1999, passaram sete anos sem gravar nada até lançarem seus dois últimos álbuns."MEET THE SMITHEREENS" traz 12 faixas da fase beatlemania. Foi gravado em 2007. É sensacional! O vídeoclipezinho também é superbacana! É demais! É uma festa só! Depois que baixei, já ouvi 20 vezes e está tocando agora. 10 pros Smithereens! Não esqueçam de deixar seus comentários!

THE SMITHEREENS - I WANT TO HOLD YOUR HAND

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

McCARTNEY - 1970 - O DIFÍCIL COMEÇO DE UMA CARREIRA BRILHANTE E GLORIOSA

12 comentários:

01- The Lovely Linda (McCartney) – 0:42
02- That Would Be Something (McCartney) – 2:37
03- Valentine Day (McCartney) – 1:40
04- Every Night (McCartney) – 2:30
05- Hot as Sun/Glasses (McCartney) – 2:06
06- Junk (McCartney) – 1:54
07- Man We Was Lonely (McCartney) – 2:57
08- Oo You (McCartney) – 2:47
09- Momma Miss America (McCartney) – 4:04
10- Teddy Boy (McCartney) – 2:22
11- Singalong Junk (McCartney) – 2:34
12- Maybe I'm Amazed (McCartney) – 3:49
13- Kreen-Akrore (McCartney) – 4:14

DOWNLOAD:
http://www.4shared.com/file/cm_1v8x_/McCartney-1970-obaudoedublogsp.html

1970. Enquanto um mar de indecisões dominava os negócios da Apple, Paul McCartney sorrateiramente construía as bases de uma carreira promissora que, inevitavelmente, ganharia sua “forçada” estréia no dia 17 de abril de 1970 - data oficial de lançamento do primeiro álbum de canções originais de sua autoria sem levar a assinatura do grupo mais famoso de todos os tempos: The Beatles. Uma banda que muito bem pode ser comparada a uma jóia; um diamante - o qual Paul ajudou a lapidar durante mais de uma década ao lado de seus companheiros. O fim dos Beatles, entretanto, não soaria como as belas melodias das faixas "Maybe I’m Amazed" e "Every Night", incluídas em seu LP solo. Os anos seguintes, dominados pelo interminável processo contra a dissolução da parceria entre John, George, e Ringo (ligados contratualmente graças à união dos mesmos com o empresário nova-iorquino, Allen Klein), transformariam a vida de McCartney em um verdadeiro pesadelo. Sentindo-se inútil e desempregado, Paul começou a criar asas. com o fim de sua banda favorita, agarrou-se com força total ao amor de sua mulher, Linda Louise Eastman – seu “porto seguro” e fonte de inspiração para continuar a compor, gravar canções e tocar ao vivo pelos palcos do mundo pelos anos seguintes.

Após gravar e cuidar da promoção de seu álbum, Paul ainda viu-se obrigado a duelar com a Apple para garantir o lançamento do disco na data estipulada. O matreiro Allen Klein, que agendara "Let It Be" para chegar às lojas menos de um mês depois de “McCartney” enviou Ringo a Cavendish Avenue (à mando de John e George) com a missão de convencer Macca a mudar de idéia e adiar a estréia de sua carreira como artista solo. Enfurecido e amargurado pelo evento, ele sequer deu ouvidos ao baterista chegando a discutir severamente com o amigo. A missão de Klein claramente falhara, e os álbuns venderiam milhões de copias apesar da batalha que parecia longe de estar no final. “McCartney foi um álbum excelente para mim. Fiquei muito feliz em produzí-lo. Era como se eu fosse um cientista em meu laboratório; tudo muito simples, básico e experimental”, recorda Paul.

Embora tenha sido gravado quase inteiramente em sua residência londrina, localizada no bucólico e suntuoso bairro de St. John’s Wood, o álbum McCartney também contou com apoio logístico dos estúdios Morgan e Abbey Road, onde algumas canções ganhariam adições de instrumentos e produção final. Para voltar ao estúdio oficial dos Beatles, Linda reservou o Studio 2 da EMI inscrevendo Paul com o pseudônimo de Billy Martin, com o objetivo de afastar o assédio da imprensa – sempre pronta a desvendar os segredos de tudo o que envolvia os membros do quarteto de Liverpool. No estúdio, a atmosfera era completamente familiar, com Linda preparando lanches e o suco de uva para Paul e as crianças, Heather e Mary, que ficavam brincando no chão de madeira com seus brinquedos enquanto esperavam o pai.
Poucos dias antes do Natal de 1969, o LP começaria a ganhar forma em um gravador Studer de quatro canais, instalado em seu quarto particular de música.

A idéia original era poder mixar as canções utilizando a mesma máquina, mas o atraso na entrega de uma mesa de som acidentalmente mudou os planos de produção do disco, finalizado em fevereiro de 1970.Com a impossibilidade de equalizar o som, Paul teve de registrar as canções de uma forma mais rústica, sendo obrigado a ouvir minuciosamente, tudo o que acabara de tocar para controlar o excesso de graves ou agudos dos instrumentos. Instrumentos, aliás, todos eles tocados pelo próprio artista, com ajuda de Linda nos vocais de apoio e harmonias em algumas faixas. Feliz e, ao mesmo tempo, incapaz de comemorar o final de sua jornada com os Beatles, Paul decidiu não lançar nenhum compacto promocional para o LP. Para anunciar o lançamento de “McCartne”y, um questionário elaborado por Derek Taylor e Peter Brown (assessores de imprensa da Apple), foi anexado as cópias dos discos enviados à imprensa, onde o fim do quarteto de Liverpool era anunciado oficialmente ao público. Na contracapa do LP, uma das primeiras fotos da filha Mary, confortavelmente instalada no casaco de seu pai, era mostrada aos fãs.

Com o álbum disponível e chegando em primeiro lugar na América, Paul passaria o resto do ano planejando o seu futuro no showbiz. Durante este período, ele comporia canções para seu próximo álbum, além de faixas que permaneceriam inéditas até hoje, como "Indeed I Do" e "1982."

O sucesso do álbum é, sem dúvida "Maybe I'm Amazed", uma das centenas de canções de amor que Paul fez para Linda. Logo após o lançamento do álbum, George Harrison disse que "Maybe I'm Amazed" e "That Would Be Something" eram “ótimas", e considerou as outras faixas como "justas". John Lennon disse o que achava sobre o disco de Paul em sua entrevista de 1970 para a Rolling Stone. Disse que dada a propensão de McCartney para exigir perfeccionismo no estúdio com os Beatles, ficou surpreendido com a falta de qualidade do álbum. Lennon também fez várias observações comparando "McCartney I" negativamente à sua própria estréia como artista-solo.

Bibliografia:
Paul McCartney - Todos os segredos da carreira-solo, de Cláudio Dirani.

Agradecimestos Especiais:
Guilherme Bento e Thiago Salim

Postagem carinhosamente dedicada ao meu irmão Adelmar,
às amigas
Lara Selem, Michellen Leal, Danielle Starkey
e ao amigo João Carlos. Para todos, aquele abração! Obrigado por virem aqui.


Em 1993, McCartney foi remasterizado e relançado em CD. Não houveram faixas bônus disponíveis.

PAUL McCARTNEY - MAYBE I'M AMAZED



Agora, você confere com absoluta exclusividade do Baú do Edu, a entrevista de Paul de 1970, distribuída para a imprensa junto com o ábum" McCartney I".

Por que você decidiu fazer um álbum solo?
Porque eu tenho um equipamento Studer de gravação de quatro canais em casa. Gravei algumas coisas - gostei do resultado e decidi transformá-las em um álbum.

Você foi influenciado pelas aventuras de John com a Plastic Ono Band ou pelo álbum de Ringo?
Não.

Todas as músicas são de Paul McCartney?
São, sim.

Serão creditadas apenas como “McCartney”?
Sim.

Você gostou de trabalhar como artista solo?
Muito. Eu só tinha a mim para tomar uma decisão. Linda está nele também, é realmente uma coisa de casal.

Qual é a contribuição de Linda?
Todas. Ela ajudou nas harmonias, mas é claro que é bem mais do que isso porque ela é um ombro para me apoiar, a segunda opinião, e excelente fotógrafa. Ela acredita em mim - sempre.

Onde o álbum foi gravado?
Em casa, em Abbey Road e no Morgan Studios.

Qual é o seu equipamento em casa?
Um Studer, um microfone e nervos.

Como você escolheu os estúdios que trabalhou?
Eles estavam disponíveis. O da EMI (Abbey Road) é tecnicamente muito bom e o Morgan é acolhedor.

Nenhuma faixa foi conhecida até que o álbum estivesse pronto. Foi uma escolha sua?
Foi, porque normalmente um álbum já fica velho antes mesmo de sair.

Você é capaz de descrever a “textura” do álbum em algumas palavras?
Casa, família e amor.

Quanto tempo demorou para concluir?
Desde um pouco antes do natal até agora. “Lovely Linda” foi a primeira coisa que eu gravei em casa, e era originalmente para testar o equipamento. Isso foi perto do natal.

Supondo que todas as canções são novas para o público, como são para você? Elas são todas recentes?
Uma é de 1959 (Hot As Sun). Duas são da Índia - Junk e Teddy Boy, e o resto são todas bem recentes.

Quais os instrumentos que você tocou no álbum?
Baixo, bateria, violão, guitarra base, piano, órgão mellotron, xilofone de brinquedo, arco e flecha.

Já tinha usado esses instrumentos em gravações anteriores?
Sim.

Por que você quis tocar todos os instrumentos sozinho?
Estava sozinho. E acho que estou muito bem.

Linda será ouvida em todos os registros futuros?
Pode ser. Nós amamos cantar juntos e temos muitas oportunidades para pôr em prática.

Será que Paul e Linda se tornarão um John e Yoko?
Não, eles é que se tornarão Paul e Linda.

O que gravar sozinho lhe ensinou?
Tomar minhas próprias decisões sobre o que faço.

Quem fez a arte da capa?
Linda tirou todas as fotos, ela e eu fizemos o projeto.

É verdade que nem Allen Klein, nem ABKCO foram e nem serão de alguma forma envolvidos com a produção, fabricação, distribuição ou promoção deste novo álbum?
Sim.

Você perdeu os outros Beatles e George Martin. Houve algum momento em que você pensou,
"gostaria que Ringo estivesse aqui nesta passagem?
Não.

Supondo que o disco faça sucesso. Quando vai fazer outro?
Mesmo que não faça sucesso, vou continuar a fazer o que eu quero, quando quero.

Você está planejando um novo álbum ou single com os Beatles?
Não.

É o álbum de um descanso longe dos Beatles ou o início de uma carreira solo?
O tempo dirá. Sendo um disco solo significa que ele é "o começo de uma carreira solo ..." e não sendo feito com os Beatles significa que é apenas um descanso. Portanto, ambos.

A sua ruptura com os Beatles, temporária ou permanente, foi devido a diferenças pessoais ou musicais?
Diferenças pessoais, comerciais e musicais. Mas acima de tudo porque eu tenho mais tempo com minha família. Temporária ou permanente? Eu realmente não sei.

Você consegue imaginar Lennon & McCartney compondo juntos novamente?
Não.

O que você acha sobre a campanha de John pela paz, da Plastic Ono Band, e ele devolver a medalha MBE? Influência de Yoko?
Eu amo o John, e respeito o que ele faz – mas isso não me dá nenhum prazer.

Houve alguma das canções do álbum escrita originalmente com os Beatles em mente?
Junk e Teddy Boy.

Você ficou contente com o ábum "Abbey Road”?
Foi um bom álbum.

Qual é a sua relação com Klein?
Eu não tenho qualquer contato com ele. Ele não me representa de forma alguma.

Qual é a sua relação com a Apple?
É o escritório de uma empresa que eu também criei, com os outros três Beatles. Eu não vou lá porque eu não gosto de escritórios ou de negócios, especialmente quando estou de férias.

Você tem planos de criar uma companhia de produção independente?
McCartney Productions Limited.

Que tipo de música lhe influenciou para esse disco?
Leve e solta.

Você está escrevendo mais prolíficamente agora? Ou menos?
Do mesmo jeito. Tenho uma fila de canções esperando para serem gravadas.

Quais são seus planos para o futuro? Férias? Um musical? Um filme? Aposentadoria?
Meu único plano é crescer!