domingo, 26 de junho de 2022

THE BEATLES - EIGHT DAYS A WEEK - THE SONG

Nenhum comentário:

"Eight Days a Week" foi composta por Paul McCartney e John Lennon com base numa ideia original de McCartney. Foi lançada no Reino Unido em dezembro de 1964 no álbum Beatles for Sale e nos Estados Unidos, foi lançada como single em fevereiro de 1965 chegando ao número 1. O single também foi número 1 no Canadá, Bélgica e Holanda. Os Beatles gravaram "Eight Days a Week" no EMI Studios em Londres em outubro de 1964. "Eight Days a Week" abre com um fade-in, marcando a primeira vez que essa técnica foi usada em uma gravação de estúdio pop. Também foi relançada mundialmente em 2000 na coletânea dos Beatles 1. E ainda foi o título para o documentário de 2016 do diretor Ron Howard sobre os anos da banda como artistas ao vivo, The Beatles: Eight Days a Week.
Muitos atribuem o título a um dos malapropismos de Ringo Starr, que também forneceu títulos para as músicas "A Hard Day's Night" e "Tomorrow Never Knows". McCartney posteriormente creditou o título a um motorista que uma vez o levou para a casa de Lennon em Weybridge. No livro Beatles Anthology, ele afirma: "Eu costumava dirigir até lá, mas o motorista me levou naquele dia e eu disse: 'Como você está?' – 'Oh, trabalhando duro', disse ele, 'trabalhando oito dias por semana". Em uma entrevista de 2016 ao lado de Ringo Starr e Ron Howard, em preparação para o lançamento do documentário The Beatles: Eight Days a Week - The Touring Years, McCartney reiterou que tinha ouvido isso de um motorista que o estava levando para a casa de Lennon enquanto ele estava proibido de dirigir. Starr disse que não foi a fonte da frase.
"Eight Days a Week" foi a primeira música que os Beatles levaram para o estúdio inacabada para trabalhar no arranjo durante a sessão, prática que se tornaria comum para a banda. A canção foi gravada em 6 de outubro de 1964 durante duas sessões que juntas duraram quase sete horas, com um intervalo de quinze minutos entre elas. A banda experimentou várias ideias para a introdução e o final da música. O primeiro take apresentava uma introdução simples de violão. O segundo take introduziu um vocal "oo" que foi experimentado até o sexto take, quando foi abandonado em favor de uma introdução de guitarra. O encerramento final (junto com as introduções não utilizadas) foi gravado separadamente, em 18 de outubro.

"Eight Days a Week" foi lançada em Beatles for Sale em 4 de dezembro de 1964. Foi sequenciada como a faixa de abertura do lado dois do LP. Descrevendo o efeito incomum fornecido pelo fade-in, o autor Mark Hertsgaard escreve que dava aos ouvintes "a sensação de ouvir a música antes que a música realmente chegasse; era como se o som surgisse ao longe, como um bando de pássaros migratórios que de repente enche o céu". A música, junto com outras duas do álbum ("Baby's in Black" e "No Reply"), foi considerada para um single. No final, foi lançada como single nos Estados Unidos em 15 de fevereiro de 1965, tornando-se um hit número um (sétimo dos Beatles naquele país). O lado B era "I Don't Want to Spoil the Party". O lançamento do single nos EUA foi resultado de DJs tocando a música de cópias importadas de Beatles For Sale, uma vez que não apareceu na versão americana do álbum Beatles '65, nem o lado B. Ambas as faixas foram incluídas no álbum norte-americano Beatles VI, lançado em junho de 1965.
"Eight Days a Week" foi certificado ouro pela Recording Industry Association of America em 16 de setembro de 1965. Foi a última das sete músicas dos Beatles a chegar ao topo da Billboard Hot 100 em um período de um ano. Em ordem, as sete músicas foram "I Want to Hold Your Hand", "She Loves You", "Can't Buy Me Love", "Love Me Do", "A Hard Day's Night", "I Feel Fine" e "Eight Days a Week""Eight Days a Week" foi produzida por George Martin e teve Norman Smith como engenheiro. John Lennon: vocais, violão e palmas; Paul McCartney: vocais, baixo e palmas; George Harrison: vocais, guitarra elétrica e palmas; e Ringo Starr: bateria e palmas. Paul McCartney cantou "Eight Days a Week" ao vivo – a primeira vez para qualquer Beatle – em 4 de maio de 2013 no Estádio Mineirão, Belo Horizonte, Brasil e esporadicamente ao longo de sua turnê Out There 2013–2015.

PAUL McCARTNEY - I'M GONNA BE A WHEEL SOMEDAY

Nenhum comentário:


"I'm Gonna Be a Wheel Someday" é uma canção pop composta por Roy Hayes, Fats Domino e Dave Bartholomew. Foi gravada pela primeira vez por Bobby Mitchell & The Toppers em 1957 e lançada no mesmo ano. A letra foi escrita por Hayes, que a encaminhou para Dave Bartholomew, que concordou em gravar a música como uma demo. Em 1957, Bartholomew gravou outra versão da música com o cantor Bobby Mitchell, lançada como single pela Imperial Records. Embora a versão de Mitchell fosse bem-sucedida localmente, não alcançou as paradas nacionais. Quando Bartholomew gravou a música novamente com Fats Domino em 1959 e a lançou como lado B de "I Want To Walk You Home", ela se tornou um sucesso, alcançando a posição 22 na parada de R&B da Billboard"I'm Gonna Be a Wheel Someday" já foi regravada por dezenas de artistas. Mas a melhor versão de todas é a de Paul McCartney, gravada para o álbum de covers CHOBA B CCCP, e julho de 1987, junto com outras 11 canções conhecidas: "Kansas City", "Twenty Flight Rock", "Lawdy Miss Clawdy", "I'm In Love Again", "Bring It On Home To Me", "Lucille", "That's All Right (Mama)", "Summertime", "Just Because", "Midnight Special" e 'It's Now Or Never'. "I'm Gonna Be A Wheel Someday" foi lançada pela primeira vez como um lado B do single "My Brave Face" de McCartney, junto com "Ain't That A Shame", outra música de Fats Domino das sessões de julho de 1987. Choba B CCCP foi lançado inicialmente na União Soviética em 1988. Três anos depois, foi lançado internacionalmente, com as faixas bônus "I'm Gonna Be a Wheel Someday", "Summertime" e "I'm In Love Again"Paul McCartney: vocais, guitarra e baixo; Mick Green: guitarra; Mick Gallagher: piano e teclados; Nick Garvey: vocais e baixo; Chris Whitten: bateria e Henry Spinetti: bateria e percussão.

GEORGE HARRISON - LIVING IN THE MATERIAL WORLD - ALBUM PROMO

Nenhum comentário:

THE ANALOGUES - EVERYBODY'S GOT SOMETHING TO HIDE EXCEPT ME AND MY MONKEY

Nenhum comentário:

sábado, 25 de junho de 2022

THE BEATLES - EIGHT DAYS A WEEK (from the film Eight Day's a Week (2017) *****

Nenhum comentário:

THE BEATLES EXPLOSION - 2007 - DOCUMENTARY

Nenhum comentário:


The Beatles Explosion é um documentário americano de 2007 dirigido por Sandy Oliver, que explora os primeiros dias dos Beatles com raras entrevistas, noticiários, conferências de imprensa e aparições na TV. Esta celebração da Beatlemania apresenta uma visão sincera do Fab Four detalhando seus pensamentos sobre a fama, a gritaria dos fãs e o fascínio da mídia por eles. Os Beatles se mostram encantadores, honestos e inteligentes ao longo de todo o programa. Áudio original em inglês e sem legendas.

PAUL McCARTNEY - GOOD DAY SUNSHINE - 2005 - SENSACIONAL!

Nenhum comentário:

sábado, 18 de junho de 2022

HAPPY BIRTHDAY SIR PAUL McCARTNEY - 80 ANOS!

Um comentário:

"When I get older, losing my hair, many years from now, Will you still need me, when I'm sixty-four?" (Quando eu ficar mais velho, perdendo meus cabelos, daqui a muitos anos, você ainda vai precisar de mim, quando tiver sessenta e quatro anos?). Nos versos de "When I'm Sixty Four", um jovem Paul McCartney se imaginava aposentado quando chegasse aos 64 anos. Mas hoje, a lenda pop mundial está completando 80 anos de uma vida iluminada, - e em plena forma. Uma semana antes de se apresentar em Glastonbury. O velho MAcca se tornará em 25 de junho, a atração mais velha da história desse festival de música britânico, que todos os anos atrai dezenas de milhares de pessoas ao sudoeste da Inglaterra. O show acontecerá dez dias após o término de sua turnê "Got Back", com a qual lotou estádios nos Estados Unidos por um mês e meio. Relutante em se afastar dos palcos, McCartney, que se apresenta solo há mais de 50 anos, teve de fazer uma pausa durante a pandemia da covid-19. Então se retirou em sua fazenda com sua filha Mary e quatro de seus oito netos. Mesmo recolhido, aproveitou para gravar o excelente "McCartney III", lançado em dezembro de 2020 e que alcançou o primeiro lugar nas paradas britânicas. Em 2021, voltou a gravar acompanhado de uma constelação de estrelas da música, publicou um livro que relembra toda sua carreira - "The Lyrics" - e escreveu um livro de receitas veganas com as filhas Mary e Stella, além de um conto infantil. E aos 80 anos, sua agenda está tão lotada como sempre. James Paul McCartney nasceu em Liverpool em 1942, em uma família modesta. Sua mãe, uma parteira, morreu quando ele tinha 14 anos. No ano seguinte, conheceu John Lennon e tocou com ele nos Quarrymen, que mais tarde se tornariam os Beatles, com a chegada de George Harrison e Ringo Starr. Os quatro, com seus cortes de cabelo icônicos, causaram histeria entre seus fãs. E assim "Beatlemania" varreu o mundo.
Ao lado de Lennon, McCartney escreveu sucessos como "Hey Jude", "Penny Lane" e, claro, "Yesterday", gravada em 1.600 versões diferentes. A amizade de infância, no entanto, foi quebrada. As filmagens de "Let It Be", em torno do álbum homônimo, levaram ao fim do "Fab Four" em 10 de abril de 1970, para grande pesar de seus milhares de fãs. Paul formou o grupo Wings com sua esposa, a fotógrafa Linda Eastman, no teclado. Tornou-se um pai de família vegetariano. O casal criou quatro filhos, Mary, Stella - agora estilista - James e Heather, do casamento anterior de Linda. Após 29 anos de casamento, Linda morreu em 1998 de câncer de mama. Com o coração partido, McCartney se dedicou a boas causas: meio ambiente, animais, direitos humanos. Tentou música clássica, pintura e escultura. Conheceu Heather Mills, uma ex-modelo cuja perna foi amputada em um acidente, e se casou com ela em 2002. Eles tiveram uma filha, Beatrice, antes do divórcio em 2008. Em outubro de 2011, Macca se casou com a americana Nancy Shevell. O Sunday Times estima a riqueza do casal em £ 865 milhões (mais de US$ 1 bilhão). Ao longo de sua carreira de sucesso, recebeu inúmeros prêmios, incluindo 18 Grammys, e foi nomeado "Sir" pela rainha Elizabeth II em 1997. Agora, há rumores de que poderá, em breve, ser feito "Lord", em um novo reconhecimento da marca cultural do músico prolífico do mundo. E o que eu acho mais legal disso tudo, é que estamos presenciando os 80 anos de Paul, aqui, hoje. E não quando já tiver virado história. Parabéns Dear Sir Paul McCartney. Deus lhe abençoe e muito, muito obrigado!

THE BEATLES - ALL MY LOVING... I WILL SEND TO YOU!!!

Nenhum comentário:

Geralmente considerada seu primeiro grande trabalho, o destaque de Paul McCartney no segundo álbum dos Beatles - With The Beatles - foi escrito durante a turnê da banda com Roy Orbison, que começou em 18 de maio de 1963. A música rapidamente entrou no set ao vivo dos Beatles, permanecendo em 1963 e grande parte de 1964. Também marcou o ponto em que Paul McCartney começou a emergir do domínio de John Lennon, afirmando-se como um talento igualmente digno de atenção.
Embora não tenha sido lançada oficialmente como single no Reino Unido ou nos Estados Unidos"All My Loving" atraiu considerável difusão nas rádios, o que levou a EMI a lançá-la como a faixa-título de um EP"All My Loving" foi lançada como single no Canadá, onde se tornou um hit número um. O single canadense foi importado para os EUA em quantidades suficientes para chegar ao número 45 na Billboard Hot 100 em abril de 1964.
Os Beatles gravaram "All My Loving" em quatro ocasiões para a BBC. Em 17 de dezembro de 1963, para o Saturday Club, que foi transmitido em 21 de dezembro. A segunda versão para a BBC foi em 18 de dezembro de 1963, para o primeiro show From Us to You, que foi transmitido em 26 de dezembro. A terceira ocorreu em 7 de janeiro de 1964 para mais um episódio do Saturday Club, transmitido em 15 de fevereiro. A versão final, que foi incluída no álbum Live At The BBC, foi novamente para From Us to You, gravado em 28 de fevereiro e foi ao ar em 30 de março.

"All My Loving" foi a primeira música interpretada pelos Beatles em sua apresentação de estreia no The Ed Sullivan Show em Nova York em 9 de fevereiro de 1964. Esta gravação extremamente importante foi incluída na coleção Anthology 1.
A versão que aparece no álbum With The Beatles, os Beatles gravaram em 30 de julho de 1963, uma sessão bem ocupada em que também finalizaram "Please Mister Postman", "It Won’t Belong", "Money (that’s what i want)", "Till There Was You" e "Roll Over Beethoven". "All My Loving" foi a última gravada nesse dia. Foi produzida por George Martin e teve Norman Smith como engenheiro. Os Beatles estão em seus instrumentos habituais: Paul McCartney - vocais e baixo; John Lennon - vocais de apoio e guitarra base; George Harrison - vocais de apoio e guitarra solo; e Ringo Starr - bateria. "All My Loving" está disponível nos álbuns With The BeatlesLive At The BBCAnthology 1.

PAUL McCARTNEY & WINGS - ROCKSHOW

Nenhum comentário:

Em 1975 e 1976, Paul McCartney e seus Wings realizaram a “Wings Over The World”, a maior turnê que eles fizeram como banda. Dessa turnê saíram tanto o lendário “Wings over America”, álbum triplo ao vivo e o ROCKSHOW, filme do concerto. Embora filmado nessa turnê no enorme estádio Kingdome em Seattle, "Rockshow", originalmente, uma versão reduzida do show, teve sua estreia apenas em novembro de 1980, em Nova York, e abril de 1981, em Londres. Foi lançado em Betamax e, mais tarde, em DVD. Somente em 2016 o show completo, em sua total duração, pela primeira vez, foi disponibilizado, a partir do filme de 35mm original, com som restaurado e remasterizado em 5.1.

PAUL McCARTNEY - SING THE CHANGES - SENSACIONAL!!!✶✶✶✶✶

Nenhum comentário:

"Sing The Changes" foi a terceira faixa do álbum Electric Arguments, terceiro álbum de The Fireman, duo formado por Paul McCartney e Youth. Foi anunciado pela primeira vez em 29 de setembro de 2008, no site de Paul McCartney, e lançado em 24 de novembro de 2008 no site da dupla. Foi o primeiro lançamento do Fireman a ser reconhecido publicamente por McCartney, e a capa do álbum apresenta os nomes de ambos os colaboradores em contraste com o anonimato de trabalhos anteriores.
Em 2008, em entrevista para  a revista Rolling Stone, Paul McCartney disse que chegou à música "Sing The Changes", assim como todas as outras músicas do álbum, "sem absolutamente nenhum conceito do que a melodia ou a letra seriam". E acrescentou: "Então foi como escrever no local, o que eu acho que emprestou uma eletricidade a todo o som. É meio que o que acontece quando você escreve uma música... mas em alta velocidade. Você só precisa pensar no ideia ali e então: "Primeiro pensamento, melhor pensamento", como disse Allen Ginsberg. Em vez de passar as próximas duas horas moldando-o, eu simplesmente me aproximava do microfone e cantava, como jogar tinta no parede, e então você apenas se afasta e dá uma olhada nela e vê se algumas coisas parecem boas".
Nos dias 17, 18 e 21 de julho de 2009, Paul McCartney tocou "Sing The Changes" no Citi Field em Nova York (antigo Shea Stadium). A faixa é um dos destaques do DVD e do excelente álbum duplo Good Evening New York City, lançado em 17 de novembro de 2009.

THE BEATLES - MICHELLE - I LOVE YOU, I LOVE YOU, I LOVE YOU, THAT'S ALL I WANT TO SAY💗💗💗💗💗💗

Nenhum comentário:


"Michelle" é uma canção dos Beatles, lançada no álbum Rubber Soul, de 1965. Foi composta e cantada por Paul McCartney. Possui algumas partes da letra em francês. Paul tinha a melodia da estrofe desde os tempos de colégio. Nas festas produzidas pela Faculdade de Artes que John cursava, McCartney costumava participar. Nela, havia uma brincadeira de cantar uma música imitando o sotaque francês, na qual Paul participava para ver se obtinha mais sucesso entre as garotas. Mais tarde, quando chegou a época das gravações de Rubber Soul, John lembrou da canção e sugeriu a Paul a fazer uma letra mais completa. No Ivor Novello Awards de 1967, "Michelle" venceu na categoria "obra mais executada" de 1966, à frente de "Yesterday""Michelle" venceu o Grammy Award de Canção do Ano em 1967 e em 1999, a Broadcast Music Incorporated nomeou "Michelle" como a 42° canção mais executada do século XX. Confira mais, muito mais sobre essa incrível música do fantástico Rubber Soul, na superpostagem THE BEATLES – MICHELLE, MA BELLE********** de 24 de novembro de 2019.

PAUL McCARTNEY - BABY'S REQUEST✫✫✫✫✫

Nenhum comentário:

"Baby's Request" foi a última música do último álbum do Wings, Back To The Egg, de 1979. Foi também uma das duas faixas bônus do álbum Kisses On The Bottom de 2012 de Paul McCartney. Paul escreveu a música para The Mills Brothers, um quarteto vocal americano de jazz e pop que chegou à fama na década de 1930. Sobre "Baby's Request", McCartney relembra: “Isso aconteceu porque estávamos de férias no sul da França e vimos The Mills Brothers, os famosos velhos Mills Brothers. Todos pensavam que eles estavam mortos, mas eles estavam no cabaré lá embaixo, tinham 73 anos e eram gordos. Eles foram ótimos e cantaram exatamente como costumavam e ainda são um grupo incrível. Fui vê-los nos bastidores e um deles disse: 'Ei, Paul. Que tal escrever uma música para os Mills Brothers?' Então eu disse, 'Sim, Herbie, tudo bem".
"Baby's Request" nunca foi originalmente planejada para ser gravada por McCartney ou Wings. Uma demo foi gravada, mas um mal-entendido com a gerência do The Mills Brothers fez com que ela fosse usada em Back to The Egg“Voltei para o hotel e passei o dia seguinte escrevendo uma música para eles e, quando voltamos para Londres, fizemos uma demo, enviamos para eles e, infelizmente, houve uma pequena falha na gestão. Por alguma razão, o empresário deles teve a ideia de que iríamos pagá-los para gravar. Então eles acabaram não fazendo isso, e acabamos fazendo nós mesmos". A gravação demo foi feita em outubro de 1978 no EMI Studios, em Abbey Road. Foi gravada em apenas alguns takes e foi usado no álbum sem ser regravada corretamente.
McCartney normalmente não tinha o hábito de regravar suas músicas anteriores, com algumas exceções, incluindo Give My Regards To Broad Street, de 1984. No entanto, ele abriu uma exceção para Kisses On The Bottom, sua coleção de clássicos americanos de 2012. A edição básica do álbum tinha 14 músicas, duas das quais eram novas composições originais de McCartney. Uma edição de luxo, por sua vez, teve duas faixas bônus: "Baby's Request" e outra versão cover, "My One And Only Love". A inclusão de "Baby's Request" elevou o número de composições originais para três. Da gravação para Back To The Egg em 1979, participaram: Paul McCartney - vocais, piano, baixo; Linda McCartney - vocais e teclados; Denny Laine - guitarras; Laurence Juber - guitarra; e Steve Holly - bateria. E da gravação para o Kisses On The Bottom em 2012: Paul McCartney - vocais; Diana Krall - piano; Bucky Pizzarelli - guitarra; Robert Hurst - baixo; Karriem Riggins - bateria; e Ira Nepus - trombone.

sexta-feira, 17 de junho de 2022

THE BEATLES - I'M HAPPY JUST TO DANCE WITH YOU - HQ

Nenhum comentário:

PAUL McCARTNEY - JUST BECAUSE / JOHN LENNON - JUST BECAUSE

Nenhum comentário:

"Just Because" foi a penúltima música do álbum de rock and roll Choba B CCCP de Paul McCartney em 31 de outubro de 1998. Escrita por Joe Shelton, Sydney Robin, and Bob Shelton, foi gravada pela primeira vez em 1933. Algumas fontes dizem que Sydney Robin escreveu a música e os Shelton adicionaram seu nome ao gravaram. Elvis Presley gravou "Just Because" em 10 de setembro de 1954 no Sun Studios. Foi lançada em seu álbum de estreia pela RCA. A versão de McCartney foi baseada no arranjo de Presley. Foi gravada em 20 de julho de 1987 no estúdio Hog Hill Mill, junto com outras onze canções conhecidas: 'Kansas City', 'Twenty Flight Rock', 'Lawdy Miss Clawdy', 'I'm In Love Again', 'Bring It On Home To Me', 'Lucille', 'I'm Gonna Be A Wheel Someday', 'That's All Right (Mama)' , 'Summertime' , 'Midnight Special' e 'It's Now Or Never'.

Também há outra música entitulada "Just Because", composta por Lloyd Price em 1957 e gravada pela primeira vez por Lloyd Price and His Orchestra em janeiro de 1957 e regravada em seguida por Larry Williams and His Band em fevereiro do mesmo ano e outras dezenas de covers que se seguiram ao longo dos anos. No início de 1975,foi lançada por John Lennon como a faixa de encerramento de seu álbum Rock 'n' Roll. "Just because you left and said goodbye, do you think that i will sit and cry?".

Confira também: BRING IT ON HOME TO ME

sexta-feira, 10 de junho de 2022

THE BEATLES - I'M ONLY SLEEPING - SENSACIONAL!

2 comentários:


"I'm Only Sleeping" é uma música dos Beatles de 1966 do seu sétimo ábum Revolver. Nos Estados Unidos e no Canadá, foi uma das três faixas que a Capitol Records cortou de Revolver e incluiu em Yesterday and Today, lançado dois meses antes de Revolver na Inglaterra. Creditada como mais uma música de Lennon & McCartney, foi escrita principalmente por John Lennon. "I'm Only Sleeping" inclui uma parte de guitarra solo invertida (ou backmasked), tocada por George Harrison, a primeira vez que tal técnica foi usada em uma gravação pop. Desde a padronização do catálogo dos Beatles para seu lançamento internacional em CD em 1987"I'm Only Sleeping" apareceu no Revolver na América do Norte. Em 2018, a equipe de música da Time Out London classificou "I'm Only Sleeping" no número 12 em sua lista das melhores músicas dos Beatles.

O primeiro rascunho da letra de Lennon para "I'm Only Sleeping", escrito no verso de uma carta de 1966, sugere que ele estava escrevendo sobre as alegrias de ficar na cama, em vez de qualquer euforia de drogas às vezes lida na letra. Enquanto não estava em turnê, Lennon costumava passar seu tempo dormindo, lendo, escrevendo ou assistindo televisão, muitas vezes sob a influência de drogas, e tinha que ser acordado por McCartney para suas sessões de composição. Em um artigo do London Evening Standard publicado em 4 de março de 1966, Maureen Cleave escreveu: "Ele pode dormir quase indefinidamente, é provavelmente a pessoa mais preguiçosa da Inglaterra. Fisicamente preguiçoso", disse ela.

A gravação começou nos estúdios da EMI em Abbey Road em 27 de abril de 1966 com onze takes da faixa rítmica, compreendendo dois violões, baixo e bateria. Cinco outras tomadas foram gravadas, mas não foram usadas. O Take 11 foi escolhido como master e dois dias depois Lennon adicionou seus vocais principais. Em 5 de maio, George Harrison escreveu e gravou a parte de guitarra dupla. No dia seguinte, a gravação foi completada pelos backing vocals de Lennon, McCartney e Harrison. A música apresenta o som então único de um dueto de guitarra invertido tocado por Harrison em uma sessão de gravação de cinco horas, já tarde da noite com o produtor George Martin. Harrison aperfeiçoou a parte com a fita rodando para trás para que, quando invertida, se encaixasse no clima de sonho. Uma guitarra foi gravada com efeitos fuzz, a outra sem. O engenheiro Geoff Emerick descreveu o processo meticuloso como "interminável". "Ainda posso imaginar George Harrison debruçado sobre sua guitarra por horas a fio", escreveu Emerick em 2006, "fones de ouvido presos, sobrancelhas franzidas em concentração". "I'm Only Sleeping" foi lançada pela primeira vez em 20 de junho de 1966 como a segunda faixa do álbum americano Yesterday and Today e em 5 de agosto de 1966 como a terceira faixa de Revolver, o álbum para o qual a música era destinada.

TONY SHERIDAN AND THE BEATLES - SWEET GEORGIA BROW

Nenhum comentário:

“Sweet Georgia Brown” é um standard do jazz e música pop composta em 1925 por Ben Bernie e Maceo Pinkard, com letra de Kenneth Casey. Tornou-se imediatamente popular. A gravação de sucesso de Ben Bernie and His Orchestra ficou nas paradas pop por 13 semanas seguidas. Em 1932, uma gravação de Bing Crosby de “Sweet Georgia Brown” (acompanhada por Isham Jones e sua orquestra) alcançou a segunda posição por três semanas. Uma gravação do Brother Bones and His Shadows alcançou o número dez em 1949 e em 1952 ganharia fama e reconhecimento como o hino dos Harlem Globetrotters, completo com coro assobiado. “Sweet Georgia Brown” já foi gravada por centenas de artistas ao longo dos anos como Count Basie , Eddie Condon, Dave Brubeck , Benny Carter, Sonny Criss, Herb Ellis, Ella Fitzgerald , Stan Getz , Dizzy Gillespie , Stephane Grappelli, Coleman Hawkins , Gene Krupa, Charlie Parker , Oscar Peterson , Bud Powell , Django Reinhardt , Sonny Stitt , Art Tatum, Mel Torme , Anita O'Day, Ben Webster e Lester Young, entre outros tantos, incluindo Tony Sheridan e os Beatles em 1962.

PAUL McCARTNEY - DISTRACTIONS - SENSACIONAL!

Nenhum comentário:

THE BEATLES - WE CAN WORK IT OUT *****

Nenhum comentário:

THE HOLLIES - THE AIR THAT I BREATHE*****

Nenhum comentário:

"The Air That I Breathe" é uma balada escrita por Albert Hammond e Mike Hazlewood, inicialmente gravada por Albert Hammond em seu álbum de 1972 It Never Rains in Southern California. Foi um grande sucesso com The Hollies no início de 1974, alcançando o número dois no UK Singles Chart. Em meados de 1974, alcançou a sexta posição nos Estados Unidos na parada Billboard Hot 100 e a terceira na parada Adult Contemporary. No Canadá, alcançou o quinto lugar nas paradas da revista RPM. A engenharia de áudio de "The Air That I Breathe" foi feita por Alan Parsons. Em uma entrevista, Parsons mencionou que Eric Clapton disse que as primeiras notas de "The Air That I Breathe" tinham mais alma do que qualquer coisa que ele já tinha ouvido. Esta versão da música apresentava um arranjo de orquestra de cordas, que também apresentava uma seção de metais.

terça-feira, 7 de junho de 2022

TRAVELING WILBURYS - INSIDE OUT - ABSOLUTAMENTE SENSACIONAL!!!

3 comentários:

"Inside Out" é uma canção do supergrupo Traveling Wilburys de seu álbum de 1990 Traveling Wilburys Vol. 3. Foi escrita por todos os membros da banda, que foi reduzida a um quarteto após a morte de Roy Orbison em dezembro de 1988, e foi a primeira música em que trabalharam para o álbum. "Inside Out" aborda ecologia questões ambientais. A letra se refere a um mundo onde o céu, a grama e a água se tornaram misteriosamente amarelos. A gravação da faixa começou em um estúdio privado em Bel Air, em Los Angeles, em abril de 1990, e foi concluída três meses depois no estúdio Friar Park de George Harrison, na Inglaterra.

"Inside Out" foi lançada como single promocional nos Estados Unidos, onde alcançou a posição 16 na parada Album Rock Tracks da Billboard. Para a composição, o grupo se reuniu em uma casa particular que apelidaram de "Camp Wilbury", no topo do Coldwater Canyon em Bel Air, em abril de 1990, para as sessões de composição e gravação inicial. George Harrison lembrou que ele, Tom Petty, Jeff Lynne e Bob Dylan terminaram a música em uma hora desde o início do trabalho. Ele disse que isso o encorajou a perceber que a banda poderia continuar como antes, apesar da perda de Orbison. Os vocais são conduzidos por Bob Dylan e Tom Petty, com George Harrison assumindo o comando da ponte. O autor Ian Inglis identifica a narrativa principal como uma piada aparentemente "privada" entre Dylan e Petty, enquanto a seção de Harrison fornece um elemento bem-vindo de intriga musical e lírica na qual, "enfatizando a necessidade de estar atento, ele alerta que "algo está acontecendo por aí”. O apresentador da BBC Radio, Bob Harris, disse sobre "Inside Out""Apesar do tom brincalhão, ’Inside Out’ tinha uma mensagem séria sobre os danos causados ​​ao meio ambiente".

THE BEATLES - I FEEL FINE - EM CORES!

Um comentário:

segunda-feira, 6 de junho de 2022

THE BEATLES - STRAWBERRY FIELDS FOREVER - FOREVER!

Um comentário:

"Strawberry Fields Forever" é uma dos Beatles, composta por John Lennon e creditada à dupla Lennon-McCartney. Foi inspirada nas lembranças de Lennon quando brincava no jardim de "Strawberry Field", um orfanato do Exército da Salvação próximo da casa onde ele morava. "Strawberry Fields" foi gravada para possível inclusão no álbum (até então sem título) Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band, tendo sido a primeira gravada nas sessões para esse álbum, mas acabou sendo lançada em fevereiro de 1967 como um compacto de duplo lado-A com "Penny Lane", de Paul McCartneyO lado A duplo alcançou o número 2 na parada Record Retailer, quebrando assim a série de quatro anos da banda de singles no topo das paradas no Reino Unido. "Strawberry Fields Forever"  alcançou o oitavo lugar nos Estados Unidos, com numerosos críticos descrevendo-a como uma das melhores gravações do grupo. Posteriormente foi incluída na versão americana de Magical Mystery Tour.
Foi uma canção chave para a definição do rock psicodélico, e foi regravada por dezenas de artistas incluindo Richie Havens, Todd Rundgren, Peter Gabriel, Ben Harper e Los Fabulosos Cadillacs com Debbie Harry"Strawberry Fields Forever" foi aclamada pelos críticos e ainda é considerada um clássico. Três semanas depois de seu lançamento, a revista Time saudou a canção como "a mais recente amostra da espantosa inventividade dos Beatles". Richie Unterberger, da Allmusic, elogiou a canção como "uma das maiores realizações dos Beatles, e uma das melhores canções da parceria Lennon-McCartney". Ian MacDonald escreveu em Revolution in the Head que a canção "mostra uma expressão de ordem superior... poucos - ou nenhum [dos compositores contemporâneos] - são capazes de expor sentimento e fantasia de maneira tão direta, espontânea e original". Em 2010, a revista Rolling Stone elegeu "Strawberry Fields Forever" como a terceira das 100 melhores canções dos Beatles. Também foi escolhida como a segunda melhor dos Beatles pela Mojo, ficando atrás de "A Day In The Life". Ficou ainda em oitavo lugar das melhores músicas de todos os tempos pela Acclaimed Music.

domingo, 5 de junho de 2022

GEORGE HARRISON - MY SWEET LORD - REALLY WANT TO SEE YOU! ✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶✶

Um comentário:


George Harrison foi muitas vezes rotulado como “o Beatle quieto” desde o tempo do auge da carreira do Beatles. Talvez esse apelido tenha surgido por causa do papel de Harrison como guitarrista principal ou do banco de trás que ele ocupou em entrevistas com a imprensa. Independentemente da quietude percebida de Harrison, o ex-Beatle tinha muito o que dizer. E depois que os Beatles se separaram em 1970, Harrison lançou seu primeiro single solo, “My Sweet Lord” apenas sete meses depois.
“My Sweet Lord” tem conotações e referências religiosas evidentes. O que torna o conteúdo religioso desta música diferente da maioria, é o uso das terminologias cristãs e hindus. O objetivo de Harrison ao combinar as duas religiões era chamar a atenção para o sectarismo religioso, ou a noção percebida de conflito entre grupos. As referências cristãs aparecem através da repetição de My sweet Lord, bem como usando a frase de chamada à fé cristã 'Aleluia'. Também na letra estão várias citações de louvação a divindades hindus, 'Hare Krishna''Hare Rama' etc.

Now I really want to see you (Hare Rama)
Really want to be with you (Hare Rama)
Really want to see you, Lord
But it takes so long, my Lord (hallelujah)
Hmm, my Lord (hallelujah)
My, my, my Lord (Hare Krishna)
My sweet Lord (Kare Krishna)
My sweet Lord (Krishna Krishna)
My Lord (Hare hare)
Hmm, hmm (Gurur Brahma)
Hmm, hmm (Gurur Vishnu)
Hmm, hmm (Gurur Devo)
Hmm, hmm (Maheshwara)
My sweet Lord (Gurur Sakshaat)
My sweet Lord (Parabrahma)
My, my, my, my Lord (Tasmayi Shree)
My, my, my, my Lord (Guruve Namah)
My sweet Lord (Hare Rama, Hare Krishna)
My sweet Lord (Hare Krishna)
My sweet Lord (Krishna Krishna)
My Lord (Hare hare)

A tentativa lírica de
Harrison de fazer a ponte entre o cristianismo e o hinduísmo era o significado da música. Há também um pouco de impaciência na faixa escrita por Harrison. "Eu realmente quero te ver, Senhor", Harrison canta, "Mas demora tanto, meu Senhor". Esses versos lembram a própria jornada espiritual de Harrison, na qual ele estudou intensamente religiões orientais, especificamente Hindu. Em sua exploração, Harrison foi particularmente atraído pelos ensinamentos do monge indiano Swami Vivekananda. Um desses ensinamentos diz: “Se existe um Deus, devemos vê-lo. E se existe uma alma, devemos percebê-la”. Com certeza, George se lembrou disso em “My Sweet Lord”.
Apenas alguns meses depois de lançado o single de “My Sweet Lord”, George Harrison foi processado pela Bright Tunes Music Corporation por violação de direitos autorais. A organização alegou que Harrison se inspirou de forma não autorizada na música de Ronnie Mack “He’s So Fine”. A Bright Tunes possuía os direitos de publicação da música naquele momento devido à morte de Mack. Durante o processo, Harrison explicou que, na verdade, ele se inspirou na música “Oh Happy Day” de Edwin Hawkins Singers, não na música de Mack. Infelizmente, porém, Harrison foi considerado culpado de “plágio subconsciente” em 31 de agosto de 1976. Processo à parte, “My Sweet Lord” foi um enorme sucesso, e foi o primeiro single número um de um Beatle após a separação da banda. Também precedeu o icônico álbum triplo de Harrison, All Things Must Pass. O single recebeu a certificação de ouro da Recording Industry Association of America, por ter vendido mais de um milhão de cópias. No Brasil, foi a 18ª música mais tocada nas rádios em 1971.