sexta-feira, 20 de março de 2015

JIM CROCE - I GOT A NAME - SENSACIONAL!


Jim Croce era um cara até comum demais para a sua época e que o sucesso apareceu meteoricamente. Mas era meio esquisitão. Parecia muito com um certo Frank Zappa, mas as semelhanças paravam aí. O tímido jovem James Joseph Croce, nascido no Sul da Philadelphia, em 10 de janeiro de 1943 – tinha um sonho: queria ser compositor e cantor. E não demorou muito para que começasse sua carreira profissional tocando em bandas quando ainda estudava na universidade de Villanova, em 1964. Foi então que o destino pareceu lhe sorrir no final dos anos 1960, quando a Capitol Records assinou com ele e sua esposa Ingrid um contrato de gravação. Não deu em nada. O álbum foi um fracasso e nosso herói retornou à sua cidade natal onde foi trabalhar como motorista de caminhão. Mas logo o destino lhe sorriria novamente. Ele perceverava e não deixou de escrever canções em nenhum momento. Foi uma dessas canções que chegou aos ouvidos de um executivo da ABC Records que lhe ofereceu um contrato como artista solo. Ufa! Tudo parecia clarear!

Então, vieram três álbuns de grande sucesso na ABC, um atrás do outro e vários singles, incluindo "You Don't Mess Around With Jim", "Operator", "Bad, Bad Leroy Brown", "I Got A Name", "Time In A Bottle", música que ele compôs em homenagem ao filho, A.J., e "I'll Have to Say I Love You in a Song".

Mas o destino ainda lhe reservava mais um golpe. Dessa vez, fatal. Em 20 de setembro de 1973, sua carreira acabou tragicamente, quando ele e todos os seus colegas músicos embarcaram em um avião privado rumo ao Texas, onde fariam um show. O avião caiu nas montanhas de Natchitoches, na Louisiana, matando todos a bordo. Jim Croce estava com 30 anos. Entre 1966 e 1973, ele gravou cinco álbuns de estudio e 11 singles. "Bad, Bad Leroy Brown" e "Time in a Bottle" foram nº 1, na parada da Billboard Hot 100.

Mais ou menos recentemente, uns poucos anos, a canção "Time In A Bottle" ganhou uma fama notável ao ser usada em uma cena do filme X-men: Dias de um Futuro Esquecido. A sensacional “I Got A Name”, que a gente confere agora, foi usada no filme também sensacional, Django Livre, escrito e dirigido por Quentin Tarantino.

3 comentários:

Fábio Simão disse...

Nossa, que história complicada. Na vida real, o final nem sempre é feliz.

Edu disse...

Legal demais. Pura lembrança da minha infância... Ducas! Demorou para aparecer aqui. Demorou pra me lembrar. Welcome Croce!!! Antes tarde do que nunca! Também me lembra um certo cantor português que fez muito sucesso por aqui nos meados dos anos 70, Hermes de Aquino, e seu megasucesso global "Nuvem Passageira" da novela "O Casarão". Para toda essa galera dessa minha época, e para todo mundo aqui do nosso blog preferido, aquele abraçãozasso!
Égua! Isso ficou maior que o do Veloso. "É por que foi de coração!" - Luiz Gonzaga

João Carlos disse...

Legal. Não conhecia nada sobre ele.