sexta-feira, 29 de julho de 2016

A PRIMEIRA VEZ, A GENTE NUNCA ESQUECE!

A primeira vez que eu tive contato com os Beatles, eu tinha 5 anos em 1967 e morávamos em Anápolis. A gente tinha vindo de Carolina, no sul do Maranhão, onde não havia ainda televisão. Nessa época, meu pai e alguns irmãos dele tinham uma fábrica de sabão em Anápolis. Então, nos mudamos para lá. Foi quase como mudar de país. Para mim, um menino de cinco anos, Anápolis era quase como uma Nova York. Finalmente, conhecemos a televisão. Eu, meu pai e meu irmão delirávamos com os desenhos animados e programas maravilhosos como “Jovem Guarda”. Assistíamos jogos de futebol e novelas bobas quando um comercial anunciou que estrearia o programa “Beatles Cartoons”. No comercial, tinha uma música fantástica que nos encantou. Era “A Hard Day’s Night”, mas nós (eu e meu irmão) não conseguíamos falar aquilo nem por um decreto. Era simplesmente: “osbinarrardeisnaite” e as vassouras passaram a ser guitarras, não perdíamos um episódio sequer. A fábrica começou a ter problemas e tivemos que voltar para Carolina e logo eu esqueci dos Beatles Cartoons. Em 1969, mudamos aqui pra Brasília, mas minha Beatlemania mesmo só floresceu em 1975, quando foi relançado “Help!”. E você? Como foi sua primeira vez com os Beatles? Compartilhe aqui conosco e concorra a um livrão bem legal (que eu ainda não sei qual é). Aceita-se sugestões. Valeu!

9 comentários:

João Carlos disse...

Minha irmã me chamou pra ver na TV uns caras que pareciam a Rita Pavone. Fiquei extasiado com o que vi/ouvi. O melhor é que eu ouvia as músicas nos rádios e etc, mas não sabia que eram da mesma fonte. Entrei em transe e uma fissura que dura apenas até hoje. Tenho 60 anos. Tinha então, 8 anos. É pouco?

Edu disse...

É não!

Valdir Junior disse...

Meu contato veio da forma mais chocante e triste. Foi no dia 9/12/1980 as 08:00hs da manha, quando acordei, minha mãe estava escutando o radio AM, que ela sempre ouvia, e estava uma verdadeiro loucura, como ainda acontece hoje quando uma celebridade morre, e minha disse que o John Lennon dos Beatles havia morrido. Numa confusão tipica de um menino de 10 anos recém completados, confundi os Beatles com os Monkees, que eu assitia naquele seriado de TV.

Mais tarde com a enxurrada de noticias no decorrer do dia, fui apresentado a imagens e musicas que até então desconhecia por completo e que mostravam algo que eu nunca tinha visto ou sentido na vida, uma explosão de alegria, felicidade, liberdade, melodia, harmonia e a sensação de estar vivo. E dai em diante minha vida mudou completamente.

Edu disse...

YES!

Valquiria Ribeiro disse...

Eu ouvi os Beatles pela primeira vez e me apaixonei para sempre em um programa de rádio chamado "Peça bis pelo telefone". A rádio era a extinta radio Mayrinck Veiga. Os Beatles sempre voltavam na votação e eu colocava o rádio no último volume. Eu tinha uns oito anos, hoje tenho sessenta e dois.

Marcelennon disse...

Eu tinha por volta de 8 anos e já amava "IMAGINE", até hoje minha canção favorita. A morte do John ainda era recente e doía demais no peito do menino que aprendera a amar aquele sujeito como se ele fosse da família e cuja morte doera talvez até mais do que a de muitos conhecidos. Um dia, por volta de 9/10 anos, um amigo me sugeriu ouvir "uma banda que nunca mais vai sair de sua ideia": The Beatles. Minha maior surpresa, depois, foi perceber que as canções do John Lennon me traziam a impressão de que havia ali um diálogo comigo... Fui pesquisar em uma loja e achei um vinil chamado"20th Greatest Hits" (uma belíssima coleção de sucessos datada de 1982, que, inFelizmente, não foi lançada em CD). Lembro todo o ritual feito: juntei uma semana do meu suado dinheirinho conseguido à custa de muito picolé vendido na rua, fui até a loja, comprei o disco e fui para casa. Ali, quase como uma iniciação da minha adolescência, coloquei o vinil no prato do toca-discos e... BUM!!! Aquele som mágico entrava pelos meus ouvidos e transformava minha vida... As coisas não eram mais em preto e branco... Dali para frente foi tudo colorido! Ainda me lembro da primeira vez que ouvi "Help!"... Foi amor à primeira ouvida! Meu amor por essa canção foi tão grande que fui à uma banca de jornais, onde tinha visto uma revista dos Beatles com algumas músicas cifradas para violão (naquela época, se quisesse conseguir uma letra de música, caso não estivesse no encarte do disco, só assim...) e, maravilhado, vi que tinha a letra de "Help!" ali. Pedi uma graninha ao meu pai e comprei essa revista. Aprendi a cantar "Help!" em 3 dias e algumas outras, como "Hey Jude" e "Let it Be" logo em seguida. Aquilo virou uma mania... Vendia picolé, achava outros discos deles que eu não tinha, comprava, levava pra casa e tudo era feito da mesma maneira. Lembro-me que, um tempo depois de "Please Please Me", "Help!" e "Let it Be" (não me lembro se nessa ordem...) cheguei ao "Rubber Soul". Este foi o disco que fez com que essa banda passasse a ser a banda da minha vida e com que eu me apaixonasse totalmente pelos Fab Four. Até hoje é o meu favorito e canções como "In My Life" e "Nowhere Man" ainda estão entre as minhas canções inesquecíveis. Depois vieram "Revolver", "White Album", "Abbey Road" (com a inesquecível "Golden Slumbers")... Puxa... Nunca mais fui o mesmo! Até hoje, aos 43 anos de idade, minha vida se divide em a.B. (antes dos Beatles) e d.B. (depois dos Beatles)... BEATLES FOREVEEEEEEEEEEEEER!

Joelma disse...

Minha irmã mandou gravar uma fita cassete na única loja de lps da cidade e entre outras músicas tinha duas dos Beatles She loves You e From me to You (mas na não sabia o nome das músicas e nem os cantores). Nunca procurei conhecê-los até que em 1º de abril de 2015 vi uma notícia na internet sobre a morte de Cynthia Lennon primeira esposa de John Lennon essa notícia levou a um vídeo em que Julian Lennon falava na praia sobre o pai (um pouquinho ácido) e daí me levou a um vídeo dos Fab Four e daí me apaixonei perdidamente pelos garotos de Liverpool.

Gustavo Araújo disse...

Meu primo Helinho ia para minha casa todo fds. Um dia levou a coletânea beatlemania. Tínhamos uns 7 anos. A coletânea era basicamente o with the Beatles com I wanna hold your hand, she loves you e I saw her..... Ouvíamos muito naquela vitrola que acabava com os discos. Isso era 78, 79. Ou seja, cresci na beatlemania. Depois descobri que um primo mais velho tinha o Help e o the Collection of Beatles Oldies e peguei emprestado. Eram aqueles discos em que o vinil ficava numa capa que tinha a foto de todos os discos dos Beatles. A coletânea era de 66 e era alucinante. Depois comprei a coletânea 1967-1970 e tudo mudou.... Além daquelas músicas alucinantes os caras faziam arte pura como a 1a música., Strawberry..... O Helinho comprou a 1962-1966 que cabia numa fila de 60 min. Tudo isso foi antes dos 9 anos. Hj tenho 44. Interessante é que não descobri nada que chegue perto desde então... Na morte do John minha irmã mais velha sofreu mais que eu apesar de eu ser o viciado.

Joelma disse...

Só complementando a década era de 80 e na cidade que cresci (Chapadinha Ma) não tinha nem rádio hehe e as fita gravada não veio com identificação das músicas mas na hora que ouvi She Loves You eu pirei. Arrependimento de não ter conhecido eles logo...