terça-feira, 11 de dezembro de 2012

MCCARTNEY & LENNON OU LENNON & MCCARTNEY?

No dia 11 de dezembro de 2002, Paul McCartney deixou a viúva de John Lennon furiosa com o lançamento de seu disco "Back In The U.S.". O CD inclui dezenove músicas dos Beatles, creditadas a "Paul McCartney e John Lennon" ao invés do tradicional "Lennon/McCartney". "O que ele fez foi absolutamente inapropriado", disse o advogado de Yoko, Peter Shukat. "John e Paul tinham um acordo. Isso é muito significante. Os dois discordavam a respeito de quem tinha escrito qual música. Se John estivesse aqui, ele poderia lutar por isso ou, talvez, ele nunca concordasse. Mas, o ponto importante é que John teria de estar aqui e ele não está", acrescenta Yoko. Segundo ela, a dupla decidiu creditar todas as músicas a "Lennon/McCartney" há quarenta anos. Embora Paul não tenha comentado o assunto pessoalmente, seu porta voz, Geoff Baker, disse que o acordo era diferente e, "na década de sessenta, ficou decidido que eles poderiam trocar os nomes de lugar se assim quisessem".
Paul declarou que esta era a regra na pulicação do livro "Beatles' Anthology", em 2000, vinte anos depois da morte de Lennon. O contrato de Paul com sua gravadora permite que ele modifique os créditos das músicas conforme entender e, de fato, as cinco músicas dos Beatles incluídas no disco "Wings Over America" (lançado pelos Wings em 1976) foram creditadas a "McCartney/Lennon". Nessa época, Lennon ainda estava vivo e nunca disse nada a respeito. Por outro lado, em qualquer lançamento feito pela gravadora dos Beatles, os créditos deveriam ficar como estão. Foi aí que a briga realmente começou, em 1996, quando, no livreto do CD "Anthology 3" estava sendo escrito. O advogado e cunhado de Paul, John Eastman, exigiu que 18 músicas dos Beatles (incluindo "Blackbird", "Get Back" e "Hey Jude"), que eram creditadas à dupla, fossem exclusivamente passadas para o nome de Paul, omitindo-se completamente Lennon. Na época, os Beatles remanescentes se opuseram violentamente a idéia e Eastman foi obrigado a publicar uma declaração dizendo que agiu com zelo demais e que agiu sem instruções de Paul.

4 comentários:

João Carlos disse...

Não acho grande pecado inverter em discos solos de regravações menos nos oficiais dos Beatles. Todavia virou uma marca.Um símbolo: Lennon & McCartney.Maior que todos,principalmente John&Yoko! A ordem dos fatores etc... mas a gente e o mundo já nos acostumamos!

Leonardo Polaro disse...

Numa boa, achei que o Paul poderia deixar passar essa.
´´Lennon/McCartney´´ é uma marca , talvez a mais importante e valiosa do mundo musical, e soou como que se ele não se importasse muito com isso.
Mas...
Business ,baby !

Valdir Junior disse...

Sinceramente, acho isso uma besteira do Paul , do que importa quem vem primeiro quem vem depois ??!!
Não precisamos saber a ordem para saber quem fez o que , não é ??!!!
A Dona Yoko por sua vez tambem gosta de dar chilique com isso !!
Os Stones parecem ( apesar de toda briga entre eles )não se importarem ( até hoje ) se foi Jagger/Richards ou Richards/Jagger que fez a musica , e olha que com certeza tem sempre mais a mão de um do que de outro

jonas gomes silva disse...

essa dupla e maio que isso