segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

BOB DYLAN - BLOWIN' IN THE WIND

Em abril de 1962, no gerde’s Folk City, em Greenwich Village, em Nova York, um Bob Dylan aos 20 anos fez um breve discurso antes de tocar uma de suas novas músicas: “Isto aqui não é nenhuma canção de protesto ou qualquer coisa parecida, porque eu não escrevo músicas de protesto”, ele disse. E então cantou o primeiro e o terceiro versos da ainda inacabada “Blowin’ in the Wind”. Publicada por inteiro um mês depois no jornal folk Broadside e gravada em 9 de julho de 1962, para seu segundo álbum, The Freewheelin’ Bob Dylan, “Blowin’ in the Wind” foi a primeira composição importante de Dylan. E também a mais famosa canção de protesto já escrita por ele. O Chad Mitchell Trio foi o primeiro a lançá-la em disco, e Peter, Paul and Mary a transformaram em um enorme sucesso no verão de 1963. Ainda assim, todos sabiam que a música pertencia ao jovem de olhos fla¬mejantes que dominava a cena folk de Nova York e cuja gravação - apenas sua voz emaranhada e seu violão - era definitiva. “Blowin’”, provavelmente a música de Dylan que ganhou o maior número de covers, é um hino progressivo abrangente, sugerindo que as coisas precisam e irão mudar. A melodia foi emprestada da canção folk da época da escravatura “No More Auction Block for Me”, e sua linguagem tem suas raízes tanto no vernáculo simples de Woody Guthrie quanto na retórica bíblica. Mas em um rompimento decisivo das convenções das canções folk tópica, Dylan emoldurou a crise em volta dele em uma série de perguntas incisivas e poéticas, que abordavam o que ele acreditava ser o ato mais inumano do homem: a indiferença. “Alguns dos maiores criminosos são aqueles que viram as costas quando veem algo errado”, declarou ele nas notas do encarte de Freewheelin. Mais tarde, Dylan revelou mais sobre a mecânica da composição da música: “Compus ‘Blowin’ in the Wind’ em dez minutos, só coloquei letra em algum spiritual antigo, provavelmente algo que aprendi com os discos da Carter Family. Esta é a tradição do folk. Você usa o que lhe é dado”.

3 comentários:

João Carlos disse...

Ouvi-la ainda me emociona... sempre mais.

Marcelennon disse...

Com certeza, João... Aliás, esse disco do Dylan, ainda é o seu melhor, para mim... E, ao contrário da maioria, que sempre fala de Blowin' in the Wind", a minha canção favorita do Dylan sempre foi "A Hard Rain's a-Gonna Fall", que por sinal está nesse disco... Discaço que será lembrado por inúmeros anos...

Valdir Junior disse...

Dylan, sempre atual. Daqui a cem, duzentos anos ainda vão estar tentando entender tudo o que ele escreveu e cantou.