domingo, 29 de novembro de 2015

A PEDIDOS - OS ÚLTIMOS DIAS DE GEORGE HARRISON

Publicada originalmente em 29 de novembro de 2009
George era o filho caçula de Harold e Louise Harrison. Tinha três irmãos: Louise, Harry e Peter. Com exceção de Louise (filha) todos estão mortos vítimas de câncer. Louise (a mãe) morreu em 1970 com 58 anos. Harold morreu em 1978 com 70 anos. Harry morreu nos anos 90 e Peter em 2007. George faleceu em 29 de novembro de 2001. Sua última aparição diante das câmeras foi em 1997 para a promoção do disco “Chants Of Índia” de Ravi Shankar. Os primeiros sinais da doença apareceram nesta época. George desapareceu ainda mais da mídia e começou a batalha contra o mal. Para complicar ainda mais, ele e sua mulher Olívia sofreram um atentado de um intruso que invadiu sua casa em 1999. No ano seguinte, George passou por várias cirurgias tentando retirar o câncer do pulmão. Mas ele reapareceu em metástase. Em 2001, apesar dos tratamentos agressivos, logo constatou-se que era terminal. George decidiu passar seus últimos dias com a família e trabalhar em alguns projetos para posteriormente serem terminados por sua viúva e filho. George planejou com calma e serenidade cada dia até sua morte. Longe da ribalta, discretamente, como era sua filosofia de vida, não permitindo a invasão da sua privacidade e da sua família. Apenas três pessoas sabiam onde e como George Harrison iria morrer: a mulher, Olivia, e o amigo, Gavin De Becker, que se encarregou de cuidar de tudo. Nem o filho, Dhani, sabia onde o pai iria morrer. Tudo foi combinado meticulosamente entre George Harrison e Gavin De Becker, do médico que passaria a certidão de óbito à capela onde seria cremado. No dia 17 de Novembro, sabendo que o fim estava próximo, George mandou chamar a irmã e os amigos de sempre Paul McCartney e Ringo Starr. Para um Paul McCartney emocionado e com o rosto cheio de lágrimas disse: “ja não estarei aqui no natal”. Ringo disse que ficaria com ele até o fim e que cancelaria uma excursão marcada para o Canadá. George não permitiu dizendo-lhe que estava em paz. Sem publicidade, no dia 17 de Novembro, George Harrison foi levado no jato particular de Gavin De Becker para Santa Monica, California, tendo depois sido transportado de ambulância descaracterizada até ao UCLA Medical Centre, em Los Angeles.No dia 20, o estado de George deteriorou-se e ele foi transferido para a casa de Gavin De Becker, em Beverly Hills, onde ficou isolado. A única visita exterior permitida foi a de Ravi Shankar. A morte viria a ocorrer às 13h30 da quinta-feira, 29 de Novembro. Além da família, dois dos seus melhores amigos indianos, Shayam Sundara e Mukunda, entoaram cânticos Hare Krishna, enquanto o George desfalecia. O corpo de George Harrison foi cremado às 06h30 do dia 30 de Novembro. As cinzas seguiram na segunda-feira, 03 de Dezembro, para a Índia onde foram espalhadas num rio sagrado, provavelmente o Yamuna. O álbum póstumo de George Harrison, Brainwashed, foi completado por seu filho Dhani Harrison e Jeff Lynne e lançado em 18 de novembro de 2002, e foi um sucesso consagrado pela crítica. Exatamente um ano após sua morte, Olívia Harrison, sua mulher, e Eric Clapton, seu amigo, organizaram o Concert for George, no Royal Albert Hall, em Londres. O concerto contou com a presença do filho de George, Dhani, além de grandes amigos como Ravi Shankar, Tom Petty, Jeff Lynne, Billy Preston, Jim Capaldi, Paul McCartney, Ringo Starr, Jools Holland, Albert Lee, Sam Brown, Gary Brooker, Joe Brown, Ray Cooper, integrantes do Monty Python e Tom Hanks.

2 comentários:

João Carlos disse...

Rapaz... parece que foi ontem. Um amigo me ligou cedinho e deu a notícia. Foi comovente.

Valdir Junior disse...

Na época, já vinha me preparando para o inevitável, as noticias que chegavam antes eram desanimadoras. No dia acordei cedo e fui trabalhar, no caminho , sem mais nem menos comecei a cantar comigo mesmo a faixa "That's What It Takes" do Cloud 9. Quando cheguei recebi uma ligação da minha mãe, " O George morreu" foi o que eu ouvi, na hora tive um sensação de alivio, paz e a certeza que ele havia descansado. Mas tarde a noite a emoção tomou conta de mim.