terça-feira, 12 de julho de 2016

RINGO STARR - ROCK ISLAND LINE

A Rock Island and Pacific Railroad (CRI&P RR), ferrovia de Chicago, foi uma companhia ferroviária de primeira classe dos Estados Unidos da América. Ela também era conhecida como a Rock Island Line, ou, nos anos finais, apenas como The Rock.
A construção da Rock Island iniciou em 1 de outubro de 1851, em Chicago, e o primeiro trem foi operado em 10 de outubro de 1852, entre Chicago e Joliet. As suas principais linhas incluiam Minneapolis à Kansas City, via Des Moines; St. Louis à Santa Rosa, via Kansas City; Herington à Galveston, via Fort Worth e Dallas; e Santa Rosa à Memphis. O maior tráfego era nas linhas de Chicago à Rock Island e Rock Island à Muscatine.
"Rock Island Line" é uma canção folk / blues americana, de autor desconhecido. Sua primeira gravação foi feita por John Lomax em 1934, mais tarde popularizada por Lead Belly. Muitas versões foram gravadas por outros artistas, mas a versão mais conhecida foi gravada em meados dos anos 1950 por Lonnie Donegan. Anos depois, viria a gravação que parecia ser a definitiva, na voz de Johnny Cash, em 1957.
Os versos tentam contar uma história bem humorada sobre um operador de trem que contrabandeia ferro através de um pedágio, alegando que tudo o que tinha a bordo era gado.
Em 1964, "The Penguin" - livro de canções folclóricas norte-americanas, foi publicado no Reino Unido, e foi posteriormente reeditado em 1966 e 1968. Na página 128, aparece a canção "Rock Island Line", com a seguinte nota: " John A. Lomax gravou esta canção na fazenda Prisão Estadual Cumins, Gould, Arkansas, em 1934 a partir de seu compositor condenado, Pace Kelly. Lead Belly, ao ouvi-la, reorganizou-a em seu próprio estilo e fez gravações fonográficas comerciais. Uma destas gravações foi estudada e imitada, frase por frase, por um jovem cantor Inglês de canções folclóricas americanas (referindo-se a Lonnie Donegan), que posteriormente a registrou para um selo Inglês. O disco vendeu na casa das centenas de milhares entre os EUA e Inglaterra. Entretanto, até hoje, ainda há muitas controvérsias sobre a autoria da canção. A gravação de Lonnie Donegan foi lançada como single no final de 1955, e marcou o início do "skiffle". Um estilo com instrumentos improvisados que se tornou verdadeira 'mania' na Inglaterra, Donegan não fez nenhuma menção às gravações anteriores, ou aos autores. Em sua gravação, que fazia parte de uma sessão da Chris Barber Jazz Band para Decca Records, Donegan não recebeu nenhum royaltie da Decca pela venda dos discos. No entanto, ao longo dos anos, Donegan recebeu somas consideráveis pela publicação de "Rock Island Line", simplesmente alegando que a música não era registrada, e que era considerada de domínio público. Isso levou à uma situação peculiar que qualquer cover de "Rock Island Line", lançada no Reino Unido a partir de 1956 seja creditada a Lonnie Donegan.

Ao longo dos anos, a canção já foi gravada por vários intérpretes dos mais variados estilos. Vamos conferir?
John Lomax (1934 / 1939); Lead Belly (1937); George Melly (1951); Odetta (1954); Lonnie Donegan (1955); Bobby Darin (1956); Don Cornell (1956); Stan Freberg (1956); The Weavers (1957); Johnny Cash (1957), Milt Okun (1957); Johnny Horton (1957); The Brothers Four (1961); Ramblin Jack Elliot (1968); Harry Belafonte (1970); John Lennon (versão acústica de 1970 que aparece no bootleg "The Lost Lennon Tapes"; George Harrison and Paul Simon (1976) - no programa Saturday Night Live; Graham Bonnet (1977); The Knitters (1985); The Washington Squares (1987); Mano Negra - Patchanka (1988); Little Richard & Fishbone (1988), Devil in a Woodpile (1999); Scott H. Biram (2000); Odetta (2001); Dan Zanes and Friends (2001); Chris Thomas King - Johnny's Blues (2003); Bethany Yarrow (2003); Eleven Hundred Springs (2004); Peter Donegan Band (2006); Kickin Grass (2006); The Reverend Peyton's Big Damn Band (2007); The Yorkshire Teabags (2007) e Old John Smokey (2011).
No entanto, nenhuma dessas gravações tem a força e o peso da versão matadora e definitiva que Ringo Starr preparou cuidadosamente para seu álbum 2012. Ficou excelente, fantástica! E a impressão de quem ouve essa versão é de que a música foi feita para ele e esperou mais de 50 anos para que ele finalmente a gravasse. Pena que exista um vídeoclipzinho bacana. Acho que Ringo nunca se preocupou muito com isso.

Um comentário:

Valdir Junior disse...

A versão do Ringo é bem legal, mas o Johnny Cash é porreta.