domingo, 7 de maio de 2017

LITTLE RICHARD - TUTTI FRUTTI - SENSACIONAL!

Rock'n'roll quer dizer balanço, tumulto, barulho, confusão, excesso de energia. E, se já houve um cantor que encarnasse tudo isso, foi cer­tamente Little Richard. Tinha tanto balanço e explosão que fazia Elvis parecer uma tartaruga e uma voz tão veloz quanto um carro de Fórmula 1 - qualidades capazes de tornar im­possível qualquer tentativa de imi­tação. E Tutti Frutti, sua primeira gravação já lhe serviu como cartão de apresentação e dizer ao mundo a que veio. A partir do momento em que aquele mulato com cabelo tão empastelado de laquê e gumex - que poderia facilmente gerar uma combustão espontânea - gritou pela primeira vez em um disco as palavras mágicas “Awopbopaloomopalopbombom!”, o planeta em que vivemos nunca mais foi o mesmo. Com essa abertura onomatopéica avassaladora (o riff de uma bateria de jazz, como Richard havia imaginado) e a letra enérgica e cheia de provocações, a canção tornou-se um modelo não somente para o artista como também para o Rock and roll de uma maneira geral.
O que muita gente desconhece é que a letra de “Tutti-Frutti” traz uma disfarçadíssima sacanagem de Richard a respeito de sua própria bissexualidade. Ele até já cantava uma versão bruta da canção muito antes de gravá-la em estúdio, nas espeluncas e pardieiros que serviam de locais para suas apresentações afetadíssimas. Tinha uma letra mais “casca grossa” que falava abertamente a respeito de sexo anal, não necessariamente heterossexual – “Tutti Frutti, good booty / If it don’t fit, don’t force it / You can grease it, make it easy”, algo como "Tutti Frutti, buraco gostoso / se não cabe, não força a barra / dá uma lubrificada para facilitar”. Sutil, não? A pedido do produtor Bumps Blackwell, a letra foi reescrita pela compositora Dorothy LaBostrie para atender aos padrões moralistas daquela época. Quando foi lançada, a canção se tornou um hit instantâneo nas rádios americanas, o que fez com que os chefões de outras gravadoras lançassem suas próprias versões de “Tutti-Frutti” com jovens cantores brancos. Um deles era um bom moço, professor carola de uma escolinha de Nashville, chamado Pat Boone. O outro tinha sido um jovem motorista de caminhão e que então se aventurava pelo mundo da música. Seu nome era Elvis Presley. Os dois venderam milhares de discos. Richard não viu sequer a cor da grana de direitos autorais por conta de um péssimo contrato assinado com o selo Specialty. Mesmo assim, é a gravação de Richard que passou para a História e mudou o mundo.
Resultado de imagem para LITTLE RICHARD - TUTTI FRUTTI
Em 2007, uma votação que incluía de JOE PERRY a JACK JOHNSON como jurados, a revista britânica Mojo Magazine, elegeu "Tutti Frutti" em 1º lugar na lista das 100 Maiores Gravações que Mudaram o Mundo. Nessa mesma votação organizada pela revista Mojo, "Tutti Frutti" foi descrita como o "som do nascimento do Rock and roll". Em abril de 2012, a revista Rolling Stone declarou que a canção "ainda possui o que é considerado a letra mais inspirada de rock já gravada".

3 comentários:

Joelma disse...

Vozerão

Valdir Junior disse...

Uma das "pedradas" fundamentais do Rock and Roll!!!

Valquiria Ribeiro disse...

Espetacular!