terça-feira, 19 de agosto de 2014

THE BEATLES - I WANT YOU - SHE'S SO HEAVY

O dia 20 de agosto de 1969, entrou para a história como o último dia em que John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr estiveram juntos num estúdio. Trabalharam para a mixagem stereo de “I Want You (She’s So Heavy)” e todo o resto de finalização do disco “Abbey Road”. Foi nesse dia que John Lennon sonseguiu o final abrupto da música mandando que cortassem a fita. Depois, os quatro Beatles ouviram todas as faixas do disco, já na provável seqência do álbum.
A letra de "I Want You", que consiste apenas na repetição do título e na informação de que o desejo está enlouquecendo John, chegou a ser citada no programa de atualidades da BBCTV 24 Hours como um exemplo das banalidades da música pop. John se enfureceu, pois estava convencido de que sua simplicidade a tornava superior a "Eleanor Rigby" e "I Am The Walrus". Para ele, não se tratava de uma involução para o pop monossilábico e descuidado, era apenas economia de linguagem. "I WantYou" foi escrita como uma canção de amor paraYoko. John admitiu a influência que ela teve em seu novo estilo de compor e disse que pretendia um dia escrever a canção perfeita: com apenas uma palavra. Um poema deYoko de 1964 consistia apenas na palavra "water".
"I Want You (She's So Heavy)" - Eu Te Quero (Ela é Tão Pesada) é uma das gravações de estúdio mais complexas que os Beatles realizaram. Começou a ser gravada em fevereiro de 1969, no Trident Studios, mas só foi concluída em agosto, em Abbey Road, depois de uma infinidade de edições e vários overdubs. "I Want You" é um excelente exemplo do apetite insaciável do grupo para usar as últimas novidades técnicas de gravação em uma constante busca por novos sons no mundo de gravação e da tecnologia. Lennon parecia decidido a combinar alguns dos sons mais pesados da época, como Jimi Hendrix e Cream, usando um riff de blues encharcado com espessas camadas de guitarra, efeitos de sintetizador Moog, e uma minimalista melodia vocal. Depois de 35 tomadas da faixa básica, uma edição foi feita dos três melhores partes takes, que apresentam uma série de mudanças de tempo, balançando alternadamente a partir de um, se arrastando, riff denso mais lento para um lounge quase jazz. Lennon imita sua própria melodia vocal, dobrando as notas de sua guitarra. As mudanças na intensidade da voz de Lennon, vão desde um sussurro dolorido para gritos rudes da alma, repetindo segudamente os versos simples da canção, "Eu quero você / Eu te quero tanto, querida / Eu quero você / Eu te quero tanto / isso me deixa louco / isso me deixa louco. O tecladista Billy Preston adiciona as texturas apropriadas através das muitas mudanças, a partir de um descontraído tom de notas de órgãos nas seções jazzy mais leves para uma arrogância durante os momentos mais pesados da canção. A banda apresenta uma fluidez impressionante, especialmente Paul McCartney, mostrando evoluções consideráveis na linha do seu baixo, pulsando um fluxo constante de notas de seus instrumentos através dessas várias mudanças. Não foi até a sessão de 11 de agosto que Lennon introduziu a linha de guitarra de apoio, acompanhando poderosamente a letra cantada por Lennon, McCartney e George Harrison, aparecendo durante as últimas seções os riffs de guitarra circulares pesados da canção. Os últimos três minutos são consumidos por um redemoinho das guitarras e overdubs em muitas camadas usando recursos de rastreamento de estúdio recém-expandidas. Lennon também construiu um redemoinho monstruoso de som denso usando um dos primeiros sintetizadores Moog combinado com um gerador de ruído branco. Com as guitarras agitadas a martelar, a parede de ruído branco, eventualmente, começa a engolir o resto da música antes que a faixa seja encerrada de forma dramática, deixando um silêncio ensurdecedor. No passado, Lennon disse que a fita tinha corrido simplesmente para fora, criando esse final único, mas desde então essa versão tem sido refutada pelo engenheiro sessão Alan Parsons no livro detalhado de Mark Lewisohn "The Beatles Recording Sessions: The Official Abbey Road Estúdio Session Notes", recordando: "Nós estávamos colocando os últimos retoques para fechar o lado 1 do LP e fomos ouvir o mix. John disse: 'Não! Cortem a fita aqui! E Geoff Emerick cortou. Fim do lado 1. O seu final abrupto, editado propositalmente por John, também foi, na época, muito comentado por ser inusitado em termos musicais. Outra coisa interessante nela é a duração de quase oito minutos: um tamanho desproporcional para as canções dos Beatles, só ficando atrás de Revolution 9. Participaram das sessões de gravação: John Lennon: vocal, vocalização, guitarra solo, sintetizador moog, efeitos sonoros, órgão Hammond; George Harrison: guitarra, vocalização; Paul McCartney: baixo, vocalização; Ringo Starr: bateria e Billy Preston: órgão.

6 comentários:

Fábio Simão disse...

A parte instrumental desta música é tão intensa que você não percebe a repetição das mesmas frases da letra durante toda a música.

Matheus Felizari disse...

A forma como o John soma a guitarra ao vocal é incrível!

jonas gomes silva disse...

amo esse disco , quando chega nessa faixa eu me arrepio todo . e incrível .

jonas gomes silva disse...

amo esse disco , quando chega nessa faixa eu me arrepio todo . e incrível .

Valdir Junior disse...

Uma das minhas favoritas !!
Tudo nela vai ao extremo : guitarra,voz, bateria,baixo e o arranjo no geral !!
É o Blues que mais me arrepia !!

João Carlos disse...

Phodástica! Com todo respeito.