sexta-feira, 5 de junho de 2020

THE BEATLES - O GRANDE FINAL DE A HARD DAY'S NIGHT - FABULOUS✶✶✶✶✶✶✶✶✶

2 comentários:

O ano é 1964 e a Beatlemania está no seu auge. Os Beatles estreiam no cinema com a descontraída comédia musical em preto e branco dirigida por Richard Lester - A Hard Day’s Night, que traz os quatro garotos de Liverpool no papel deles mesmos. Sucesso absoluto de público e de crítica, o filme foi um dos marcos da carreira dos Beatles e do próprio Lester. E como todo grande filme precisa ter um grande final, nada mais sensacional que os próprios Beatles no show que encerra o filme no teatro Scala de Londres, para uma plateia de 350 fãs figurantes enlouquecidos (o compositor Phil Collins, então com 13 anos, era um deles). Os Beatles tocam “Tell Me Why”, If I Fell”, “I Should Have Know Better” e terminam com "She Loves You". Enquanto os fãs choram e se descabelam ao vê-los e ouvi-los, a letra não nos deixa esquecer que, com um amor como esse, você tem mais é que ser feliz. Yeah, Yeah, Yeah!

terça-feira, 2 de junho de 2020

THE BEATLES - A TASTE OF HONEY - SENSACIONAL!✶✶✶

6 comentários:

"A Taste of Honey" era uma das músicas favoritas de Paul McCartney. Foi composta por Bobby Scott e Ric Marlow. Era originalmente uma faixa instrumental feita para a versão de 1960 da Broadway da peça britânica de 1958 ‘A Taste of Honey’ (que também foi transformada no filme de mesmo nome em 1961).

Tanto a gravação original quanto a posterior de Herb Alpert, em 1965, renderam à música quatro prêmios Grammy. Uma versão vocal da música - gravada pela primeira vez por Billy Dee Williams (e lançada em 1961 pela gravadora Prestige) e depois gravada com muito sucesso por Lenny Welch no verão de 1962 - também foi gravada pelos Beatles em seu primeiro álbum em 1963. Barbra Streisand tocou a música como parte de seu show de cabaré em 1962, e a gravou em janeiro de 1963 para seu álbum de estreia The Barbra Streisand Album na Columbia, que ganhou um Grammy de Álbum do Ano (1963).
Lenny Welch gravou uma versão vocal inicial no início de 1962. Foi lançada como single em setembro de 1962 pela gravadora Cadence Records e incluída em seu álbum Since I Fell for You. Esta versão também credita Lee Morris como compositor, mas não se sabe se foi ele quem fez a letra. Esse crédito não aparece em nenhum cover da música, com apenas Marlow/Scott creditado.

Era uma versão da adaptação de Lenny Welch de "A Taste of Honey" que os Beatles tocavam como parte de seu repertório em Hamburgo, mudando levemente a letra do refrão. Uma gravação dessa época foi lançada em 1977 no álbum “The Beatles Live! At the Star-Club, Hamburg, Germany; 1962”. 
"A Taste Of Honey era um dos meus grandes números em Hamburgo - um pouco de balada. Era diferente, mas costumava ser muito solicitada. Cantamos harmonias estreitas nos pequenos microfones de eco e fizemos um bom trabalho. Na verdade, costumava parecer muito bom”. Diz Paul McCartney no livro “Anthology”.
Como uma versão instrumental de Acker Bilk era popular no Reino Unido na época, "A Taste of Honey" foi escolhida para ser gravada para o primeiro álbum da banda em 1963, Please Please Me. Nos EUA, essa música apareceu pela primeira vez no álbum Vee-Jay Records, “Introducing... The Beatles”. Eles também tocaram "A Taste of Honey" sete vezes para os programas de rádio da BBC, incluindo Here We Go, Side by Side e Easy Beat. Em 1967, "A Taste of Honey" teria sido a inspiração de Paul McCartney para "Your Mother Should Know". Os Beatles gravaram "A Taste of Honey" em 11 de fevereiro de 1963, nos estúdios da EMI em Abbey Road, o dia em que 10 músicas foram gravadas para o álbum Please Please Me"A Taste of Honey" foi produzida por George Martin e teve Norman Smith como engenheiro. O álbum Please Please Me foi lançado em 22 de março de 1963. 
"A Taste of Honey" foi a primeira música gravada durante a sessão da tarde. Eles gravaram cinco tomadas e - após a gravação de ”Do You Want To Know a Secret”, Paul McCartney fez uma dupla faixa de seus vocais principais, a única instância desse tipo no álbum. As mixagens mono e estéreo foram feitas no dia 25 de fevereiro, sem a presença dos Beatles no estúdio. No álbum, enquanto a serenidade da música era do agrado de McCartney (as semelhanças com 'Besame Mucho' e 'Till There Was You' não são coincidências), seu tom sentimental parecia meio deslocado em relação a energia bruta evidente em músicas como "Twist And Shout" e "I Saw Her Standing There”. No entanto, demonstrava a versatilidade dos Beatles como um grupo, algo que eles desejavam promover enquanto procuravam estabelecer uma identidade para si mesmos.

Na gravação, Os Beatles estão em seus instrumentos habituais: Paul McCartney canta e toca baixo; John Lennon faz backing vocals e toca guitarra; George Harrison também faz backing vocals e toca a guitarra principal e Ringo Starr toca bateria. "A Taste of Honey" é a 4ª música do lado 2 do LP (ou 12ª faixa do CD) Please Please Me (1963). Também aparece em The Beatles Live! At the Star-Club, Hamburg, Germany; 1962 (1977) e Live At The BBC (1994).

Para terminar, sempre estranhei o descaso e o desprezo que os americanos tiveram com os Beatles antes da explosão da Beatlemania. Os discos sempre foram adulterados e estuprados nos Estados Unidos até Rubber Soul. Na capa desse álbum que foi citado, "Introducing...The Beatles" - lançado somente nos EUA pela Vee-Jay Records - a foto dos Beatles foi impressa invertida e permaneceu assim ao longo dos anos. Por isso, na imagem do topo da postagem, apliquei a foto na posição correta. A belíssima ikustração da deliciosa moça com sabor de mel (lá em cima) é do grande e incomparável ALBERTO VARGAS (1896-1982).

GEORGE HARRISON - ANY ROAD - 2002✶✶✶✶✶

Nenhum comentário:

"Any Road" é ​​uma música de George Harrison e é a faixa de abertura do seu álbum póstumo Brainwashed, lançado em 18 de novembro de 2002. Harrison começou a escrever a música em 1988, durante a criação de um vídeo para seu álbum Cloud Nine.

A única apresentação pública conhecida de "Any Road" por Harrison, foi em 1997, por sugestão de Sukanya Rajan, durante uma entrevista com Ravi Shankar, conduzida pela VH1 (foi a última apresentação filmada conhecida por Harrison). O refrão "Se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho o levará até lá" foi essencialmente uma paráfrase de um diálogo entre Alice e o gato de Cheshire no capítulo 6 das Aventuras de Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll.
"Any Road" foi a última música de Harrison a ser lançada como single em 12 de maio de 2003 e chegou ao número 37 na parada do Reino Unido. Também foi nomeada no Grammy Awards de 2004 por Melhor Performance Vocal Pop Masculina, e também foi apresentada no álbum de compilação do Grammy Nominees 2004. Embora a música tenha perdido o prêmio para "Cry Me a River", de Justin Timberlake, "Marwa Blues" de Harrison (o lado B instrumental do single "Any Road") venceu na categoria de Melhor Performance Instrumental Pop. George Harrison faz o vocal principal, toca guitarra acústica, guitarra slide e banjolele; Jeff Lynne toca baixo, piano e faz vocal de apoio; Dhani Harrison toca guitarra elétrica e faz vocais de apoio e Jim Keltner toca bateria.
"Any Road" e "Marwa Blues" aparecem na coletânea de Harrison em 2009, Let It Roll: Songs of George Harrison.

PAUL McCARTNEY - TURNED OUT - NEW - 2013**********

Um comentário:

sábado, 30 de maio de 2020

THE BEATLES - LEAVE MY KITTEN ALONE✶✶✶✶✶

2 comentários:

"Leave My Kitten Alone", 
algo como "deixe minha gatinha em paz" foi um hitzinho de R&B de 1959, escrito por Little Willie John, Titus Turner e James McDougal, gravado pela primeira vez pelo próprio Willie John e logo em seguida por Johnny Preston. A versão original, de Little Willie John, pela King Records, chegou ao número 13 na parada da Billboard e número 60 no gráfico de pop em seu primeiro lançamento em 1959. A versão cover de Johnny Preston alcançou o n° 73 no gráfico pop no início de 1961, momento em que a versão de Little Willie John foi relançada e novamente subiu para # 60. Nenhuma dessas gravações alcançou o UK Singles Chart.
Ao longo das décadas que se seguiram, várias covers foram gravadas, em diferentes gêneros musicais, às vezes com a letra alterada pelos artistas, incluindo Solomon Burke, Sam the Sham & the Pharaohs, Roky Erickson, The Syndicats com Steve Howe, The Sonics e outros.
Os Beatles gravaram cinco takes de "Leave My Kitten Alone" durante as sessões de gravação para o Beatles for Sale, em 14 de agosto de 1964. A música nunca chegou a ser mixada e não foi incluída no álbum. "Leave My Kitten Alone" foi a primeira música completa dos Beatles a ser descartada desde "How Do You Do It" em setembro de 1962. A banda provavelmente baseou sua versão no single de Johnny Preston em 1961, embora tivesse sido originalmente gravada por Little Willie John em 1959. Essa música fazia parte do repertório ao vivo dos Beatles durante o período de Hamburgo, embora em agosto de 1964 eles já não a tocassem mais há dois anos.
Se "Kitten" tivesse sido lançada no Beatles For Sale, certamente teria sido um dos destaques. O motivo pelo qual foi rejeitada não é claro, embora tenha sido sugerido que foi em favor de "Everybody's Trying To Be My Baby", para dar a George Harrison um vocal principal. Os Beatles gravaram "Leave My Kitten Alone" em 14 de agosto de 1964 nos estúdios da EMI em Abbey Road. Foi produzida por George Martin e teve Norman Smith como engenheiro. John Lennon faz os vocais e toca guitarra; Paul McCartney toca baixo e piano; George Harrison toca a guitarra principal e Ringo Starr toca bateria e pandeiro. "Leave My Kitten Alone" foi mixada em 1982 por John Barrett para The Beatles at Abbey Road, uma apresentação de vídeo mostrada como parte de um passeio público dos estúdios Abbey Road no ano seguinte. Foi novamente remixada em 1984 por Geoff Emerick para a inclusão em um projeto de sessões inéditas. Em 1994, Geoff Emerick remixou a música novamente, desta vez para o projeto Anthology e finalmente viu a luz do sol no lançamento oficial no primeiro volume do projeto em 1995.

THE BEATLES - HONEY DON'T - SENSACIONAL! ✶✶✶✶✶

4 comentários:

"Honey Don't" foi composta por Carl Perkins e originalmente lançada por ele em janeiro de 1956 como lado B do single "Blue Suede Shoes". Ambas as canções se tornaram clássicos do rockabilly. Bill Dahl, da Allmusic, elogiou dizendo: "'Honey Don't' na verdade supera seu companheiro de disco mais célebre em alguns aspectos". Foi gravada por dezenas de outros artistas, incluindo Os Beatles, Ronnie Hawkins, Johnny Rivers e Raul Seixas em seu álbum de 1975, Novo Aeon.
Os Beatles gravaram sua versão em 26 de outubro de 1964. Uma das últimas músicas gravadas para o Beatles for Sale, lançado no Reino Unido em 4 de dezembro de 1964. O lançamento norte-americano foi em 15 de dezembro no Beatles '65. Embora John Lennon já tivesse cantado a música ao vivo, foi Ringo Starr quem a cantou para o álbum. Durante a música, Ringo faz comentários auto-referenciais que levam aos riffs de George Harrison, dizendo "Rock on George, one time for me!" e depois "Rock on, George, for Ringo one time!". Os Beatles tocaram "Honey Don't" duas vezes para a BBC nos programas From Us To You e Top Gear. Uma versão cantada por John está disponível no Live at the BBC e uma versão cantada por Ringo foi lançada no On Air - Live no BBC Volume 2. Ringo cantou uma versão ao vivo da música, como uma homenagem a Harrison por sua predileção por Perkins, no Concerto para George no Royal Albert Hall, em Londres, em 2002.

RINGO STARR AND HIS ALL STARR BAND - HONEY DON'T - 1989 ✶✶✶✶✶

Nenhum comentário:

quinta-feira, 28 de maio de 2020

THE BEATLES - I'M A LOSER - SENSACIONAL!!! ✶✶✶✶✶✶✶

2 comentários:

“Embora eu ria e pareça um palhaço, por baixo da máscara eu uso uma carranca. Minhas lágrimas caem como a chuva cai do céu. Será por ela ou por mim mesmo que eu choro?”
"I'm a Loser" é uma música dos Beatles, originalmente lançada no álbum Beatles for Sale no Reino Unido em 4 de dezembro de 1964 e mais tarde no álbum Beatles '65 nos Estados Unidos, em 15 de dezembro de 1964. Composta por John Lennon, e creditada a Lennon e McCartney, foi considerada para lançamento como um single até Lennon aparecer com "I Feel Fine". Segundo o crítico musical Richie Unterberger, enquanto a letra conta uma história de rejeição romântica, "I'm a Loser" é uma das primeiras composições dos Beatles que "vão além do amor jovem, incluindo a hipocrisia de manter um rosto feliz quando seu mundo está caindo".
Em 1964, dois fatos tiveram efeito profundo nas composições de John Lennon. O primeiro deles foi ouvir a música de Bob Dylan, quando Paul ganhou o LP The Freewheelin' Bob Dylan de um DJ de uma rádio. McCartney já tinha ouvido a música de Bob Dylan antes, mas John ainda não conhecia. Depois de ouvir Freewheelin' (segundo álbum de Dylan), eles compraram também o primeiro 'Bob Dylan', o de estreia, e, segundo John Lennon, "não conseguíamos parar de ouvi-lo por três semanas. Todos nós fica­mos loucos por Dylan".
O segundo fato que teve grande impacto em Lennon foi conhecer o jornalista Kenneth Allsop*, que escrevia para o jornal Daily Mail e era entrevistador do noticiário Tonight, da BBC Television. Lennon o conheceu em 23 de março, depois o encontrou de novo em um evento literário sobre seu livro, In His Own Write.

Allsop, um cara bonitão e durão de Yorkshire, tinha 44 anos na época e era um dos rostos mais conhecidos da televisão britânica. Jornalista desde 1938, ele havia também servido, durante a guerra, na Royal Air Force. Em sua primeira conversa com John Lennon, no estúdio Lime Grove da BBC, Allsop foi enfático ao recomendar ao Beatle que não escondesse seus sentimentos por trás das convenções da música pop. A leitura de "In His Own Write" levara Allsop a acreditar que John Lennon tinha muito mais a oferecer. Anos depois, Lennon disse ao seu confidente Elliot Mintz que esse encontro havia sido um momento decisivo para o modo dele de compor. "Ele me contou que estava particularmente ansioso naquele dia e, por causa disso, ficou muito falante e envolvido na conversa com Allsop. Allsop disse a ele que não morria de amores pelas canções dos Beatles porque todas tendiam a ser 'ela o ama', 'ele a ama', eles a amam' e 'eu a amo'. Ele sugeriu que John tentasse escrever algo mais autobiográfico, em vez de usar os velhos temas superficiais. Isso res­soou dentro dele". Disse Mintz.
Apesar de ter sido gravada cinco meses depois, "I'm A Loser" pode ser considerada o primeiro fruto desse encontro com Allsop. Seria equivocado dizer que foi uma mudança completa de direção, porque desde o começo Lennon tinha escrito músicas em que se revelava solitá­rio, triste e abandonado, mas em "I'm a Loser" ele se expôs mais. Vista de forma superficial, ela é mais uma canção sobre perder uma namorada. Mas alguns versos, como a passagem na qual ele diz que sob a máscara ele usa uma carranca, sugerem que se con­sidera um fracasso em mais de uma maneira. Não é apenas um fra­casso no amor, é também um fracasso na vida. "I'm a Loser" pode ser vista hoje como um estágio inicial da tortuo­sa jornada de Lennon rumo à franca autorrevelação. Na época, ele logo revelou o efeito que Bob Dylan teve em "I'm a Loser". "Qualquer um que seja um dos melhores em sua área - como Dylan é - acaba influenciando os demais. Eu não me sur­preenderia se nós o tivermos influenciado de alguma forma". Lennon afirmou na ocasião.
Na época, John Lennon deu alguns sinais de como estava sendo sincero na letra. Um deles foi um comentário que fez a Ray Coleman, da Melody Maker, dois meses depois, quando estavam nos bastidores de um show. "Eu gostaria que me pintassem um sorriso também. Acha que vou conseguir sorrir hoje à noite? Às vezes eu me pergunto como é que nós conseguimos seguir adiante".

Os Beatles gravaram "I'm a Loser" em 14 de agosto de 1964, no dia em que também gravaram "Mr. Moonlight" e "Leave My Kitten Alone". A gravação foi direta e foram necessárias oito tomadas para acertar, sem a necessidade de overdubs. O álbum Beatles For Sale foi lançado quatro meses após a gravação de "I'm a Loser" em 4 de dezembro de 1964. No entanto, 17 de novembro de 1964, eles deram aos fãs uma prévia de quatro faixas do álbum, junto com "I Feel Fine" e "She's A Woman", no programa de rádio da BBC Top Gear. Esta versão da BBC de "I'm a Loser" foi transmitida pela primeira vez em 26 de novembro e acabou sendo lançada comercialmente no Live At The BBC de 1994. A produção (claro), foi de George Martin, e teve Norman Smith como engenheiro. John Lennon canta, toca guitarra e gaita; Paul McCartney faz backing vocals e toca baixo; George Harrison toca a guitarra principal e Ringo toca bateria e pandeiro. "I'm a Loser" só aparece oficialmente em Beatles For Sale (1964), Beatles '65 (1964) e no Live At BBC (1994).

*✝ Kenneth Allsop foi encontrado morto em sua casa, em maio de 1973 - A causa da morte foi uma overdose de analgésicos. "Huid Travellin", o relato de Allsop sobre a vida dos hobos, andarilhos aventureiros, foi publicado pela primeira vez em 1967, tornou-se um clássico e ainda é reimpresso até hoje.

SALTWATER ROSES - I'M A LOSER

Nenhum comentário:

PAUL McCARTNEY - FLAMING PIE - (The Song) - SENSACIONAL!!! ✶✶✶✶✶

Um comentário:

A sensacional “Flaming Pie” é a sétima música do álbum homônimo, depois de "Calico Skies" e antes de "Heaven on a Sunday". Talvez, a melhor do álbum, juntamente com "Beautiful Night", a mais bonita. Dura cerca de apenas dois minutos e meio, mas é o suficiente para dar uma sacudida em um disco belíssimo, mas melancólico. Flaming Pie foi lançado em 5 de maio de 1997.
“Flaming Pie” foi gravada em 27 de fevereiro de 1996 no estúdio The Mill em East Sussex. Paul decidiu que queria simular uma sessão típica dos Beatles, o que significava gravar três músicas em cerca de quatro horas. Paul McCartney canta, toca baixo, bateria, guitarra, piano e faz harmonização vocal; Jeff Lynne cantou, tocou guitarra e produziu junto com McCartney.
Flaming Pie foi o décimo álbum solo de estúdio de Paul McCartney, lançado pela primeira vez em 1997. Seu primeiro trabalho de estúdio em mais de quatro anos, foi gravado principalmente após o envolvimento de McCartney no altamente bem-sucedido projeto Beatles Anthology. Flaming Pie foi gravado em vários locais ao longo de dois anos, 1995 e 1997. Contou com vários membros da família e amigos de McCartney, principalmente o filho, James McCartney. Nas anotações de Flaming Pie, McCartney disse: "[The Beatles Anthology] me lembrou os padrões dos Beatles e os padrões que alcançamos com as músicas. Então, de certa forma, foi um curso de atualização que estabeleceu o quadro para este álbum". Flaming Pie alcançou o número dois no Reino Unido e nos EUA e foi certificado em ouro. O álbum, que foi bem recebido pela crítica, também alcançou o top 20 em muitos outros países. Desde o seu lançamento até meados de 2007, Flaming Pie vendeu mais de 1,5 milhões de cópias.
A letra que fala do homem que veio na torta flamejante que chegou a Paul McCartney se encaixava perfeitamente com alguns riffs descolados que ele e Jeff Lynne haviam desenvolvido dias antes, enquanto aguardavam os overdubs de 'Souvenir'. Com a letra e a música de repente criadas, "Flaming Pie" foi gravada rapidamente - de maneira totalmente apropriada. Paul sugeriu que a música fosse gravada com a velocidade que os Beatles costumavam trabalhar, cortando três músicas por dia. Estabelecendo um prazo de quatro horas, Paul cantando ao vivo para seu próprio acompanhamento de piano com Jeff na guitarra antes de adicionar bateria e baixo e, em seguida, guitarras e vocais de harmonia.
“John brincou que o nome Beatles veio em uma visão de um homem em uma torta (pie) flamejante, chegando até nós... “Vocês serão Beatles com um A”. Eu estava andando, pensando em letras, procurando por uma rima para ‘sky… ‘bye’… ‘pie’. A história voltou e eu pensei ‘Ooo, ‘flaming pie’.”

ROY ORBISON - KING OF HEARTS - 1992 ✶✶✶✶✶

Um comentário:

King of Hearts (Rei de Copas) é um álbum póstumo de Roy Orbison com canções reunidas em sessões master e demos trabalhadas po vários outros produtores para a Virgin Records. É o 23º álbum de Orbison no geral e foi lançado originalmente em outubro de 1992 em LP, CD e cassete.
Roy Orbison morreu em 6 de dezembro de 1988, aos 52 anos, de um ataque cardíaco no meio de seu renascimento na carreira. O excelente Mystery Girl, foi lançado em 7 de fevereiro de 1989, poucas semanas após sua morte. Dezenas de músicas foram gravadas durante as sessões, e havia material suficiente para um novo álbum. Algumas dessas músicas foram gravadas como demos e trabalhadas por vários produtores que dirigiram as gravações: Jeff Lynne, Don Was, David Was, Pete Anderson, Robbie Robertson, Will Jennings, David Briggs, Chips Moman, Guy Roche, Albert Hammond e Diane Warren. Apesar de parecer apenas um “álbum de sobras” (em certos aspectos é mesmo), King of Hearts tem seus méritos e é uma grande coleção de boas faixas como a belíssima "You're the One", que abre o álbum e o rockão “Heartbreak Radio” - só essas duas já fazem valer a pena. Também está presente uma versão em dueto com KD Lang do sucesso de Orbison de 1961 "Crying". Há também uma versão de Cyndi Lauper de "I Drove All Night", também lançado como single.

Certamente não é um disco para ser comparado em nada com a qualidade de Mystery Girl, mas, empregando alguns dos mesmos músicos e produtores, tem o mesmo som.

A PEDIDOS - THE BEATLES - ANNA ✶✶✶✶✶

4 comentários:

Um abraço para a amiga Daiane Barcellos, valeu! Publicada originalmente em 13 de janeiro de 2020.
Arthur Alexander nasceu em Florence, no Alabama em 10 de maio de 1942. Morreu em Nashville, em 13 de junho de 1993 com 51 anos. Alexander foi um músico inicialmente influenciado pelos estilos Country e Soul. Suas canções foram gravadas por artistas como The Beatles, The Rolling Stones, Bee Gees e Elvis Presley. Teve um estilo suave, extremadamente melódico, como nas composições "Anna (Go to Him)" e "Soldier of love", ambas gravadas pelos Beatles e "You better move on", gravada pelos Rolling Stones. Tornou-se uma das grandes lendas do Rock and Roll de todos os tempos.
Escrita pelo próprio Arthur Alexander, “Anna” foi lançada em 17 de setembro de 1962 pela Dot Records. A versão cover matadora gravada pelos Beatles foi lançada em 1963, no álbum “Please Please Me”. A versão original de Alexander, chegou ao número 68 dos charts pop e número 10 dos charts de R&B. Apesar do título ser “Go to him”, a letra diz “Go with him”.
A versão dos Beatles foi gravada em 11 de fevereiro de 1963, em três tomadas e lançada em 22 de março de 1963, produzida por George Martin. A canção foi escolhida para gravação e repertório dos Beatles porque era uma das canções preferidas de John Lennon. George Harrison tocou guitarra no lugar do piano tocado por Floyd Cramer na versao original de Arthur Alexander e a bateria de Ringo é muito semelhante à versão original de Alexander, porém os vocais de John alucinam e adicionam uma dor de tortura que não está presente na versão de Alexander. As harmonias vocais de Paul e George também dão um toque extra sensacional. Os Beatles gravaram “Anna” duas vezes ao vivo na BBC. Uma em 17 de junho de 1963 e outra em primeiro de agosto. No Brasil, “Ana” foi gravada por Renato e Seus Blue Caps, em 1964.

segunda-feira, 25 de maio de 2020

JOHN LENNON - OH, YOKO! SENSACIONAL!!!*****

2 comentários:

Esse vídeo incrível e até então inédito aqui no Baú, foi enviado pelo amigo Paulo Newmann. Valeu, abração!



"Oh Yoko!" é uma música de 1971 composta e gravada por John Lennon, lançada pela primeira vez em seu álbum Imagine em 9 de setembro de 1971. A música foi escrita sobre sua esposa Yoko Ono e conta com Nicky Hopkins no piano e o co-produtor Phil Spector na vocalização de harmonia. Lennon toca gaita pela primeira vez em uma gravação solo (desde "Rocky Raccoon" dos Beatles), e também seria a última vez que ele usava o instrumento em uma gravação lançada. Lennon começou a escrever a música em 1968 durante a estada dos Beatles à Índia, mas não foi totalmente concluída até as sessões do Imagine três anos depois.
A melodia foi inspirada em "Lost John", de Lonnie Donegan, uma música que Lennon gostava e tocava com frequência. "Oh Yoko!" foi gravada em 25 de maio de 1971 no Ascot Sound Studios. A EMI queria lançar a música como single, mas Lennon recusou. O único single lançado para Imagine foi a faixa-título nos Estados Unidos; nenhum foi emitido no Reino Unido. "Oh Yoko!", assim como todo o álbum Imagine, foi produzida por John Lennon, Yoko Ono e Phil Spector. John Lennon canta, toca guitarra e gaita; Nicky Hopkins toca o piano; Klaus Voormann, baixo; Alan White toca a bateria; Phil Spector faz backing vocals; Rod Linton e Andy Davis tocam violão. Além de Imagine, "Oh Yoko!" mais tarde foi incluída na coletânea de maiores sucessos Working Class Hero: The Definitive Lennon.