terça-feira, 19 de novembro de 2013

THE BEATLES - "LET IT BE... NAKED" COMPLETA 10 ANOS

Há exatos 10 anos, em novembro de 2003 (como voa o tempo!), foi lançado um novo álbum dos Beatles. Novo? Sim, novinho em folha, de um jeito que ninguém tinha ouvido antes. “Let It Be... Naked”, box com 2 CDs, que, como nenhuma unanimidade, conseguiu agradar a todos. Esse texto que a gente confere agora, foi publicado originalmente no Galeria Musical, e escrito por Anderson Nascimento à época do lançamento. Confiram:
Após anos de espera por algum lançamento das cansativas sessões do projeto "Get Back", que se tornaria "Let It Be" um ano depois, eis que finalmente temos alguma coisa desta época. Mas não deu, nem de longe, pra matar a vontade de ter oficializada a nata deste período. Aqui vai então um grande conselho, senhoras e senhores, continuem a preservar os seus bootlegs com muito carinho, pois novamente os organizadores deixaram a desejar. O "novo" álbum dos Beatles não poderia ter um nome melhor: "Let It Be... Naked". O novo cd é nu em tudo, nu de encarte, nu de fotos, nu de capa. A arte do álbum não poderia ser pior. A capa é feia, de mau gosto, parece ter sido criada por um iniciante em software de tratamento de imagens... os Beatles em raio-x... ora vejam só que falta de criatividade.
O encarte, além de ser todo em Inglês, como já estamos acostumados a ver, traz uma longa entrevista e as poucas fotos que estão encartadas são em preto e branco. Além disso, talvez este seja o principal defeito do mesmo, este encarte não traz absolutamente nenhuma informação sobre as gravações das faixas que estão no álbum. A nossa sorte é que quando colocamos o cd para ouvir, ouvimos os Beatles, que por si só já garantem nossa satisfação. Percebe-se sim, muita diferença entre esse álbum e o velho "Let It Be" que conhecemos. A diferença é muito palpável, principalmente para os fãs mais experientes. Para os mais recentes, as diferenças ficarão claras ao som de "Let It Be" e "The Long and Winding Road", além, é claro, das supressões de "Dig It" e "Maggie Mae" e da inclusão de "Don't Let Me Down". Contudo "Let it Be... Naked" é um álbum, completamente novo. As mixagens (colagens?) são bem diferentes do álbum original, mas o que entristece é que este poderia ser muito melhor. Um grande detalhe porém deve ser levado em conta: o som do álbum é maravilhoso, pode-se ouvir as vozes com clareza, o instrumental está muito bom, e as versões novas de "Let It Be" e "The Long and Winding Road" são bonitas de doer! Já o CD bônus que vinha sendo esperado avidamente é uma lástima. Venderam a ideia de que traria uma nova versão de "Imagine" tocada pelos Beatles, quando na verdade essa versão são 18 segundos de John ao piano. Além disso o CD traz 21 minutos em faixa única de trechos de músicas e conversas dos Fab Four. Serviu apenas para duas coisas: encarecer ainda mais o lançamento e mostrar a todos que é inesgotável a quantidade do material inédito que ainda existe dos Beatles. Por que tiveram que encravar esse contra-peso no novo lançamento? Seria muito mais bonito, atrativo, e decepcionaria menos se o álbum fosse simples!
Parece hilário, mas neste caso, sinto falta de Yoko Ono, tendo em vista que o trabalho que ela vem fazendo com os álbuns de John Lennon é fortemente plausível, sempre trazendo bônus tracks de verdade, fotos inéditas, cópias de manuscitos e vários outros ítens que deixam qualquer um feliz ao comprar um álbum remasterizado de John Lennon. Anderson Nascimento.

13 comentários:

Murilo Pedreira disse...

um pouco mais de sad but true...heheh

Edu disse...

Pois eu não concordo com muita coisa dita aí em cima: a começar pelo nome: Acho “Let It Be... Naked” bastante adequado. Também discordo completamente quando ele diz que “a capa é feia, de mau gosto, parece ter sido criada por um iniciante em software de tratamento de imagens... os Beatles em raio-x... ora vejam só que falta de criatividade”. Pura bobagem! Para mim, ficou ótima! Agora, o que achei realmente hilário foi quando ele diz que sente falta de Yoko Ono no projeto. Ora! Faz favor!

Valdir Junior disse...

Como um todo eu esperava mais material desse Let It Be !!!
O Ideal seria que fosse lançado como um box com no minimo 5 CDs com o "Get Back" Original com a mix do Glyn Johns e mais um monte de out-takes , e ainda 2 DVDs com o filme original e extras e mais extras e é claro o livro !!!
Mas do jeito que saiu acho que ficou legal ( claro queria mais ), o som e as novas mixes são exuberantes !!

Edu disse...

'YOUR DREAMS WILL NOT COME TRUE'. Só daqui há 10 anos, e, para nós que sabemos como a banda anda, pouco provável.Lhufas! Nunca veremos isso!
Inesplicavelmente, ninguém faz o que nós, fãs de verdade, gostaríamos. E isso, essa sacanagem, acontece há 50 anos. Sempre vai parecer esmola. Como Paul fez agora com o "New". Esmolas discriminatórias para cada região do planeta. Na minha opinião, isso é anti-marketing. However Absurd!

Murilo Pedreira disse...

Pois eu concordo com muita coisa, Edu. Por que o preciosismo de Paul com essas filmagens e material?!?! Os bootlegs e youtube da vida, há muito, já despiram os Beatles (com essas sessões)...

Murilo Pedreira disse...

e tem mais:
* O capa é feia mesmo. Para quê "desbotar" uma das poucas fotos coloridas dos caras?!?!;
* Quem ouve aquele 2ª cd?

João Carlos disse...

Com relação a capa,é questão de gosto. Mas numa coisa ele acertou: o 2º disco chega a ser imoral.Sem qualidade, tudo numa faixa só etc.Poderia ser simples. Infelizmente, não há material sonoro de qualidade daquelas sessões.Dizem que foram registradas nas câmeras de filmagens que paravam o tempo todo.Por isso não lançam nada mais substancioso. Assim mesmo,acho que tem coisa boa gravada quando foram para a Apple.

Edu disse...

Eu fico pensando às vezes: "O que é que vcs querem? Let it Be... naked foi ótimo, um lançamentaço e é mais um disco dos Beatles. Pronto. Acabou. Para aqueles que esperam e sonham com reediçoes especias do álbum original produzido por Spector, tirem o cavalinho da chuva! Enquanto McCartney viver, isso não acontecerá. Contentem-se com o "nuzão"! Abração!

jonas gomes silva disse...

vou ouvi-lo , depois dou minha opinião

jonas gomes silva disse...

vou ouvi-lo , depois dou minha opinião

jonas gomes silva disse...

vou ouvi-lo primeiro , depois dou minha opinião

João Carlos disse...

A capa representa a ideia: NAKED.Como um raio X, sem miçangas. O disco é ótimo (poderia ter DIG IT com a versão de 4 minutos).Maggie Mae é só uma vinheta.Agora o disco 2 é uma enrolação. Sem qualidade e tudo misturado numa faixa só. Mas o 1 é ótimo.

Leonardo Piccioni disse...

Eu acho que a ideia da capa, com fotos em negativo, aquelas medições e a inscrição "Safety Film" era simular um negativo do filme "Get Back".