segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

PAUL MCCARTNEY - NEW WORLD TOUR - 1993


Há 19 anos, na noite de 3 de dezembro de 1993, uma sexta-feira, Paul McCartney subiu ao palco do estádio do Estádio do Pacaembu em São Paulo para a primeira de duas apresentações que faria na cidade. Nas turnês atuais, arrumar um ingresso para um show do ídolo é tarefa inglória. Em 1993, porém, havia bilhetes à venda até pouco antes de Paul subir ao palco, com mais de meia hora de atraso - uma demora proposital, conforme os comentários nos bastidores, para dar tempo do estádio ficar mais cheio. Se hoje, setentão, Paul impressiona pela ótima forma, em 1993, recém cinquentão, não parecia nem de longe um astro veterano. Era muito mais fácil enxergá-lo ainda como um beatle.

Parte da New World Tour, que somou 78 shows em quatro continentes, a apresentação de 1993 foi mais curta (32 canções em duas horas e meia, contra 36 em três horas nas atuais turnês) e um pouco menos baseada no repertório dos Beatles. A banda de apoio a Paul era mais numerosa, com sonoridade mais pop. Fazia interpretações mais polidas do catálogo beatle - ponto negativo na comparação com o quarteto que acompanha Macca atualmente, de firme pegada roqueira.

Da formação que Paul trouxe ao Brasil daquela vez, restou somente um remanescente: Paul "Wix" Wickens, tecladista, guitarrista, colaborador do ex-beatle desde 1989 e diretor mundial das últimas turnês. A grande ausência, evidentemente, é Linda McCartney. Ficava ao lado esquerdo de Paul no palco, tocando teclado e percussão e fazendo backing vocals. Papel secundário na banda, é claro, mas companhia que o dono do show não dispensava.

A turnê mundial de 1993, aliás, foi a última de Paul e Linda. Ela morreu de câncer cinco anos depois da passagem pelo Brasil. Paul só voltou a fazer uma série de shows tão extensa depois de passados outros cinco anos, em 2002. Daquela visita a São Paulo, porém, o casal levou boas lembranças. Paul e Linda ficaram hospedados numa casa de praia, num condomínio fechado no Guarujá, litoral do estado. Tinham reservado nove dias, pagando 1.000 dólares de aluguel por diária. Gostaram dali e decidiram ficar mais quatro. Por influência de Linda, o telão do show no Pacaembu mostrou não só as obrigatórias imagens de arquivo dos Beatles, mas também cenas de crueldades cometidas contra animais - causa preferida dela, adotada por ele também. Entre os grandes momentos da noite, uma homenagem a John Lennon, cujo assassinato completaria treze anos apenas cinco dias depois do show. Da abertura, com Drive My Car, ao fechamento do último bis, com Hey Jude, Paul fez uma apresentação antológica. Relembrando o setlist: Drive My Car, Coming Up, Looking For Changes, Jet, All My Loving, Let Me Roll It, Peace In The Neighborhood, Off The Ground, Can't Buy Me Love, Robbie's Bit, Good Rockin' Tonight, We Can Work It Out, I Lost My Little Girl, Ain't No Sunshine, Hope Of Deliverance, Michelle, Biker Like An Icon, Here There And Everywhere, Yesterday, My Love, Lady Madonna, C'mon People, Magical Mystery Tour, Let It Be, Live And Let Die, Paperback Writer, Back In The U.S.S.R., Penny Lane, Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, Band On The Run, I Saw Her Standing There e Hey Jude.

4 comentários:

Valdir Junior disse...

" Eu estava lá " !!!!
" Eu vi e vivi isso tudo " !!!
Um dos dias mais inesquecíveis da minha vida !!!
Quando o show começou , o Paul não deixou um segundo a peteca cair !!
E ainda ganhamos na entrada o " Tour Programe " ( velhos tempos , hoje temos que pagar por ele ) !!!

andrezbeatle disse...

Também tava lá!!!
Inesquecível!!!
Brigadão Edu!!!

Lidiane Pessoa disse...

Maravilha de postagem Edu!!!!

Luis da Silva disse...

Paul é mesmo incrível, sempre se supera em todos os seus shows.