sábado, 17 de dezembro de 2016

O ASSALTO AO TREM PAGADOR

Quando o assalto ao trem pagador foi noticiado, e os seus detalhes conhecidos, muitos disseram: "Bandidos intemacionaisl Só pode!” Pois é: o assalto ao trem pagador foi tão ousado e bem planejado que só poderia ter sido praticado por bandidos internacionais. Bandido brasileiro não tinha con¬dições (nem inteligência) de imaginar e executar um assalto tão espetacular e tão bem realizado.O assalto ocorreu às oito e meia da manhã do dia 14 de junho de 1960, uma terça-feira, num local chamado de Curva da Morte, no quilômetro 71 da linha auxiliar da Central do Brasil, próxima à estação de Japeri. Foram roubados 27 milhões e 600 mil cruzeiros, uma fortuna na época, que serviría para pagar não só o salário dos ferroviários como um abono concedia do à categoria, equivalente a dois meses de salário. A mecânica do assalto foi simples. Os assaltantes dinamitaram os trilhos, provocando assim o descarrilamento da locomotiva e do vagão. Em seguida, invadiram o trem. Embora alguns ferroviários tenham se ferido, apenas um morreu: o operário Francelino Corrêa, que viajava de carona. Ele levou um tiro na testa e morreu na hora.
A imprensa, de início, fez um tre­mendo barulho. Mas, diante do silên­cio da polícia, que ainda tateava no escuro, quase sem rumo, o noticiário foi aos poucos minguando, saiu das primeiras páginas e, por fim, nada mais se escreveu a respeito. Estavam as coisas nesse pé quando o delega­do Amil Ney Rachid chamou para o caso um famoso caçador de bandidos chamado Perpétuo Freitas da Silva, o famoso detetive Perpétuo. Perpétuo foi meticuloso: exami­nou retratos falados, consultou infor­mantes, verificou pistas em diversos estados brasileiros. Finalmente che­gou a um bandido chamado Zezinho, que participara de um assalto ao Ban­co Imobiliário de Venda de Pedras, na cidade de Itaboraí. Pressionado, Zezinho confessou que participara do assalto e descreveu os seus com­parsas. O chefe teria sido um negro alto, forte e enérgico, com mais de 40 anos. Perpétuo checou a descrição feita por Zezinho com os depoimen­tos das testemunhas e chegou a uma conclusão concreta: o bando que as­saltara o trem pagador fora o mesmo que assaltara o banco. Com método e paciência, o detetive Perpétuo foi identificando os membros do ban­do: Manoel Godinho, Nilo Peru, os irmãos Sebastião (o Tião Medonho) I e Zeferino. O primeiro a ser preso foi Manoel Godinho, que, após levar muita bor­doada, abriu o bico e contou tudo. Perpétuo e Rachid montaram, então, uma tocaia, na qual Zeferino foi pre­so. Tião Medonho, contudo, conse­guiu fugir espetacularmente.Durante as 36 horas seguintes, a cidade acompanhou, nervosa, a caça­da ao meliante. Vários bairros foram vasculhados: Acari, Vigário Geral, Barros Filho. Finalmente, a partir de uma dica de um informante, Perpé­tuo chegou à casa em que Tião Me­donho vivia com a amante Djanirâ. O local era Barros Filho, perto de Acari. Quando os policiais invadiram a casa, encontraram Tião Medonho ferido, estirado numa cama. Na casa, locali­zaram de início 285 mil cruzeiros e, depois, mais de 5 milhões. Aos pou­cos a polícia foi recuperando, aqui e ali, parte do dinheiro. Outra parte su­miu - como sumiu um dos bandidos, Nilo Peru, que jamais foi localizado pela polícia. Contou-se, na época, que ele teria sido assassinado por Tião Me­donho, mas onde estaria, então, o seu corpo?

O Assalto ao Trem Pagador virou um filme brasileiro de 1962, do gênero policial, dirigido por Roberto Farias. Baseado em uma história real, o filme retrata o famoso assalto ocorrido contra o trem de pagamentos da Estrada de Ferro Central do Brasil, que aconteceu às 08:30 hs do dia 14 de junho de 1960, nas proximidades da Estação Japeri(em Japeri, RJ), no km 71 do extinto trecho da Linha Auxiliar da E.F. Central do Brasil que ligava a Estação Japeri à Estação Botais, em Miguel Pereira (RJ). Enquanto a polícia chega a suspeitar de uma quadrilha de bandidos internacionais pela ousadia do plano, os assaltantes se misturam à realidade da pobreza e da violênciabrasileiras. Em novembro de 2015 o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.Aqui, a gente confere uma cena e, para quem se interessar, logo abaixo, o filme completo. Vale a pena".

2 comentários:

A State Within A State disse...

KENNETH LENNON WAS MURDERED BY THE BRITISH INTELLIGENCE SERVICE

www.astatewithinastate.blogspot.com

João Carlos disse...

Mai pia! Lembro desse troço. Outro dia o filme passou na TV.