sábado, 22 de fevereiro de 2014

BURT BACHARACH - Por JOÃO CARLOS DE MENDONÇA


Quem viveu aqueles fantásticos anos sabe do que estou falando. O pianista e compositor BURT BACHARACH foi o maior e melhor criador das melhores músicas “açucaradas” da história da música pop. Sempre foi aquele típico músico americano de canções tolas de amor que atravessou quase duas décadas (e ainda está na ativa) produzindo sucessos que concorriam com todos os movimentos musicais surgidos naquele período citado. Enquanto a Bossa Nova conquistava o mundo, o império britânico revolvia o rock com o beat, o psicodelismo, o rock progressivo, o glitter e o punk, a era dos festivais (Woodstock, Ilha de Wight, Monterrey Pop) bombava, e o blues elétrico e o jazz fusion americanos ditavam tendências...sempre havia alguma música dele nas paradas internacionais, correndo por fora. Um fenômeno. De repente, grandes nomes da “soul music” e até do “rock” registrariam suas criações, sem contar que seus vários temas tinham lugares cativos no repertório vetusto dos grandes nomes do jazz. Trilhas para filmes então, são incontáveis. A titulo ilustrativo, devo lembrar que lançou um álbum inteiro em parceria com ELVIS COSTELLO chamado “Painted From Memory”.

Nascido em 1928 em Kansas City (Missouri), começou a carreira como pianista e arranjador de MARLENE DIETRICH até conhecer seu principal letrista, “HAL DAVID” (co-responsável por suas mais significativas canções), mas também escreveu com outros diversos parceiros. Seria impossível listar quem gravou ou regravou suas músicas, embora sua mais efetiva intérprete tenha sido DIONNE WARWICK, também CARPENTERS, ARETHA FRANKLIN, STAN GETZ, WEST MONTGOMERY e a banda inglesa MANFRED MANN o interpretaram desde o início dos anos 60. Bem recentemente, várias bandas e cantores contemporâneos participaram de um disco tributo em sua homenagem. Para o cinema, sua canção RAINDROPS KEEP FALLING ON MY HEAD (com BJ Thomas) é parte inseparável da magia do filme “Butch Cassidy and Sundance Kid” e sua trilha sonora para HORIZONTE PERDIDO é antológica, com destaques para as singelas canções “LIVING TOGETHER, GROWING TOGETHER” e “THE WORLD IS A CIRCLE”. Sem contar as que foram utilizadas em diversas outras produções de Hollywood. E não é que logo em seu 1º disco, pode-se ouvir um Lennon totalmente convicto cantando com os Beatles “BABY IT’S YOU”, escrita por... Dá prá alguém contar o número exato de regravações de “WALK ON BY”? Talvez você não identifique pelo nome nenhuma dessas canções, mas experimente ouvir “(They Long To Be) CLOSE TO YOU”, “LOVE THEME FROM ARTHUR”, “THE LOOK OF LOVE”, “ALFIE”, “THIS GUY’S IN LOVE WITH YOU”, “CASSINO ROYALE”, “I JUST DON’T KNOW WHAT TO DO WITH MYSELF”, “SAY A LITTLE PRAYER”, “WHAT THE WORLD NEEDS NOW”, “PROMISES PROMISES” e “I’LL NEVER FALLING IN LOVE AGAIN”. Apenas 10% do material que tenho às vistas. Entre os intérpretes estão Duke Ellington, Nina Simone, Isaac Hayes, Stevie Wonder, Chrissie Hynde, Sinatra, Sérgio Mendes, Neil Diamond e Seal. É pouco? BURT não é tão açúcar assim! Mas um café com Suita. E eu tomo, eu tomo, eu tomo...

3 comentários:

Fábio Portugal disse...

Nesse blog só tem fodão!

João Carlos disse...

Eita prestígio. Publicar no Baú deixa qualquer um cheio de si! Valeu amigo!

Valdir Junior disse...

Bom bom João Carlos , muito bom mesmo !!!
O Burt é "o Cara " !!!!!