quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

MAHARISHI MAHESSI YOGI - UM HOMEM SANTO OU UM PICARETA?

Acho que nem uma coisa nem outra. Apenas um homem. Há seis anos, no dia 5 de fevereiro de 2008, Maharishi Mahesh Yogi, fundador e principal divulgador da Meditação Transcendental, o polêmico "Guru dos Beatles", aos 90 anos, partiu do mundo material para o encontro com o Divino. Essa matéria que a gente confere agora, foi publicada originalmente em 12 de julho de 2010.
Maharishi Mahesh Yogi foi sempre absolutamente sigiloso a respeito da sua vida pessoal, contudo algumas fontes referem que nasceu como Mahesh Prasad Varma, em Jabalpur, Madhya Pradesh, Índia, em 12 de Janeiro de 1917, no seio de uma família hindu de classe média da casta kshatrya (guerreiros). Contudo, o seu passaporte indica a data de 12 de Janeiro de 1918. Em 1940, licenciou-se em física na Universidade de Allahabad.
Em 1941, tornou-se discípulo de Swami Brahmananda Saraswati (1871-1953), Shankaracharya de Jyotirmath, nos Himalaias. Pouco tempo depois, tornou-se brahmacharya (o primeiro nível da vida monástica, em que o noviço faz voto de castidade, pobreza e de obediência ao guru), tendo recebido o nome de Bal Brahmacharya Mahesh e trabalhou como secretário do Shankaracharya, ou Guru Dev. Depois da morte de Guru Dev em 1953, Mahesh retirou-se para Uttar Kashi, um vale nas encostas dos Himalaias, retiro de muitos yogis e eremitas, onde o seu mestre vivera durante muitos anos. Ali, o Brahmacharya Mahesh praticou meditação intensiva. Em 1955, começou a ser importunado por um pensamento recorrente a respeito de Rameshwar, uma cidade no sul da Índia. Um dos seus amigos yogis aconselhou-o a ir a Rameshwar para se libertar desse desejo incomodativo e a regressar a Uttar Kashi logo que possível. Mahesh assim fez. Pouco depois de chegar a Rameshwar, foi abordado na rua por um homem que lhe pediu que fizesse um conjunto de palestras sobre a sabedoria dos mestres dos Himalaias. As palestras foram um sucesso e o Brahmacharya Mahesh, em vez de regressar a Uttar Kashi, viajou pela Índia divulgando a sua técnica de Dhyan Vidya, como então lhe chamava. Consistia numa forma de mantra yoga, em que o praticante aprende a meditar durante uma pequena e simples cerimónia iniciática, em que lhe é comunicado pelo instrutor o seu mantra pessoal. Em 1957, em Madrasta, fundou o Movimento de Regeneração Espiritual com o intuito de divulgar mundialmente a sua Meditação Profunda e de trazer a auto-realização e a paz ao mundo, e em 1958 iniciou a primeira das suas digressões internacionais, visitando vários países asiáticos. Em 29 de Janeiro de 1959, Maharishi Mahesh Yogi, chegou a San Francisco e divulgou a Meditação Transcendental (MT) junto de alguns membros da alta sociedade norte-americana. A MT revelou-se um imenso sucesso e depressa se tornaria uma moda nos meios burgueses. No seu trabalho de divulgação, Maharishi teve a preciosa ajuda do casal Olson e do engenheiro Charlie F. Lutes, um dos seus mais brilhantes e sinceros discípulos.
No início dos anos 1960, o Maharishi viajou até Inglaterra, tendo sido muito bem acolhido pelos seguidores de P.D. Ouspensky, então sob a direcção do Dr. Francis Roles da Study Society, e que procuravam um método eficiente para "despertar". O Dr. Roles e os seus alunos seguiram o Maharishi durante algum tempo, mas quando viajaram com ele até à Índia conheceram Swami Shantanand Saraswati, o discípulo designado por Guru Dev para lhe suceder como Shankaracharya de Jyotir Math. Por considerar que os ensinamentos de Swami Shantanand eram mais autênticos e profundos, o Dr. Roles e grande número dos seus seguidores desligaram-se de Maharishi. Tornaram-se discípulos de Shantanand, praticando desde então a meditação ensinada pelo seu novo mestre. Ainda hoje, a Study Society continua a divulgar, com sucesso, a técnica segundo Swami Shantanand.
Em 1967, a Meditação Transcendental atraiu a atenção de George Harrison, que entusiasmado pela leitura de Autobiografia de um Iogue de Paramahansa Yogananda contagiou os outros Beatles com os seus anseios místicos. Maharishi não desperdiçou esta oportunidade única de se associar às pessoas mais famosas e populares do seu tempo e de divulgar a MT junto das massas juvenis. Foi o que aconteceu: em breve, milhares de jovens hippies e de estudantes corriam às palestras que o sorridente e pequeno (1,65 m) guru dava nas universidades e nos centros de MT nos Estados Unidos da América e da Grã-Bretanha, para aprenderem a meditar à semelhança dos seus ídolos, os Beatles. Em 1968, os Beatles viajaram com Maharishi até à sua Academia de Meditação em Rishikesh, nos Himalaias, na companhia de outras celebridades como Mia Farrow, Donovan e Mike Love dos Beach Boys. Os Beatles relaxaram, meditaram, mas também, ao que parece, consumiram drogas leves, sem o conhecimento de Maharishi. Foi um dos períodos mais produtivos de John Lennon e Paul McCartney, que escreviam várias canções por dia, que mais tarde fariam parte do White Album.Contudo, teria havido um desentendimento entre os Beatles e Maharishi, por conta de chegar ao conhecimento de Maharishi de que os Beatles estariam tomando drogas dentro de sua Academia de Meditação em Rishikesh o que deixou Maharishi muito incomodado por esta atitude no que resultou na saída dos Beatles da Academia de Meditação. Os Beatles não gostaram de ser repreendidos por Maharishi por estarem tomando drogas onde era suposto seguirem uma rotina dedicada inteiramente para a espiritualidade, quando regressaram da Índia para se justificarem começaram a criar para a mídia e o público outras razões porque abandonaram e para ficarem bem perante a opinião pública inventaram calúnias como assedio sexual por parte de Maharishi. Nos anos 1970 a Meditação Transcendental tinha sido ensinada a vários milhões de pessoas em todo o mundo, e era praticada por muitas delas, sobretudo universitários e jovens empresários. A MT era uma técnica mental simples, ensinada de forma homogénea e padronizada e portanto prestava-se facilmente a ser objecto de um estudo científico sério. Os estudos levados a cabo por vários cientistas mostraram que a MT baixava a tensão arterial, o ritmo cardíaco, o índice de lactato, aumentava a coerência e a integração do funcionamento cerebral. Também havia regulação do cortisol e outras hormonas associadas com o stress crónico, e uma regularização saudável dos níveis de serotonina (um neurotransmitor associado ao humor). Foi nesta década que Maharishi expandiu o seu movimento a nível corporativo, criando vários estabelecimentos de ensino superior, nos Estados Unidos, na Suíça, na Holanda e na Índia.Em 1978 Maharishi lançou o programa MT-Sidhi, que visa o aprofundamento dos estados superiores de consciência produzidos pela Meditação Transcendental. Baseia-se num conjunto de técnicas descritas nos Yoga Sutra de Patanjali, e cuja prática supostamente produz poderes psíquicos como clarividência, visões do microcosmo e do macrocosmo, viagens interiores a mundos sobrenaturais e vôo ióguico. Maharishi defende que a prática do vôo ióguico produz níveis de coerência cerebral de tal magnitude que se for efectuada em grupo cria um efeito benéfico de apaziguamento e de redução dos níveis de violência no meio circundante — o chamado Efeito Maharishi. Nos anos 1980 Maharishi integrou no seu movimento outros aspectos da ciência védica como as práticas tradicionais do ayurveda (sistema milenar de medicina natural e homeopática) e do jyotish (astrologia védica). Havia alguns anos que Maharishi estabelecera a sua residência em Vlodrop, na Holanda. Apesar de envelhecido, mantinha-se sempre enérgico na divulgação e na defesa da sua Meditação Transcendental, como meio fácil e eficaz de desenvolver o potencial humano e alcançar a felicidade e a paz na Terra. Contudo, nas suas mais recentes declarações, sobretudo depois dos ataques de 11 de Setembro de 2001, mostrava-se bastante desiludido e amargurado com a espécie humana e com a estupidez dos seus governantes em não aproveitarem o instrumento de pacificação que é a Meditação Transcendental e a não a adotarem em massa. Em 11 de Janeiro de 2008, Maharishi anunciou aos seus seguidores que o seu trabalho no mundo estava terminado e que se retirava para o silêncio e para o estudo dos Vedas. Desde então nunca mais se pronunciou publicamente. Cerca das 19h00 de 5 de Fevereiro de 2008 (véspera do Mahashivaratri), em Vlodrop, Maharishi morreu dormindo, de causas naturais. Tinha 90 anos de idade.
Muito poucos sabem, conhecem, ou já ouviram falar sobre essa história: Depois que os Beatles retornaram da Índia, George nunca confirmou, mas também nunca desmentiu a lorota sobre o Maharishi inventada por Alex Mardas com total endosso de John Lennon. No entanto, isso incomodou George por todos os anos que se seguiram. Então, em 1992, finalmente, o “Ex-Beatle” foi procurar o Maharishi. Os dois não se viam e nunca mais se falaram desde aquela manhã, quando Lennon, Harrison, suas mulheres e o “Magic Alex” fugiram apressados do “Ashram” em 1968. Baseado agora nos Países Baixos e nessa época com 75 anos, o Maharishi concedeu em meio às lágrimas, seu perdão a George Harrison. Maharishi disse: “Eu achava que os Beatles eram anjos na terra. Como poderia ficar chateado com anjos?”.

 

2 comentários:

João Carlos disse...

Era apenas um professor de meditação transcendental.Nunca se disse santo ou divino.Excelente texto.

Valdir Junior disse...

Texto perfeito , nem é preciso falar mais nada !!!