quarta-feira, 4 de novembro de 2015

THE BEATLES - SHE SAID SHE SAID - 2015

"She Said She Said" é uma canção escrita por John Lennon (creditada a Lennon-McCartney) e lançada pelos Beatles em seu álbum de 1966, “Revolver”. Lennon a descreveu como "uma música ácida", com letra inspirada pelos comentários do ator Peter Fonda, durante uma festa regada a muito ácido lisérgico em 1965 com membros dos Beatles e os Byrds.
Quando os Beatles visitaram Los Angeles em agosto de 1965, aluga­ram uma casa no 2850 Benedict Canyon por uma semana enquanto faziam shows em Portland, San Diego, no Hollywood Bowl e em San Francisco. Uma tarde eles deram uma festa, e Neil Aspinall, Roger McGuinn e David Crosby, do Byrds, o ator Peter Fonda e o correspondente do jornal Daily Mirror Don Short estavam entre os convidados. "Neil Aspi­nall foi mandado para me acompanhar ao andar de baixo, onde ficava a piscina, porque eu era o único jornalista. O trabalho dele era me distrair para o fato de que todo mundo estava tomando ácido", Short recorda. No andar de cima, longe dos olhos de Short, todos(com exceção de Paul) estavam de fato viajando com LSD. Era a primeira vez que John e George deliberadamente tomavam a droga, e eles estavam ansiosos para fazer uma bela viagem depois das visões perturbadoras da primei­ra experiência, não intencional. Fonda tinha tomado ácido muitas vezes e se colocou no papel de guia. "Eu me lembro de sentar no deck da casa com George, que me contou que achava que estava morrendo", diz Fonda. "Eu disse a ele que não havia nada a temer e que tudo o que ele precisava fazer era relaxar. Contei que sabia o que era estar morto porque quando tinha 10 anos acidentalmente atirei no meu próprio estômago, e meu coração parou de bater três vezes enquanto eu estava na mesa de operação porque perdi muito sangue. John estava passando naquele momento e me ouviu dizer 'eu sei o que é estar morto'. Ele olhou para mim e disse 'você me faz sentir como se eu nunca tivesse nascido. Quem colocou toda essa merda na sua cabeça?”. Roger McGuinn achou que isso havia perturbado John porque ele estava inseguro. "Todo mundo tinha tomado ácido, e John não aguen­tou. Ele disse: 'Tirem esse cara daqui'. Foi bizarro. Tínhamos acabado de assistir a Cat Bailou, com Jane Fonda, e John não queria saber de nada dos Fonda. Ele estava usando o filme contra Peter, e o que ele disse só piorou tudo", conta McGuinn. De fato, a primeira demo da música (que se chamava "He Said, He Said") é muito mais agressiva do que a gravação final: "I said, 'Who put ali that crap in your head?/ I know what it's like to be mad/ And it's making me feel like my trousers are torn” (Eu disse: quem colocou essa porcaria toda na sua cabeça? Eu sei o que é estar louco e estou me sentindo como se minha calça estivesse rasgada). Mas John achou que, como canção, ela não estava indo a lugar nenhum, e a abandonou. "Apesar de ter surgido de uma experiência real, não significava nada", ele disse. "Era apenas um som."
Mas dias depois ele pegou a música de novo e tentou criar outra estrofe. "Escrevi a primeira coisa que me veio à mente, e foi 'when I was a boy', em uma batida dife­rente. Mas era real, tinha acabado de acontecer", conta John. Peter Fonda não tem dúvidas sobre a origem da composição. "Quando ouvi Revolver pela primeira vez, soube exatamente de onde a música tinha vindo, mesmo que John nunca tenha admitido para mim, e eu nunca tenha contado a ninguém".
http://farm5.static.flickr.com/4109/
"She Said She Said" foi a última faixa gravada durante as sessões Revolver. Foram necessárias nove horas para ensaiar e gravar a música, completa com overdubs. Estranhamente, pela primeira vez em uma música dos Beatles, Paul McCartney não teria participado da gravação. McCartney não consegue se lembrar se ele apareceu ou não: "Eu acho que nós tivemos uma discussão ou alguma coisa e eu disse, “Ah, fôda-se!”, e eles disseram: “Bem, vamos fazê-lo”. Acho que George tocava baixo”. No entanto, a documentação da EMI contradiz isso, e a ficha técnica do estúdio sugere fortemente que McCartney tocou baixo na pista de base antes de sair da sessão. Seja como for, os créditos “oficiais” da canção trazem: John Lennon - guitarra, vocais, órgão; George Harrison - guitarra (rastreadas duas vezes), harmonias vocais, baixo e Ringo Starr – bateria e tambores.

8 comentários:

Edu disse...

Nunca, em toda minha vida, tinha ouvido falar dessa história que McCartney não participou. Vou pesquisar mais e consultar a bíblia de Mark Lewisohn...

João Carlos disse...

Vale consultar porque Paul disse que o baixo era dele. Dá pra notar nas viradas típicas em certas partes. Suponho até que que a tenha gravado sozinho, como fazia nesse tempo e o Geoffrey Ellis narrou.

Edu disse...

Paul disse isso?

Edu disse...

Paul disse isso?

João Carlos disse...

Ele falou que havia sim umas discussões e tal. Mas, não lembrava de não ter gravado o baixo. Fica entendido que, eles podem ter discutido e Paul se retirado, todavia, como já era normal, Paul costumava ficar sozinho e gravar os baixos (repetidas vezes) só com os técnicos, depois que todos iam embora.
Note-se que ninguém antes (em diversas entrevistas) fala sobre isso. Nem mesmo os técnicos e fofoqueiros. Só recentemente apareceu essa suposta estória. Mas é só ouvir a música com atenção. O baixo é típico dele.

Edu disse...

Consultei várias fontes: o livro de Mark Lewishon “Abbey Road Years”, o de Geoff Emmerick “Minha Vida Gravando os Beatles”, o de Steve Turner “A História Por Trás de Todas as Canções”, o de Jeff Russell “Gravações Comentadas”, etc. O único que faz alguma menção a isso, é o de Barry Miles “Many Years From Now”, que não afirma que sim nem não, diz apenas que “provavelmente” ele não teria participado. Fora isso, somente em alguns sites internacionais, mas nada oficioso. Portanto, acho que o que vale é a coisa do jeito que a conhecemos. E ponto.

Valdir Junior disse...

Boa explicação Edu, eu também tinha duvida com relação a essa informação. Prefiro acreditar que ele participou sim.

Edu Lima disse...

Cara ele ter se retirado e o George ter gravado o baixo pra montar os arranjos é algo normal dá ocasião pode ter ocorrido, paul não é senil ele concerteza se conhece claro e se lembraria de não ter tocado obvio, concerteza George tocou ensaiou e até gravou alguma coisa, mas paul deve ter gravado a parte como dá pra perceber ouvindo ...