domingo, 25 de junho de 2017

OS BEATLES NA ITÁLIA - MAMMA MIA!

A turnê dos Beatles pela Europa em 1965 começou em 20 de junho por Paris e já dava sinais de que algo estava começando a não dar mais tão certo como antes no reino da Beatlelândia. Desembarcaram no aeroporto de Orly, e foram diretamente para o George V Hotel. A recepção dos fãs foi muito tranquila se comparada aos pa-drões dos Beatles, pois apenas 50 pessoas os aguardavam na frente do hotel. Apenas doze mil assistiram às duas apresentações no Palais des Sports, que também contou com a presença dos Yardbirds. O segundo show foi transmitido na rádio e na TV francesas. O repertório dos Beatles durante a tumê na Europa incluía: “Twist And Shout”, “She’s A Woman”, “I’m A Loser”, “Can’t Buy Me Love”, “Ba-by’s In Black”, “I Wanna Be Your Man”, “A Hard Day’s Night”, “Everybody’s Trying To Be My Baby”, “Rock And Roll Music”, “I Feel Fine”, “Ticket To Ride” e “Long Tall Sally”. Em 22 de junho, os Beatles e sua entourage pegam um voo para Lyons, onde a banda faz dois shows no Palais d’Hiver. No outro dia, partem de trem para Milão.No dia 24, os Beatles fazem seu primeiro show na Itália no Velodromo Vigorelli, em Milão, um anfiteatro a céu aberto com capacidade para 22 mil pessoas. Brian Epstein ficou decepcionado ao ver tantos lugares vazios, principalmente no show da tarde, que foi assistido por apenas 7 mil pessoas.

A imprensa culpou os altos preços dos ingressos e a forte onda de calor que assolava a cidade pelo baixo número de espectadores. No dia 25, uma equipe de corridas da Alfa Romeo leva o grupo para Gênova em quatro carros. A banda se apresenta no Pallazo dello Sport, um an-fiteatro com capacidade para 25 mil pessoas. Novamente havia vários lugares vazios na plateia, sendo que o show da tarde atraiu um público de apenas 5 mil fãs. Então vão para Roma. Os Beatles fazem duas apresentações no Teatro Adriano. Em uma delas, enquanto tocavam “I Wanna Be Your Man”, com Ringo no vocal, Paul, sem motivo aparente, teve um acesso de riso e precisou sair do palco. George não gostou nada da brincadeira e sua irritação ficou patente. Quando Paul voltou ao palco, o microfone caiu no chão e ele co¬meçou a rir novamente. John entrou na onda, o que deixou George ainda mais furioso. No final dos shows, Paul agradeceu à plateia em italiano. Fonte: "O Diário dos Beatles" de Barry Miles.

5 comentários:

Marcio Pereira disse...

Quem poderia ter ido e não foi deve estar arrependido até hoje.

Benilson Silva disse...

Edu me socorra ai, será que o baixo indice de audiência nas apresentações Italianas, não teve haver com as comparações de Lennon: Em que ele declarou achar a banda mais popular do que Jesus? São fatos simultâneos?

Valdir Junior disse...

A reação do Paul, John e George já davam sinais de cansaço dessas turne mal planejas e estafantes.

Joelma disse...

Quem não doi deve ter sse arrependido mesmo. Duvido se fosse hoje se os shows não lotariam. Mas deve ter sido um alívio pra eles afinal eles devem ter se escutado cantando.Só que eles devem terb ficado muito surpresos quando viram a quantidade da plateia

Júlio disse...

O formato dos shows dos Beatles já estava defasado naquela época. Shows curtos, quase todos os dias, às vezes mais de uma vez por dia, equipamentos com poucos recursos...tudo isso era muito desgastante, e não acompanhava a evolução musical do conjunto. Tanto foi que pouco tempo depois eles decidiram parar de se apresentar ao vivo.